Construção - Reforma - Manutenção

Construção - Reforma - Manutenção
Clientes encantados é a nossa meta!

segunda-feira, 25 de dezembro de 2017

Em alguns países, é proibido comemorar o Natal


Resultado de imagem para paises onde é proibido comemorar o natal


A tradição cristã é vista como uma ameaça a outras religiões e a comemoração da data e os seus símbolos chegam a ser proibidas em vários lugares

O Natal, uma das datas cristãs mais celebradas do mundo, ainda causa muitas controvérsias em diversos países. Visto como uma ameaça a outras religiões ou tradições, a comemoração da data e os seus símbolos, como o Papai Noel, chegam a ser proibidas em vários locais.

Alguns países da Ásia desencorajam a celebração, regulam ou até mesmo proíbem, ainda que comunidades cristãs vivam nessas localidades. O governo da Coreia do Norte, por exemplo, não permite nenhuma celebração religiosa para os cristãos. A data que deve ser celebrada pelos habitantes do país, segundo os seus líderes, é o nascimento da "Mãe Sagrada da Revolução", a mãe do ex-líder Kim Jong-il.

Um marco dessa controvérsia aconteceu entre 2013 e 2014, as Coreias do Norte e do Sul se desentenderam depois que a segunda construiu uma árvore de Natal na fronteira entre os países.

Já na China, comemorações natalinas - assim como o Cristianismo - são proibidas desde a revolução socialista. Ainda assim, os cristãos comemoram timidamente. Apesar de clandestina, a igreja católica chinesa tem apoio do Vaticano e o número de fieis cristãos se multiplicou na última década, segundo estimativas não-oficiais às quais a 'BBC' teve acesso.

Mais intolerância
Resultado de imagem para paises onde é proibido comemorar o natal

A Somália, o Tajiquistão e Brunei, todos na Ásia, possuem duras restrições aos símbolos e tradições natalinas há dois anos. No Tajiquistão (país de maioria muçulmana) é proibido ter árvores de Natal (naturais ou artificiais), fogos de artifício, ceias natalinas e troca de presentes. O Papai Gelo, equivalente russo ao Papai Noel, foi proibido até nas televisões.

Brunei proibiu celebrações em público. Quem for flagrado usando chapéus de Papai Noel, cantando hinos religiosos e colocando decorações temáticas pode ser multado ou preso. Violar a proibição, que inclui usar símbolos religiosos como cruzes, acender velas, cantar músicas religiosas e até dizer "Feliz Natal", pode render até cinco anos de prisão. Residentes cristãos podem celebrar, mas não "excessivamente e abertamente", orienta o governo.

Em 2015, a Somália também proibiu a celebração do Natal e do Ano Novo. Para o governo do país, as datas "não têm nada a ver com o Islã" e por isso não devem ser celebradas no país.

Na Arábia Saudita, o Natal não chega a ser oficialmente proibido, mas as comemorações são desencorajadas. Uma regulamentação proíbe "sinais visíveis" da festa. O descumprimento desta regra fez com que 41 cristãos fossem presos em 2012.

Referência: noticiasaominuto.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após análise.
Obrigado!