sábado, 10 de abril de 2021

Vinicius de Moraes – Documentário revisitado 16 anos depois

 Há 16 anos, era lançado o documentário sobre a vida e obra de Vinicius de Moraes, com direção de Miguel Faria Júnior onde, além de um elenco consagrado, destaca-se as participações mais que especiais de convidados não menos consagrados que o homenageado



Já está disponível na NETFLIX o filme/documentário VINICIUS DE MORAES, rodado em 2005, onde é mostrada todas as facetas de um dos maiores poetas da nossa história. Diplomata de carreira, Vinicius de Moraes, o sublime poeta do cotidiano, foi autor de mais de 400 poesias e letras de músicas, várias delas inscritas nos anais da MPB. 

O filme celebra a vida e a obra de um criador multifacetado - autor teatral, poeta, parceiro dos nomes mais importantes da MPB e, acima de tudo, um iluminado personagem da história cultural do país, reúne um incomparável elenco de parceiros, intérpretes, amigos e raras imagens de arquivo que relembram a genial simplicidade de Vinicius com a espontaneidade, humor e liberdade de quem conversa em uma mesa de bar, exatamente como gostaria o eterno Vinicius.



Do alto dos seus impensáveis nove casamentos, - fora os afairs, - Vinicius foi um cara que viveu intensamente as suas paixões, tanto amorosas quantos artísticas. Ao longo dos seus quase 67 anos, criou um leque de produções literárias e musicais memoráveis. Além de um dos mais famosos nomes da Música Popular Brasileira (MPB), foi escritor, poeta, jornalista, crítico de cinema, diplomata e muito mais. Em síntese, foi um dos grandes nomes da cultura do Brasil no século XX.

Vinicius de Moraes também é conhecido como “poetinha”, apelido dado pelo seu grande parceiro Tom Jobim, com quem escreveu a música brasileira mais famosa do mundo e um dos ícones da Bossa Nova, “Garota de Ipanema”.

Os depoimentos dos amigos e parceiros dão uma mostra do que foi o homenageado. No de Tônia Carrero, ela cita um verso, hilário:



“Se eu tiver muitos vícios, meu nome será Vinicius,

se esses vícios forem demais, serei Vinicius de Moraes...”



Já após os créditos do filme, Chico Buarque solta mais um: indagado sobre o que seria se renascesse, o poetinha respondeu, “queria ser o mesmo Vinicius, mas com um membro fálico, bem maior...”. Esse era o Vinicius de Moraes!

Prêmios do filme:

- Ganhou 2 prêmios no Grande Prêmio Cinema Brasil, nas categorias de Melhor Documentário e Melhor Trilha Sonora. Foi ainda indicado nas categorias de Melhor Diretor, Melhor Roteiro Original e Melhor Som.

- Ganhou o Prêmio ACIE de Cinema de Melhor Documentário.

- Ganhou o prêmio de Melhor Documentário, no Prêmio Contigo! de Cinema.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após análise.
Obrigado!