sábado, 9 de maio de 2020

Portugal | Fátima tornou-se uma cidade deserta sem peregrinos e com o Santuário vazio

No fim de semana que antecede o 13 de maio, há quem percorra 200 quilômetros para viver um santuário (vazio) em poucos minutos pois as autoridades não vão permitir o acesso ao local

Sem visitantes, sem pessoas percorrendo de joelhos a distância de 392 metros que começa bem na frente da Basílica e segue até a Capela das Aparições. Vazia é a palavra que melhor define a cidade de Fátima num período em que deveria estar cheia de peregrinos, que a pandemia da covid-19 afastou dos hotéis, lojas e cafés, que continuam à espera de melhores dias.


Foi iniciada neste sábado, 09, a operação "Fátima em casa", que se prolongará até quarta-feira, com o objetivo de impedir o acesso de peregrinos ao santuário.


Por volta das 7:00, Carmo Gonçalves juntamente com uma amiga e respetiva filha saíram de Vila Nova de Famalicão com destino ao Santuário de Fátima. "Sempre que podemos vamos a Fátima no 13 de maio. Este ano não será possível, pelo que antecipámos o dia e viemos hoje", contam.


A fé e a devoção fizeram-nas fazer cerca de 200 quilómetros para cada lado, para estarem no Santuário pouco mais do que uma hora e meia. "Viemos buscar paz, serenidade e força. Fizemos as nossas orações e vamos regressar. No dia 13 não estamos cá fisicamente, mas estaremos de coração."


A peregrinação a pé programada para este ano fica adiada. "A decisão do Santuário foi a mais correta. Se não tivermos saúde, não poderemos vir no próximo ano. Estas três pessoas completavam um quadro de pouco mais de uma dezena de fiéis junto à Capelinha das Aparições esta manhã. O silêncio do espaço, sem qualquer celebração religiosa, era quebrado apenas pelos sinos da igreja.


Comércio fechado

As ruas de Fátima estão desertas. São poucos os cafés e restaurantes abertos. As lojas de artigos religiosos e souvenires que se aventuraram a abrir portas garantem que não há clientes e os hotéis estão quase todos encerrados.


"Desde segunda-feira até hoje só atendi três clientes", afirmou à Lusa Amália Reis. A funcionária de uma loja de artigos religiosos junto ao Santuário admitiu que, habitualmente, esta semana "é uma das mais fortes" do negócio. Segundo referiu, no sábado que antecede o 12 e 13 de maio, as pessoas "costumam vir a Fátima e já há muito movimento".


O Hotel Santa Maria tem a sua lotação a 2%, situação nunca antes vista. "Nesta altura, teríamos cerca de 90% de reservas", admitiu o recepcionista Nelson Pereira, explicando que os hotéis estão a colaborar uns com os outros e encaminham os clientes para as poucas unidades abertas, numa entreajuda.


Segundo Nelson Pereira, as reservas para agosto mantêm-se, mas o funcionário teme que as mesmas sejam canceladas. "Todas as reservas estão a ser canceladas um mês antes. Por exemplo, as pessoas estão a cancelar agora junho."

"Não há peregrinos, não haverá clientes"

Fotos: Euriques Carneiro
Fonte: https://www.dn.pt/cultura/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após análise.
Obrigado!