Construção - Reforma - Manutenção

Construção - Reforma - Manutenção
Clientes encantados é a nossa meta!

segunda-feira, 28 de agosto de 2017

Festival de Inverno de Conquista teve encerramento de gala com Caetano Veloso


Resultado de imagem para festival de inverno 2017

O Festival de Inverno Bahia já compõe o calendário das grandes festas baianas e, fugindo um pouco das suas raízes, já inclui outras vertentes musicais para agradar um numero cada vez maior de visitantes

Na edição 2016 a predominância foi do pop rock com atrações da estirpe de Legião Urbana, Biquíni Cavadão e Titãs, ao lado de Djavan e Paula Toller, mas já trouxe a dupla sertaneja Marcos & Belutti, mostrando assim um novo viés do festival.

Nessa 13ª edição, o Festival de Inverno Bahia teve a sua largada na sexta-feira (25), com Tiago Iorc, Skank e Ivete Sangalo. Dando continuidade, no sábado, teve Humberto Gessinger, Jota Quest, O Rappa e Raimundos e encerramento contou com, Anitta e Matheus & Kauan e maior letrista vivo da MPB, o santamarense Caetano Veloso.

Caetano Veloso: “por último, mas não menos importante”
Imagem relacionada

Um dos maiores expoentes da MPB, ícone de gerações de músicos e fãs, referência da MPB, polêmico, letrista e cantor, Caetano Veloso é um dos artistas mais completos da música brasileira. Para o festival, o cantor fez um passeio por várias de suas fases, cantando composições suas e de outros artistas.

Em “Um Índio”, Caetano lembrou a preocupação com a Amazônia, se posicionando contra a liberação dos direitos de exploração mineral na região, decretado pelo presidente Temer. “Eu Quero cantar uma canção para aqueles que estão lutando pela defesa da Amazônia”, disse Caetano.

Como já virou praxe nos seus últimos shows e momento já aguardado pelo público, na canção “Podres Poderes”, o cantor puxou o coro de “Fora Temer”, que foi acompanhado por milhares de vozes no Festival de Inverno.

O mestre sambista Wilson das Neves, morto no último sábado, aos 81 anos, foi homenageado por Caetano, quando ele fechou o repertório da noite cantando “Desde que o Samba É Samba”, um clássico emocionado e emocionante. O festival não poderia ter um final mais apoteótico.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após análise.
Obrigado!