terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

Dentro de uma ótica ‘politicamente correta’, Bonecos Gigantes percorreram ladeiras de Olinda nesta terça de carnaval

Resultado de imagem para bonecos de olinda 2017
O juiz Moro e o "Japonês da Federal"
Lá vem o gigante descendo a ladeira, balançando de um lado para o outro, com os braços soltos. Ou melhor, 50 gigantes, envoltos em uma multidão que vibrava com o frevo, pequena ao lado dos maiores foliões do carnaval

O Encontro dos Bonecos Gigantes de Olinda percorreu as ladeiras pelo 30º ano consecutivo na manhã de hoje (28), animando o povo com um dos símbolos da folia pernambucana. Medindo em média 3,4 metros quando montado, os bonecos são levados na cabeça e nas costas dos bonequeiros. O movimento característico deles se faz rodando; assim, os braços soltos do gigante giram de um lado para o outro, atingindo de leve algum desavisado e entretendo o pessoal que está em volta, que brinca de desviar das mãos giratórias.

O encontro começou no Largo do Guadalupe, desceu para o tradicional Quatro Cantos, cruzamento de Olinda que vive cheio e por onde passam vários blocos, e seguiu para a Prefeitura. O encerramento está previsto para 14h no Largo do Varadouro.
Imagem relacionada

No 30º encontro, uma novidade são os 40 bonecos mirins, de tamanho menor. Segundo Sílvio Botelho, organizador do encontro e artista plástico que fabricou vários dos ícones dessa cultura em Pernambuco, é uma forma de continuar a brincadeira entre gerações, atraindo crianças e envolvendo os filhos das pessoas que fazem a cultura dos bonecos gigantes. Para combinar com a proposta, o Palhaço Chocolate foi escolhido como homenageado deste ano. A sua representação abria o cortejo dos gigantes.

Nos dias de carnaval de Olinda, não é difícil encontrar crianças admiradoras dessa manifestação cultural: de fantasias do Homem da Meia Noite, o mais antigo deles, a bonequinhos em miniatura sendo levados pelos pequenos. Para a empresária do Recife Renata Passos, de 45 anos, que sempre aparece em Olinda na terça-feira para acompanhar a passagem dos bonecos, não são só as crianças que gostam de pegar na mão e de dançar com os gigantes. “Adulto também adora”, ri. “Na dança, na brincadeira como um todo. Faz parte da gente, né?”

A tradição pernambucana tem origem em outro continente, de acordo com o artista plástico Sílvio Botelho. “A origem do boneco gigante está datada de 800 anos, em Portugal. Chegou ao país em 1919, em Belém do São Francisco. Chegando aqui ficou timidamente e a história acabou. Renasceu em Olinda, em 1932, com o primeiro boneco com o nome de Homem da Meia Noite”, explica.

Encontro de personalidades
Imagem relacionada


Personalidades da vida real também caem na folia em forma de bonecos. Eles são feitos por Leandro Castro, criador da Embaixada de Pernambuco, onde expõe os gigantes fabricados por ele. São artistas brasileiros e estrangeiros e outras pessoas conhecidas, inclusive presidentes do Brasil, que são retratados desde Fernando Henrique Cardoso.

Segundo Leandro, para evitar o uso do boneco em protestos espontâneos, o presidente Michel Temer ficou apenas em exposição e não saiu às ruas ontem (27), dia em que Castro fez seu desfile em Olinda. Ficou a nítida sensação que, caso o boneco do Presidente fosse à ruas, seria alvo dos protestos “Fora Temer” que aconteceram em Salvador, Rio, São Paulo e Belo Horizonte, principalmente.

Já o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e o ex-presidente Obama pularam o carnaval. “A gente não usa nossos bonecos de forma caricata. Na verdade queremos materializar ícones”, explica. “O Obama, como ele já deixou de ser presidente, aí sim a gente fez uma brincadeira e está caracterizando ele como Tio Sam negro, até para se contrapor ao Donald Trump, que é realmente polêmico”, acrescenta.

Criar bonecos de pessoas famosas e personalidades políticas não é consenso entre os artesãos. Sílvio Botelho só cria personagens ou representantes da cultura popular pernambucana. “Dona Selma do Coco eu transformei em boneca, então o povo tem aquele sentimento. Spok, Maestro Forró, Velho Manguaba, Lia de Itamaracá”, cita. Sobre o outro tipo de representação de pessoas reais, o artesão justifica: “Se fosse uma sátira, você tem uma leitura temática, mas não é o caso. Quando só há interesse financeiro, isso eu não faço.”

Referência: EBC

Em "A língua absolvida", o ganhador do prêmio Nobel (1981) mostra todo o seu mix de surpreendente cultura


Resultado de imagem para a língua absolvida

Definido pelo seu biógrafo como "O autor do século 20 que mais refletiu", a proximidade do centenário de Elias Canetti é um ótimo momento para se rever a obra daquele que via o alemão como "idioma da ternura" e que usava a própria biografia como instrumento de reflexão

Segundo seu biógrafo Sven Hanuschek, Elias Canetti se voltava com veemência contra "todo tipo de especialização". Uma postura compreensível, considerando que, apenas em seus primeiros 16 anos de vida, Canetti falou quatro idiomas e teve contato com mais seis línguas e universos culturais. Para depois se transformar num escritor cuja obra dificilmente se enquadra em gêneros. Elias Canetti ensaísta? Não apenas. Também dramaturgo, uma espécie incomum de sociólogo ou etnólogo, etc, etc.

Ladino, inglês, alemão, búlgaro
Resultado de imagem para a língua absolvida


Seu nome não é associado num primeiro momento à Alemanha, embora ele tenha optado pelo idioma alemão para escrever – a língua "da ternura" entre seus pais e que se tornaria seu principal instrumento de expressão. Canetti, na verdade, passou no país pouco de seu longo tempo de vida (morreu em 1994).

Nascido na Bulgária há exatos cem anos (a 25/07/1905), em Ruse, um porto localizado às margens do Danúbio, aprendeu na infância o ladino de seus pais, uma variante do espanhol falada pelos judeus sefarditas da Península Ibérica, que haviam chegado à Bulgária depois de passar pela Turquia.

Aos seis anos de idade, sua família se mudou para Manchester, onde Canetti entrou em contato com o inglês. Um ano depois, com a morte do pai, sua mãe seguiu com os filhos para Viena. Em 1916, mudaram mais uma vez, indo para a Suíça.

De lá, Canetti foi para Berlim, onde concluiu a escola. Em 1924, começou a estudar Química na Universidade de Viena, onde finalizou seu doutorado. Da Áustria saiu apenas 14 anos mais tarde, em 1938, com a tomada do país pelos nazistas.

Biografia como espelho de uma época
Via Paris Canetti seguiu para Londres, que seria, ao lado de Zurique, um de seus "portos" no decorrer de uma biografia fragmentada não incomum para a época. Talvez seja exatamente em função de tantos deslocamentos de culturas e perspectivas que a autobiografia de Canetti, publicada em três volumes (A Língua Absolvida; Uma Luz no meu Ouvido; O Jogo de Olhos), seja um dos pontos mais interessantes de sua obra. Uma obra composta por mil páginas publicadas e um volume dez vezes maior armazenado em seu espólio. E que vem sendo aberto, por determinação do próprio, com o passar dos anos.

Diante de tamanha terra ainda incógnita na obra canettiana, não são poucos os jornais de língua alemã que podem se dar ao luxo de publicar textos inéditos do escritor por ocasião de seu centenário. Como o semanário Die Zeit, que tem em sua última edição quatro contos dos chamados Estenogramas, escritos entre 1933 e 1942.

Ou o diário Frankfurter Rundschau, que foi buscar no espólio do irmão Georg uma carta inédita, na qual o iniciante Elias lamenta, em outubro de 1935, "o desprezo silencioso por um homem que se diz escritor, mas não é publicado", numa referência direta ao comportamento da família, inclusive da mãe, durante uma de suas visitas à França, onde viviam.

As maiores gafes da cerimônia de entrega do Oscar, desde 1931 até ocorrida em 2017


Resultado de imagem para maiores gafes do oscar

A cerimônia do Oscar 2017 foi marcada pela incrível gafe no anúncio do filme vencedor onde La La Land - Cantando Estações foi anunciado incorretamente, quando o real ganhador foi Moonlight - Sob a Luz do Luar 


A equipe de produção já tinha feito parte do discurso de aceitação do prêmio, quando a revelação da gafe - no auge da cerimônia - caiu como uma bomba. Foi uma das maiores falhas da concorrida premiação do mundo do cinema mas está longe de ser a única.

Veja a lista das maiores gafes ocorridas durante a cerimônia de entrega do Oscar:
Imagem relacionada

1931: o ator Jackie Cooper, na época com 10 anos, acabou dormindo na premiação. Ele concorria ao Oscar de melhor ator por 'Skippy'. Cansado, Cooper colocou o rosto nos ombros de Marie Dressler, que teve que acordá-lo ao ser eleita a melhor atriz.

1932: a Academia aceitou pela primeira vez inscrições de filmes que não foram rodados em Hollywood. Muitas críticas foram feitas ao novo critério de seleção. Alguns radicais detestaram a idéia de eleger filmes estrangeiros.

1938: o escritor John Lee Mahin recusou uma indicação ao Oscar de melhor roteiro pelo filme 'Captains Courageous' por não concordar com as regras de votação.

1940: o Los Angeles Times publica uma lista com os vencedores do Oscar na mesma noite da premiação, vendendo milhares de jornais. Com isso, o envelope lacrado passou a ser adotado e o segredo dividido com pouquíssimas pessoas dentro da Academia.

1943: No Oscar de 1943, Humphrey Bogart era um dos favoritos à estatueta de melhor ator por seu papel em 'Casablanca' e foi receber o prêmio segundos antes de anunciarem o verdadeiro vencedor: Paul Lukas. Percebendo o erro, parou em pé e começou a aplaudir, mesmo com todos os outros convidados sentados em suas cadeiras.

1952: Um dos momentos mais engraçados do Oscar aconteceu nesse ano, quando Shelley Winters, que disputava o Oscar por 'Um Lugar ao Sol', levantou e correu ao palco antes do apresentador Ronald Colman anunciar a vencedora. Ao perceber que a premiada foi Vivien Leigh, por 'Uma Rua Chamada Pecado', Vittorio Gasman, marido de Shelley, tentou evitar um constrangimento e puxou o vestido da mulher de uma vez, fazendo com que os dois caíssem no chão.

1962: George C. Scott recusa sua indicação ao Oscar de melhor ator coadjuvante por 'Desafio à Corrupção'. Apesar do pedido, seu nome não foi retirado da cerimônia.

1964: A diva Rita Hayworth era conhecida mundialmente por seu trabalho, mas nunca ganhou uma estatueta. Ao apresentar o Oscar de melhor diretor na premiação de 1964, a atriz se viu em apuros ao não conseguir ler o nome do vencedor nas pequenas letras do envelope. A confusão a fez chamar o diretor Tony Richardson, de 'As Aventuras de Tom Jones', de Donny.

1970: Goldie Hawn mostrou-se "chocada" ao ler que George C. Scott era o premiado daquele ano, e soltou um: "Meu Deus". Scott havia recusado ir à cerimônia dias antes e pediu para sair da lista dos indicados.

1974: ao vencer o prêmio de melhor ator por 'O Poderoso Chefão', Marlon Brando colocou uma atriz vestida de índia para receber o prêmio. A indígena reclamou da forma como os índios eram tratados em Hollywood. Como se não bastasse, a estatueta foi recusada.

1974: embora tenha ganhado três Oscars em sua carreira, Katherine Hepburn nunca havia apresentado a cerimônia. Ela agradeceu a Academia: "Já era sem tempo".

1974: um homem de 33 anos, identificado como Robert Opal, invade o palco completamente pelado, tirando a atenção do ator David Niven, que iria anunciar a convidada Elizabeth Taylor. Opal torna-se uma figura cultuada pelos jornalistas e fãs da cerimônia. Ele foi encontrado morto cinco anos depois, em São Francisco.
Resultado de imagem para maiores gafes do oscar woody allen

1978: Woody Allen deixou de ir à cerimônia para ir a uma apresentação de sua já extinta banda de jazz, os Ragtime Rascals, em um pub de Manhattan. Ele chegou a anunciar que "ganhar não lhe importava", sem saber que havia sido indicado para melhor diretor por seu trabalho em 'Noivo Neurótico, Noiva Nervosa'.

1980: dois impostores já receberam a estatueta do Oscar. Um se fez passar por representante da atriz Alice Brady, eleita coadjuvante de 'No Velho Chicago', levou o prêmio e nunca foi descoberto. Outra pessoa fingiu ser o diretor húngaro Ferenc Rofuz, tirou fotos no tapete vermelho e ainda concedeu um discurso emocionante.

1982: Meryl Streep deixou cair no chão o discurso que preparou para agradecer o Oscar de melhor atriz por 'A Escolha de Sofia', em 1982, e teve que improvisar.

1983: neste ano, apenas quatro produções foram indicadas para melhor filme estrangeiro. Isso aconteceu porque a Academia não considerou o filme 'Um Lugar no Mundo' como uma produção uruguaia, já que era feita em parceria com a Argentina.

1983: Zibnigiew Rybczynski, ganhador do Oscar de melhor animação por 'Tango', deixou o auditório para fumar um cigarro do lado de fora e na volta foi barrado pelos seguranças. Por ter pouco domínio da língua inglesa, não conseguiu argumentar que era um convidado e acabou algemado e preso, passando a noite atrás das grades.

1985: Sally Field foi ridicularizada em 1985 pelo discurso que fez ao ganhar seu segundo Oscar por 'Um Lugar no Coração'. Ela disse que "não era ortodoxa e que nunca sentiu o respeito de ninguém, mas agora as pessoas gostavam dela". "Vocês realmente gostam de mim", repetiu três vezes.
Imagem relacionada

1987: ao subir ao palco, Eddie Murphy reclamou e disse que a premiação não era dada a atores negros. Segundo ele, "os negros e ele mesmo não seriam capazes de levar uma estatueta". Em 2007, Murphy concorreu ao Oscar de melhor ator coadjuvante por 'Dreamgirls'.

1987: Durante a premiação em 1987, Cher se atrapalhou ao chamar o compositor Marvin Hamslich de Marvin Hammisch. Cher agradeceu seu maquiador e cabeleireiro, mas esqueceu completamente do diretor e roteirista do filme 'Feitiço da Lua', que a fez ganhar o prêmio de melhor atriz. Dias depois, pediu desculpas públicas em um anúncio publicitário na Variety.

1987: Sean Connery ganhou o prêmio de melhor ator coadjuvante em 1988 por interpretar o papel de um policial irlandês em 'Os Intocáveis'. Nas telas, porém, o ator manteve seu sotaque escocês, diferente do resto do elenco.

1987: a cerimônia do Oscar teve que ser feita sem roteiros e na base do improviso, já que o sindicato de roteiristas estava em greve.

1989: No Oscar de 1989, um número musical frustrante foi mostrado para a platéia. A atriz Eileen Bowman subiu ao palco vestida de Branca de Neve, fez um dueto desafinado com Rob Lowe e se uniu com outros artistas para mostrar o que seriam "os vencedores dos Oscars futuros". Nenhum dos atores apresentados no palco foi indicado posteriormente. Depois disso, a Disney processou a Academia por não pagar os direitos do uso da imagem de Branca de Neve.

1996: Sharon Stone subiu ao palco sem envelope em 1996 e teve que improvisar enquanto esperava que a equipe da Academia encontrasse o cobiçado papel.

1997: Com a certeza que iria ganhar o Oscar de melhor atriz por 'Titanic', de 1997, Kate Winslet foi filmada com uma expressão de choque, seguida de uma careta, ao perceber que a vencedora foi Helen Hunt, por 'Melhor é Impossível'.

2000: em forma de protesto, a cantora islandesa Björk foi a uma cerimônia do Oscar vestida de cisne, com figurino feito de arames e penas brancas. A cantora, que foi à premiação para apresentar a música 'I´ve Seen it All', parte da trilha sonora de 'Dançando no Escuro',foi severamente criticada pelos conservadores.

2002: Ao ganhar o Oscar de melhor ator por 'O Pianista', em 2003, Adrien Brody fez uma oração no palco para que o conflito no Iraque "acabasse bem", defendendo, em partes, os Estados Unidos. Antes disso, Michael Moore havia disparado críticas ofensivas ao governo de Bush, o que fez o "discurso" de Brody soar como uma provocação ao diretor.

2005: o filme de Walter Salles, 'Diários de Motocicleta', ganha o Oscar de melhor canção original com 'Al Outro Lado Del Rio', composta pelo uruguaio Jorge Drexler. O intérprete, no entanto, foi impedido de cantar sua música no palco, dando lugar a Antonio Banderas e Carlos Santana. Em forma de protesto, Drexler recebeu sua estatueta e cantou os versos da música ao invés de fazer um discurso.

2005: os organizadores da Academia abriram uma ação na Justiça contra várias empresas e cinqüenta anônimos por venderem ingressos para a maior cerimônia de Hollywood. Eles ganhavam até US$ 30 mil por cada par de ingressos dos fãs ansiosos por chegar perto de astros como Leonardo DiCaprio ou Hilary Swank.

domingo, 26 de fevereiro de 2017

No ano do centenário do levante popular que levou os comunistas ao poder na Rússia, é relançado o livro “O Túmulo de Lenin"


Resultado de imagem para o tumulo de lenin - livro


Um dos mais conhecidos livros do jornalista americano David Remnick, autor de biografias de Muhammad Ali, Barack Obama, ganhador do Prêmio Pulitzer em 1994 é relançado pela Cia das Letras

O túmulo de Lênin foi escrito a partir da experiência de Remnick como correspondente do Washington Post em Moscou de 1988 a 1991 e publicado originalmente em 1993, este livro tornou-se um clássico do jornalismo contemporâneo. 

Atual diretor da revista New Yorker, conhecida pela qualidade inigualável de suas reportagens, David Remnick foi correspondente do Washington Post na Rússia entre 1985 e 1991. Durante aqueles anos, assistiu à desintegração do império soviético e a sua transformação numa democracia turbulenta. 

As centenas de reportagens que produziu à época são a matéria prima deste relato vencedor do prêmio Pulitzer, o mais prestigioso do jornalismo mundial. Remnick esteve por toda parte. Visitou minas de carvão. Foi a estações de trem em busca de pedintes, ladrões e viajantes. 

Esteve nas fazendas da elite, foi à casa de dissidentes do governo e também registrou o relato de fervorosos antissemitas. Como num grande romance russo, todos têm o que dizer. Contradizendo uns aos outros, eles compõem um retrato exuberante de um povo ciente de que a história estava se movendo sob seus pés.

Sesc Vila Mariana SP é o palco escolhido por Zélia Duncan para lançar seu álbum de samba


 Resultado de imagem para zélia duncan canta samba em sp

Cantora faz série de shows de 25 a 28 de fevereiro com repertório do disco de sambas de Zélia Duncan “Antes do Mundo Acabar” de 2015 e reúne sambas inéditos, compostos por Zélia e vários parceiros

A cantora e compositora Zélia Duncan lança seu novo disco, “Antes do Mundo Acabar”, no teatro do Sesc Vila Mariana em uma série de shows de 25 a 28 de fevereiro. 
As apresentações acontecem de quinta a sábado, às 21h, e domingo, às 18h. Os ingressos custam R$ 50 a inteira, R$ 25 a meia-entrada e R$ 15 para a Credencial Plena.
No repertório do álbum estão nove sambas inéditos, frutos de parcerias da artista com Xande de Pilares, Pedro Luís, Zeca Baleiro e Arlindo Cruz, entre outros. Zélia Duncan também apresenta sambas de Riachão (“Por que você não me convida agora”), Paulinho da Viola (“Pintou um Bode”), Dona Ivone Lara e Delcio Carvalho (“Em cada canto uma esperança”) e Moacyr Luz (“Vida da minha vida”).

sábado, 25 de fevereiro de 2017

Os grandes desafios de quem acabou o ensino médio e se prepara para enfrentar a faculdade!


Resultado de imagem para do colegial à faculdade

Ainda que essa premissa esteja cada vez ameaçada pelas recentes decisões governamentais, no Brasil, o Ensino Fundamental é um direito constitucional, mas e prá quem consegue chegar à faculdade?

Costumo dizer que ao ingressar no ensino superior, mesmo que o aluno nada aprenda, só o ambiente acadêmico já muda a sua visão de mundo e os horizontes ganham novos contornos.

O bombardeio de informações a que os alunos são submetidos nesse novo mundo, vão balizar a maior parte das escolhas do futuro detentor de canudo de curso superior. É uma estrutura completamente distinta do colegial, pois a grade de matérias não é totalmente fixa o material das aulas não está disponível em um livro definido, mas são vários textos (que, na maioria das vezes, vai precisar procurar por conta própria) e os professores são menos acessíveis do que no colégio. Nessa nova fase onde o aluno toma consciência de que independente nas suas escolhas, acaba que a transição entre escola e Ensino Superior se torna também uma transição entre ser tratado como um indivíduo que vai exercitar o seu livre arbítrio.
Resultado de imagem para do colegial à faculdade

E tome mudanças que, apesar de sutis fazem toda a diferença como o fato de na faculdade não ser se usar uniforme. Mas há novidades que são mais transformadoras. A maioria dos novos universitários estudaram em colégios que ficam próximos das suas residências, enquanto na faculdade, pode ser necessário atravessar toda a cidade e conhecer novas áreas. 
Sem contar que, em muitos casos, torna-se necessário estudar em outra cidade em busca de melhores escolas de nível superior. Nestes casos, é o início de uma vida completamente nova, pois é preciso lidar com os desafios de morar só e longe da sua cidade natal. É outro nível de independência e responsabilidade, mas sem dúvida é o tipo de experiência enriquecedora que, certamente, ajudará no amadurecimento e formação geral.

São bastante frequentes aqueles dias aonde se chega em casa querendo descansar mas vai ter que virar a noite pra conseguir estudar pra prova do dia seguinte, sabendo que vai ter que acordar cedo e enfrentar mais um dia de correria.

Mas tem as suas recompensas. Na graduação se começa a estudar o que gosta, o que optou, ver na prática para trabalhar naquilo que sempre sonhou, além de formar grandes amizades que parecem que existem há anos. Para quem ainda não chegou lá, é comum ver as pessoas se formando no ensino médio, entrando na faculdade e isso sempre parecendo tão distante. É estranho perceber que agora chegou a sua vez, que tudo mudou e só tende a ser diferente do que um dia já foi rotineiro. O futuro nunca foi tão próximo e ele está em suas mãos!
Resultado de imagem para faculdade formatura

Pelourinho | Gil e Caetano levam fãs ao delírio no Carnaval de Salvador


Resultado de imagem para caetano & gil- carnaval 2017

Em um Carnaval onde o destaque quase sempre são músicas de gosto duvidoso e desprovidas de letra e melodias de qualidade, contar com a presença dos dois monstros sagrados do cancioneiro baiano é um privilégio

Os cantores Gilberto Gil e Caetano Veloso fizeram a alegria do folião que foi curtir a sexta-feira de Carnaval no Pelourinho. Na programação, a apresentação de Gilberto Gil já era prevista, mas a chegada de Caetano foi surpresa para o público. Acompanhado do filho Moreno Veloso, Caetano e Gil cantaram “Alegria, Alegria”,
“Ilê Aiyê” e “Olhos Negros”.

Prestando uma bonita homenagem ao eterno “Novo Baiano”, Moraes Moreira, Caetano falou da importância do músico para o carnaval baiano: "Moraes é o pai do Axé e do Carnaval moderno da Bahia".

Resultado de imagem para caetano & gil- carnaval 2017 moraes moreira

A própria expressão do tropicalismo, Caetano não estava programado oficialmente para se apresentar. Ele disse que não havia ensaiado e seria tudo no improviso, mas o delírio da multidão presente foi geral. Para encerrar o cantor e compositor cantou “Alegria, Alegria” acompanhado pelo publico e recebeu de volta “Fora Temer, Fora Temer”.

“A Tropicália deu espaço para muitas vertentes no carnaval baiano, como os blocos afros, a axé music. É maravilhoso receber essas homenagens e participar dessas homenagens,” disse Gil. Após a participação de Gil, Moreno Veloso, filho de Caetano, deu continuidade à apresentação, executando, ao lado de Cláudia Cunha, músicas em homenagem ao Olodum e ao Ilê Aiyê.

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Estreia hoje no Brasil o último filme dos Os Dardennes, "A Garota Desconhecida"

Resultado de imagem para a garota desconhecida

Fartamente laureados, os irmãos Dardennes sempre foram reis em Cannes, mas em 2016 não foi bem assim e a ‘A Garota Desconhecida’, nada ganhou

A estréia no Brasil será nesta quinta-feira, 23, em São Paulo e verificou até um pouco de vaia na sessão do filme exclusiva para a imprensa.

Aplaudido com discrição pela velha guarda de críticos da Europa, mas vaiados pelos mais jovens, o longa-metragem da dupla foi encarado como uma decepção. Na trama, uma médica em início de carreira, Jenny (Adèle Haenel), recusa-se a abrir a porta do consultório, no fim do expediente, para atender uma imigrante africana. Quando a moça é encontrada morta, a doutora embarca numa investigação para descobrir quem era ela, de modo a expurgar sua culpa.

"Existe uma palavra que anda desaparecida na prática do dia a dia, a palavra 'responsabilidade', cuja importância precisa ser resgatada", filosofou Luc Dardenne em resposta ao Omelete. "Esta é uma história de alguém que se sente responsável por alguém que mal conhece. Está aí o drama".
Resultado de imagem para a garota desconhecida

Apesar das boas intenções dos irmãos, o filme não conseguiu contagiar Cannes com o vírus da reflexão, pela narrativa excessivamente fria (e arrastada) e por deficiências na atuação de Adèle. O filme anterior dos Dardenne, Dois Dias, Uma Noite (2014), fez sucesso de bilheteria nos EUA e chegou a valer uma indicação ao Oscar de melhor atriz para Marion Cotillard. Mas, a julgar pelas resenhas americanas negativas para A Garota Desconhecida, o novo conto moral deles não terá o mesmo êxito.

"Fazemos um cinema simples visualmente, sem adereços, sem excessos de luz, para mostrar que ainda é possível crer na esperança", diz Jean-Pierre Dardenne.

Melhor sorte em Cannes teve Captain Fantastic, de Matt Ross: exibido em concurso na seção paralela Un Certain Regard, a produção americana comoveu a Croisette à força do carisma de Viggo Mortensen. O astro vive um escritor que cria os filhos na natureza, longe da tecnologia. É o favorito a prêmios da sua seleção.

Referência: Omelete

Para quem quer curtir outros ritmos, os camarotes privados saem do tradicional frevo no Carnaval de Olinda PE


Resultado de imagem para carnaval em olinda 2017 - atrações de camarotes

Que Pernambuco é a terra do frevo, todo mundo sabe. O ritmo típico é o destaque cultural do Carnaval de Olinda, mas em suas ruas históricas também se dança o maracatu, coco, samba e afoxé

Todos os anos, a cidade é decorada para homenagear algumas personalidades que ajudaram a manter a cultura e tradição do Carnaval e fica mais colorida com enfeites, bandeirolas e sobrinhas de frevo, que se misturam com as fantasias dos milhares de foliões.

A multidão não tem hora para chegar, e por volta das 9 horas, a cidade já está tomada pelos foliões. Sobre os homenageados da festa, Erasto Vasconcelos, músico instrumentista, e Luiz Adolpho Alves e Silva, presidente do tradicional Homem da Meia-Noite, são os escolhidos.

Programação do Carnaval de Olinda 2017


As atrações do Carnaval de Olinda em 2017 já foram divulgadas. O evento terá sua abertura nesta quinta-feira (23) a partir das 16h no Largo do Amparo com cortejos carnavalescos e show de Alceu Valença às 22h30 na Praça Monsenhor Fabrício, em frente à prefeitura.

Haverá programação em 10 polos oficiais. As principais atrações serão: Almir Rouche, Marrom Brasileiro, André Rio, Nádia Maia, Cristina Amaral, Nena Queiroga, Quinteto Violado, Academia da Berlinda, Banda Eddie, Karina Buhr e Ave Sangria, Orquestra Contemporânea de Olinda, além do grupo Fulô de Mandacaru.

Opção dos camarotes
Resultado de imagem para carnaval em olinda 2017 - atrações de camarotes

Enquanto o poder público persiste na manutenção do tradicional carnaval com atrações regionais, os camarotes de hás muito surfam em outras ondas como o axé musico, o sertanejo e o forró eletrônico.

Prova disso são as atrações desses espaços para 2017 que trazem nomes como Ivete Sangalo, Wesley Safadão, Alok, considerado o melhor DJ do Brasil, Matheus e Kauan, Gabriel Diniz, Jorge e Mateus e Malik Mustache.

Os ingressos têm os preços bastantes salgados, mas o folião poderá desfrutar de uma estrutura bem equipada, decoração temática, bonecos gigantes e piso easy flor, além de contar com um espaço gourmet e Open Bar com bebidas de qualidade.

Um século depois, mistérios ainda rondam o assassinato de Rasputin

Resultado de imagem para assassinato de rasputin
Certamente você já ouviu falar a respeito do curioso personagem chamado Rasputin, um místico meio maluco do início do século XX, que ganhou fama de ser quase imortal

Pois esse homem se tornou uma figura bastante influente na corte russa ao final do período czarista, e foi o poder conquistado junto aos monarcas — e o ciúme que a sua posição inspirava — que indiretamente provocaram a sua trágica morte no inverno de 1916.

Monge ortodoxo russo, de seu verdadeiro nome Grigori Iefimovitch, nasceu em Prokrovskoie, junto a Tiumen, na Sibéria, em 1864 ou 1865, e faleceu em Petrogrado (São Petersburgo) em Dezembro1916. Proveniente de uma família de camponeses iletrados, adquiriu fama de santo homem e de curandeiro capaz de obrar milagres.

Por volta de 1905, a sua já conhecida reputação de místico introduzi-lo no círculo restrito da Corte imperial russa, onde consta que chega mesmo a salvar Alexis, o filho do czar, de hemofilia. Perante este acontecimento, a czarina Alexandra Fedorovna dedicar-lhe-á uma atenção cega e uma confiança desmedida, denominando-o mesmo de "mensageiro de Deus". Com esta proteção, rapidamente Rasputine, influenciando ocultamente a Corte e principalmente a família imperial russa, colocará homens como ele no topo da hierarquia da poderosa Igreja Nacional Russa. 

Todavia, o seu comportamento dissoluto, licencioso e devasso (orgias, envolvimento com mulheres da alta sociedade) dará azo a denúncias por parte de políticos atentos à sua trajetória poluta, entre os quais se destacam Stolypine e Kokovtsov. O czar Nicolau II afasta então Rasputine, mas a czarina Alexandra mantém a sua confiança absoluta no decadente monge.Resultado de imagem para assassinato de rasputin

A Primeira Guerra Mundial trará novos contornos à atuação de Rasputine, já odiado pelo povo, que o acusa de espionagem ao serviço da Alemanha. Escapa a várias tentativas de aniquilamento, mas acaba por ser vítima de uma trama de aristocratas da grande estirpe russa, entre os quais Yussupov. É envenenado num jantar a 16 de Dezembro de 1916. Durante um banquete, o príncipe Yussupov e os seus amigos ofereceram a Rasputine um pudim contendo cianeto de potássio em quantidade suficiente para matar várias pessoas. Embora Rasputine tenha comido grande quantidade desse pudim, ele não morreu. 

Por esse motivo, e pelo fato de serem atribuídos poderes satânicos ao monge criou-se uma lenda de sobre naturalidade . A lenda só foi desfeita em 1930, quando foi descoberto que alguns açúcares, como a glicose e a sacarose, se combinados com o cianeto, formam uma substância praticamente sem toxicidade, denominada cianidrina. 

Posteriormente, Rasputine teria sido fuzilado, sendo atingido por um total de onze tiros, tendo no entanto sobrevivido; foi castrado e continuou vivo somente quando foi agredido e o atiraram inconsciente no rio Neva onde ele morreu, não pelos ferimentos, mas por hipotermia.

Há mais de um século, a morte de um famoso já fez o Brasil ter dois carnavais


Resultado de imagem para carnaval 1912 - brasil

Em fevereiro de 1912, o presidente Hermes da Fonseca estava com a popularidade super baixa, enfrentando desgastes por todos os lados, querendo o mínimo de problemas possíveis, muito menos em pleno Carnaval

Foi então que uma bomba caiu em seu colo às vésperas do carnaval: Barão do Rio Branco, Ministro das Relações Exteriores, homem fundamental para o desenho do mapa brasileiro, tinha morrido. Como o país iria seguir pra folia velando o amado Rio Branco?

Depois de muito matutar, Hermes, com apoio de poucos assessores, chegou à conclusão que o desejo popular - na visão dele, claro - era que o carnaval fosse adiado. Não tinha clima. Esquece. Pobre Hermes. Fez os diabos para passar a festa pra abril com a certeza que estava acertando finalmente, que teria o povo, ainda bem, ao seu lado. 
Resultado de imagem para carnaval 1912 - brasil

A turma tava triste, mas não o suficiente para deixar o carnaval pra um segundo tempo. Em fevereiro, pra desgosto do Hermes da Fonseca, o centro do Rio de Janeiro foi tomado pelos foliões. Mesmo sem os desfiles patrocinados pelo governo, a turma tava lá, batendo ponto.

Em abril, não tinha como recuar. O governo teve que honrar com a palavra e o povo honrou com a segunda presença. Festa total. O Marechal Hermes da Fonseca ainda teve que escutar a galhofa e o anseio dos foliões, que cantaram a seguinte marchinha:

"Com a morte do Barão
Tivemos dois carnavá
Ai que bom, ai que gostoso
Se morresse o Marechá”


O “Marechá” estava com a popularidade em baixa. Alguma semelhança com os dias atuais?

Referência: History


terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Litoral do extremo sul da Bahia inspira nova coleção da joalheira Carolina Neves


Resultado de imagem para extremo sul da bahia praias

A Bahia com a sua incomparável orla marítima já inspirou as mais diversas manifestações das artes e, dessa vez, foi a joalheira capixaba, Carolina Neves que bebeu nessa inesgotável fonte 

“A paradisíaca praia do Espelho, o charme das casinhas do vilarejo de Caraíva e o glamour de Trancoso me inspiraram”, conta a designer, que criou três colares em ouro e pedras.

“O colar Caraíva traz como pingente o fecho das casinhas e as pedras de turmalina rosa, esmeralda, coral, turquesa, topázio imperial, ametista, rubelita e diamantes brutos. Já, o inspirado em Trancoso traz um pingente de coqueiro em diamantes brancos e chocos e o colar Espelho vem com o pingente em peixe, jade e água marinha”.

O lançamento já está disponível no e-commerce da marca. E de 24 de Fevereiro a 03 de março estará a venda em Caraíva, na Pousada Casa da Praia.
700 km de praiasResultado de imagem para extremo sul da bahia praias
O sul da Bahia concentra um belo número de paraísos à beira-mar, onde o encontro do oceano e da vegetação faz bater mais forte o coração de quem passa por ali. Trilhar esse caminho é uma chance de se aproximar da maneira mais íntima possível do processo de formação do nosso País.

Para facilitar essa aula de história, é possível dividir o roteiro em quatro partes – da maneira como as regiões são localmente conhecidas: Costa das Baleias (da Praia dos Lençóis, em Mucuri, até a Ponta do Corumbau), Costa do Descobrimento (de Caraíva a Belmonte), Costa do Cacau (entre Canasvieiras e Itacaré) e Costa do Dendê (a partir de Maraú até Valença).
O trecho, que soma 648 km no total, atende a todo o tipo de turista: aquele que quer enfrentar trilhas para descobrir paraísos quase desertos, o que gosta de esportes radicais, o que pretende se deliciar com a culinária local (farta em frutos do mar), o que aprecia igrejas, festas regionais e monumentos históricos ou simplesmente o que está disposto a aceitar o convite da natureza para deitar à sombra de um coqueiro, olhando para o mar.
Referência: Estadão

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Lana Del Rey registra nova música e aumenta expectativas para o álbum de 2017


Resultado de imagem para lana del rey novo album 2017


 Lana Del Rey está mesmo se preparando para lançar um novo álbum em 2017 e o registro de mais uma música, intitulada “Young In Love”, aumentou os burburinhos na grande rede


O site do canal francês MCM divulgou recentemente uma lista com os 18 (dezoito) álbuns mais aguardados de 2017, e o próximo álbum de Lana Del Rey, ainda sem título e data de lançamento divulgados, não poderia ficar de fora.

Após o bom, mas não excelente Honeymoon, Lana Del Rey deixou o centro das atenções — e isso não é uma coisa ruim. Há rumores de que ela gravou novas canções para um álbum previsto para este ano de 2017. Se o mesmo for tão incrível quanto o Born To Die e Ultraviolence, teremos um incrível presente.

Confira abaixo a lista completa: 

Katy Perry;
Chris Brown;
Taylor Swift;
Lana Del Rey;
Miley Cyrus;
Lorde;
Kendrick Lamar;
Kanye West;
Madonna;
Jay Z;
Tinashe;
Charli XCX;
Justin Timberlake;
Kesha;
N.E.R.D.;
Niall Horan;
Ed Sheeran;
Iggy Azalea.

Estudioso da sétima arte, Rubens Ewald faz prognósticos sobre o Oscar 2017


Resultado de imagem para oscar 2017 - rubens ewald filho

Há quem diga que ver a festa do Oscar sem os pertinentes comentários de uma das maiores conhecedores de cinema do país, chega a ser frustrante e, com o seu estilo único, Rubens fala sobre preferências e aversões pelos candidatos que protagonizarão o grande evento do cinema da indústria do cinema

Com a partida de José Wilker para outra dimensão, a memória do cinema ficou mais pobre, mas o mestre maior, crítico de alta credibilidade, com mais de 27 mil filmes assistidos, Rubens Ewald Filho está aí para nos informar com a sua usual cultura da sétima arte.

Na sua nova atividade, - é secretario de cultura de Paulínia SP, a cidade, que teve vistoso festival de cinema instituído em 2008, mas que amargas duas interrupções na programação de uma festa que, em 2014, foi orçada em R$ 3,5 milhões, ele não esquece o mundo cinema.

Aos 71 anos, o também dramaturgo Rubens não faz drama, com os encargos da nova função. “Não sou político”, sublinha ele que, independentemente de vocação política, está, sim, empenhado com a tarefa de secretário e, desde já, alardeia a vontade de reavivar o festival de cinema.

32 anos de Oscar
Resultado de imagem para oscar 2017 - rubens ewald filho


Fora da esfera dos problemas burocráticos, Rubens Ewald Filho quer saber mesmo é de festa, e já preparou o smoking: no próximo domingo, comandará os comentários da cerimônia do Oscar, que chega à 89ª edição. O crítico e apresentador contabiliza 32 participações no evento que chega às tevês brasileiras. É figurinha tão marcada que chegou ao apelido de “o homem do Oscar”, além de ter publicado, há mais de década, O Oscar e eu.

Em entrevista ao Correio Braziliense, Rubens Ewald fala das expectativas com a festa, do colorido divergente previsto com o governo de Donald Trump, e de ausências sentidas na lista da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, entre as quais as das atrizes Sônia Braga (notável, em Aquarius, mas ignorada no corte final do Oscar) e de Amy Adams, que teve visto para o Oscar cancelado com o exitoso A chegada. “Amy Adams é daquelas de quem todo mundo é fã. Também a vejo como uma gracinha. Ela ainda terá muitas chances, no Oscar, como todos esperam”, observa Rubens.

Amante da era dos musicais, o crítico não esconde a predileção pela produção La la land – Cantando estações, entre os finalistas a melhor filme. Respeitoso e admirador do histórico da velha guarda de Hollywood, ele não encoraja “desrespeitos” como aquele muito comum de chamá-los de “velhinhos”, quando o tema é o da seleta comissão dos pré-candidatos a melhor filme estrangeiro, que tanto castiga diretores brasileiros. “Acho ofensivo ver os criadores e grandes diretores ainda vivos serem chamados de velhinhos! (risos). Certamente, entendem muito mais de cinema do que esses imbecis que fazem um filme mais ou menos que engana os outros, e depois somem para todo sempre”, esbraveja.

A íntegra da entrevista pode ser lida no www.correiobraziliense.com.br

Referência: CB

domingo, 19 de fevereiro de 2017

‘Oscar 2017’: ‘Um Limite Entre Nós’, com Viola Davis, estreia no Brasil no próximo dia 02.03


Resultado de imagem para UM LIMITE ENTRE NÓS - DENZEL.


O filme estrelado por Viola Davis e Denzel Washington, Um Limite Entre Nós – Fences no título original -, já tem data de estreia no Brasil e promete ótima receptividade entre os cinéfilos nacionais
Já não era sem tempo! Quase dois meses após ter estreado nos Estados Unidos, Um Limite Entre Nós finalmente ganhou data de estreia no Brasil: 2 de março.

Indicado 4 vezes ao Oscar 2017, Um Limite Entre Nós pode render a primeira estatueta de ouro à Viola Davis. Indicada na categoria “Melhor Atriz Coadjuvante”, Davis segue invicta nesta temporada de premiações: venceu a categoria no SAG Awards, BAFTA Awards, Globo de Ouro e Critics’ Choice Awards.

Com isso, Viola está cada vez mais próxima de vencer seu primeiro Oscar. Tendo sido indicada outras duas vezes em sua carreira, Davis bateu um recorde importante e se tornou a primeira atriz negra a receber três indicações à premiação.
Origem em peça de teatroResultado de imagem para UM LIMITE ENTRE NÓS - DENZEL.
Baseado na aclamada e premiada peça teatral homônima, de autoria de August Wilson, Um Limite Entre Nós se passa em Pittsburgh na década de 1950, e conta a história de Troy Maxson (Washington), um homem que trabalha como catador de lixo e sonha em se tornar um jogador profissional de beisebol, mas foi julgado 'muito velho' quando a Grande Liga passou a aceitar atletas negros. 
Amargurado pela oportunidade perdida, Troy cria tensão dentro de sua família quando tenta acaba com as chances do filho de conhecer um recrutador de futebol para a universidade.
Um Limite Entre Nós é estrelado e dirigido por Denzel Washington e está indicado a Melhor Filme, Melhor Ator, Melhor Atriz Coadjuvante e Melhor Roteiro Adaptado no Oscar, e tem reais chances de vitória para Viola Davis (atriz coadjuvante) e Denzel Washington (ator).