quarta-feira, 3 de junho de 2020

2020 | 50 anos de idolatria ao astro pop Elton John


Sir Elton John - Ícone musical nos anos 70 e 80 ainda arrasta ...
Primeiros anos da década de 70, garoto vindo de uma cidade pequena e deslumbrado com a grandeza de Feira de Santana, eis que as rádios AM da cidade começam a tocar várias vezes ao dia uma música que se tornou o hino da minha adolescência: Skyline Pigeon
Era uma época em se ouvia muita música internacional, mesmo sem entender uma única frase em inglês. Uma publicação da época fazia a cabeça dos jovens como eu: a revista POP, que trazia, na sua imensa maioria, reportagens sobre os astros da música pop internacional.
Desde então, apesar de ouvir Paul, John Lennon, Bee Gees, Pink Floyd, entre outros, logo me encantei com as canções de um artista que surgia e que até hoje mantém o brilho como estrela da música, o cantor e compositor inglês Elton John. Queridíssimo no Brasil, sobretudo por suas baladas românticas, embora tenha produzido ao longo de mais de cinquenta anos de carreira, músicas dos mais diversos gêneros.

Eu, como inúmeros adolescentes contemporâneos, balbuciávamos estrofes de Skyline Pigeon, música que frequentou os primeiros lugares das “paradas de sucesso” nacionais, por cinco anos seguidos, se tornando o mais estrondoso sucesso no Brasil em meados dos anos 70. Ali por volta de 74, comprei uma radiolinha Philips e fui correndo para a loja adquirir o LP “Elton John – Greatest Hits” e só parava de ouvir Daniel, Rocket Man, Honky Cat, Crocodile Rock, Saturday Night's Alright For Fighting, entre outras, quando as pilhas do aparelho ficavam fracas.
Rocketman: um reflexo da persona de Elton John – Agência ...

Nessa época, Elton John se tornou uma espécie de Rei Midas da música, pois tudo que ele lançava era sucesso e virava ouro. Skyline Pigeon marca bem essa característica do astro inglês já que ela não foi lançada em compacto simples, como era praxe para ter apelo comercial nas rádios e sim em um LP com 12 canções. E o sucesso de Elton não era restrito a alguns países pois as suas músicas alcançavam êxito em vários lugares do planeta.

Elton já havia conquistado o mercado e o público americano, e consequentemente outros mercados consumidores de música pop, até os meados da década de 1970, quando, já exausto das turnês e dos discos, durante um show declarou que ia se aposentar. Claro, que poucos anos depois, voltaria e continuaria com seu apelo musical e, de forma apoteótica, ele fez um show no Central Park, em Nova York, para 500 mil pessoas. Hoje, aos 73 anos, já não faz tantos shows porque optou por estar mais próximo dos dois filhos, mas continua na estrada e encantando multidões. 
O melhor pós-Beatles A relação de amizade entre Elton John e John Lennon
Ele foi um fenômeno tão admirável nos anos 70 que foi considerado pelo próprio John Lennon como “a melhor coisa que tinha surgido pós Beatles”. Bem pouco dotado de beleza física, era baixinho, gordinho e quase careca (fora dos padrões de beleza midiáticos), Elton venceu no mercado fonográfico unicamente pelo talento, pois sentado ao piano, virava um monstro nos shows ao vivo.

Criou uma sequência de hits nos anos 70 que se tornaram febre em todo o mundo, especialmente nos Estados Unidos, que praticamente se apossou dele em sua fase mais intensa, entre os anos de 1970 e 1976, quando produziu seus melhores discos e conseguia chegar, facilmente, ao topo das paradas americanas. Foram 17 discos em 6 anos, uma loucura, algo impossível para os dias atuais. 
Candle in the wind. 
La entrañable amistad de Elton John y Lady Di - Vanidades
A canção Candle in the Wind sempre foi cercada de uma aura especial já que ela tinha sido composta em homenagem à musa Marilyn Monroe e, quis o destino que, em 1997, Elton John regravasse Candle in the Wind em uma homenagem à sua amiga pessoal Diana, Princesa de Gales, tragicamente falecida em um acidente de carro em Paris, com o título Goodbye England’s Rose. Esta versão foi relançada e atingiu o ápice das paradas em muitos países, fazendo um sucesso muito maior do que a versão original e tornando-se o single mais vendido de todos os tempos.

Show em São Paulo 
Elton John @Allianz Parque - 06.04.2017 - YouTube
Mesmo próximo dos 60 anos, a oportunidade de ver o ídolo ao vivo foi para mim uma emoção ímpar. Elton fez um show em Salvador, distando apenas 110 km de onde moro, mas quis o destino que eu fosse assistir ao show em abril de 2017, em São Paulo e, para completar o êxtase, no Allianz Parque, a casa do meu Palmeiras, resumindo duas das minhas paixões. Como sempre, um espetáculo indescritível, quando ele entrou no palco britanicamente às 22 horas, tocou e cantou por duas horas de forma ininterrupta e sem qualquer enrolação, cumprimento a todos e encerramento a apresentação exatamente meia noite. Para os milhares de fãs que lotaram campo e arquibancadas da Arena Palmeiras, ficou uma pontinha de frustração: ele não cantou Nikita
“Rocket Man” - Filme Rocketman - Filme 2019 - AdoroCinema
Em 2019, foi lançado um filme biográfico produzido pelo próprio Elton John e, para quem esperava uma película que apenas ressaltasse o talento do cantor, pode se surpreender, pois ele está longe de se reduzir a elogios e odes à sua obra. Claro que são apresentados os problemas com drogas e o relacionamento homo afetivos, mas de forma tão clara quanto sensível. São elencados os fatos mais marcantes da vida do astro, mas faz-se necessário compreender o filme pelo que ele é, uma história destinada a investigar a carreira de Elton John, como artista e como pessoa humana.
Euriques Carneiro

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após análise.
Obrigado!