Construção - Reforma - Manutenção

Construção - Reforma - Manutenção
Clientes encantados é a nossa meta!

segunda-feira, 10 de abril de 2017

Violência cometida contra indígenas nos nefastos tempos da ditadura é tema de “Os fuzis e as flechas”


 

O livro de Rubens Valente, “Os fuzis e as flechas” é uma investigação jornalística que descreve centenas de mortes de indígenas durante a ditadura militar no Brasil (1964-1985)

Com muita persistência, durante um ano, o autor entrevistou oitenta pessoas, entre índios, sertanistas, missionários e indigenistas, percorreu 14 mil quilômetros de carro, esteve em dez estados e dez aldeias indígenas do Amazonas, Mato Grosso do Sul e Minas Gerais. 

Além de se valer de milhares de páginas coletadas em arquivos de Brasília, São Paulo e Rio, o livro traz à tona registros inéditos de erros e omissões que levaram a tragédias sanitárias durante a construção de grandes obras, como a rodovia Transamazônica, que cruzou a Amazônia de leste a oeste.

Lançado em meados de março na capital paulista, o livro 'Os Fuzis e as Flechas – A História de Sangue e Resistência Indígenas na Ditadura' traz à tona registros inéditos de erros e omissões que levaram a tragédias sanitárias durante a construção de grandes obras do período militar, como a Rodovia Transamazônica.

“Em 1991, 1992, eu estive em uma área de uma etnia que se chamava Ofaié-Xavante. E lá eles me contaram que tinham sido transferidos pelos militares em um caminhão e haviam sido despejados lá no Pantanal, a 600 quilômetros dali [de seu território original]. Lembro que essa história me marcou muito, porque mostrou que havia uma coisa a ser contada nessa relação de índios com a ditadura, como eles sofreram impactos nesse período”, contou o jornalista. Em viagens a outras aldeias desde os anos 80 do século passado, Valente conta ter ouvido relatos semelhantes.

Mea culpa do Estado


Resultado de imagem para Os Fuzis e as Flechas – A História de Sangue e Resistência Indígenas na Ditadura

Sob o ponto de vista de Rubens, a principal conclusão da pesquisa é a dificuldade do Estado brasileiro de reconhecer essas mortes e pedir desculpas pelo que ocorreu. “Em 2014, a Comissão Nacional da Verdade aprovou um capítulo destinado aos povos indígenas, e esse capítulo indicava a necessidade de um pedido de desculpas por parte do governo brasileiro. Um pedido de desculpas pelo que aconteceu com os índios. E, até o momento, já se vão três anos, não houve sequer o reconhecimento, sequer um pedido desculpas, quanto mais alguma forma de reparação desses danos.”

Serviço:
Título original: OS FUZIS E AS FLECHAS
Capa: Kiko Farkas / Máquina Estúdio
Ana Lobo / Máquina Estúdio
Páginas: 520
Formato: 15.70 x 23.00 cm
Peso: 0.759 kg
Acabamento: Brochura
Lançado em: 15/03/2017
ISBN: 9788535927115
Selo: Companhia das Letras

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após análise.
Obrigado!