domingo, 7 de junho de 2020

Caetano Veloso participou de live e lançou playlist na última sexta (5)

Live com Caetano Veloso - YouTube

Em tempos de lives com sertanejos se embriagando, Caetano Veloso e o jornalista André Trigueiro proporcionaram uma das mais agradáveis atrações destes de pandemia

O cantor e compositor baiano Caetano Veloso participou de um bate-papo via Instagram com o jornalista André Trigueiro para celebrar o Dia do Meio Ambiente, na última sexta-feira (5), com a organização do movimento 342Amazônia. A conversa foi transmitida pelo perfil do jornalista, @andre_trigueiro e, além de cantar vários dos seus sucessos, o santamarense deu uma verdadeira aula de história, cultura e democracia, sem receio de assumir claramente o seu posicionamento político.

Apesar dos insistentes pedidos via redes sociais, ele não participou de nenhuma live musical durante a quarentena, verdadeiro modismo em tempos de quarentena, onde desde os menos famosos e até Roberto Carlos aderiram a essa forma de se manter em atividade e na memória dos seus fãs.

Também foi disponibilizada playlist temática com encontros musicais gravados no ano passado em uma apresentação ao vivo no Circo Voador, no Rio, também para celebrar o Dia do Meio Ambiente. Estão lá parcerias de Caetano com Teresa Cristina, Hiran e Majur, que entoam faixas como Gema, Tropicália, Asa Branca. E também Um Índio, com representantes de diversas tribos da Amazônia no palco.

Conversa em alto nível
Caetano Veloso (@caetanoveloso) | Twitter
O bate papo de Caetano com Trigueiro foi muito além das lives até então realizadas. O jornalista, que é um dos maiores defensores do meio ambiente, conduziu com maestria o bate papo, buscando sempre o ponto de vista do artista sobre os mais variados temas e Caetano não se fez de rogado, desfilando o seu rosário de lauto conhecimento em áreas como história contemporânea, cultura, humanismo e, claro, música.

Durante a live, Veloso discorreu desde a sua infância em Santo Amaro até os dias atuais, passando pelo período em que foi obrigado a exilar-se em virtude da perseguição política empreendido pela Ditadura Militar de 64.

O conteúdo da entrevista está disponível no Twitter do entrevistado. Vale muito a pena ver.


Euriques Carneiro

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após análise.
Obrigado!