Construção - Reforma - Manutenção

Construção - Reforma - Manutenção
Clientes encantados é a nossa meta!

domingo, 6 de agosto de 2017

A Capela Sistina acaba de ganhar mais um atrativo


Resultado de imagem para detalhes da Capela Sistina

Com seus 21 metros de altura, as belíssimas imagens da Capela Sistina escondiam detalhes que agora podem ser vistos a olho nu graças a um inédito projeto que durou cinco anos fotografou toda a monumental pintura

Com inimagináveis 270 mil imagens de alta definição que exibem cada canto da obra do século 16, do pintor Michelangelo, o registro mostra detalhes que não podem ser vistos a olho nu, já que a capela tem 21 metros de altura.

Um dos locais mais visitados do planeta, a Cepela Sistina recebe mais de 20 mil visitantes por dia. Por causa disso, o trabalho dos fotógrafos precisou ser feito durante a noite, quando o espaço estava fechado e os profissionais podiam trabalhar com silencio que a meticulosa tarefa exigia.

História
Imagem relacionada

A mais famosa e conhecida ala do Museu do Vaticano, provoca uma corrida de turistas semelhante a que pode ser vista no Louvre atrás do famoso quadro da Monalisa e basta seguir a horda de turistas apressados para chegar até ela

No entanto, assim como a Monalisa, a Capela Sistina merece um pouco mais de dedicação. Na verdade muito mais, pois reúne numa única sala as maiores obras-primas do período renascentista. Seu nome é uma homenagem ao Papa Sisto IV, que ordenou, por volta de 1475, a reforma da antiga capela existente.

O Papa então convocou alguns dos melhores pintores da época para pintar os afrescos na parede: Perugino, Botticelli, Ghirlandaio, Rosselli e Signorelli, entre os anos de 1481 e 1483. Para a finalização das obras teve a participação magistral de Michelangelo, em duas fases distintas. A primeira, de 1508 a 1512, quanto pintou o extraordinário afresco no teto da capela. E a segunda, de 1534 a 1541, quando pintou o Juízo Final, no altar frontal.

As duas obras de Michelangelo são tão espetaculares que ofuscam os demais afrescos nas paredes e a maioria dos turistas nem nota que ali estão os melhores trabalhos do Renascentismo italiano.

O Teto
Imagem relacionada

Depois da morte de Sisto IV, o Papa Julio II encomendou que a pintura do teto fosse realizada por Michelangelo. A obra completa foi realizada entre 1508 e 1512. Decidiu dividir o teto em vários painéis, através da pintura de colunas e arcos, e contar a história da bíblia como numa sequência de quadros.

Na parte central, criou 9 grandes painéis para representar o Livro dos Gêneses, desenhando em ordem cronológica a criação do mundo, a expulsão do homem do paraíso e o dilúvio enfrentado por Noé. Esse painel está cercado por 8 painéis triangulares que contêm os ancestrais de Cristo, intercalados por 12 painéis retangulares com profetas e sílfides.

Nos quadros cantos do teto, Michelangelo pintou cenas do Antigo Testamento, como Moisés e a Serpente de Ouro e David e Golias. Foi um trabalho exaustivo. Michelangelo era extremamente exigente com ele mesmo e com os outros, e trabalhou sozinho durante os quatro anos que levou para terminar a obra, pois não conseguia achar nenhum assistente que atendesse seu nível de perfeição.

Além disso, o trabalho demandava um grande esforço físico e posições nada confortáveis que o artista se sujeitava para concluir as pinturas com satisfação. Algumas vezes o artista trabalhava deitado em andaimes, mas em muitas ficava em pé olhando para o teto, o que lhe causava dores no pescoço e na coluna. Também teve problemas com o Papa Julio II, que não efetuava os pagamentos devidos no tempo acordado.

Aliás, Michelangelo não queria inicialmente aceitar esse trabalho. Não se dava bem com o Papa Julio II por já ter enfrentado dificuldade em receber o pagamento devido em trabalhos anteriores. Também se julgava um escultor e não um pintor, e considerava a pintura uma arte secundária.

Apesar da sua resistência inicial, dedicou-se ao trabalho com sua habitual compulsão pela perfeição, concluindo assim uma das suas maiores e mais reconhecidas obras-primas.

O Juízo Final

Resultado de imagem para detalhes da Capela Sistina - juizo final

Quando Michelangelo terminou de pintar o teto da Capela Sistina, ele deixou Roma e se mudou para Florença, onde executou vários trabalhos para a família Medici.

Retornou para Roma em 1534, a pedido do Papa Clementino VII, que fazia questão de ter Michelangelo como autor da a pintura do Juízo Final, no painel central da Capela Sistina.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após análise.
Obrigado!