domingo, 18 de dezembro de 2016

O octogenário Galo Preto lança "Histórias que Andei", seu primeiro álbum


Resultado de imagem para galo preto musico

Pouco conhecido fora de Pernambuco, mas uma verdadeira lenda viva da música no seu estado, Galo Preto lança aos 82 anos, "Histórias que Andei", seu 1º disco 

 Com mais de 300 músicas compostas, d
esde 2011, ele é considerado patrimônio vivo de Pernambuco, tendo se apresentado ao lado de gigantes como Luiz Gonzaga, Jackson do Pandeiro e Cauby Peixoto. Esteve em programas campeões de audiência, como "Chacrinha" e "Flávio Cavalcanti". E, por incrível que pareça, só lança seu primeiro disco agora, aos 82 anos.

Galo Preto tem uma resposta simples para tanto tempo até chegar ao registro fonográfico. "Não dava tempo", ele diz. "Eu viajava para o Rio e para São Paulo, cantava, aparecia na TV, mas depois já voltava para Pernambuco. Ia embora antes de acertar um disco."

Segundo ele, atualmente tem um produtor que acredita nele, Hugo Nascimento. "Ele colocou o disco no meu caminho." O álbum "Histórias que Andei" foi viabilizado pelo Rumos Itaú Cultural, programa de fomento de arte e cultura que recebe inscrições anuais. Desde 1997, 1.300 projetos já foram apoiados pela instituição em todo o país.
Lançamento em SPResultado de imagem para galo preto musico

Por isso, o show que marca o lançamento do disco em São Paulo será neste sábado (17), no teatro do Itaú Cultural. Galo Preto promete cantar as 12 faixas do álbum, mas não exatamente como estão gravadas.

"Das minhas músicas eu guardo escrito apenas o refrão de cada uma. O resto da música eu canto na hora", explica. Essa improvisação constante às vezes muda bastante suas canções de embolada, samba e coco. "Quem tem o disco ouve ali como foi naquele dia da gravação. No show, vai ser diferente, é assim que eu faço."

Mestre Galo Preto é o nome artístico de Tomás Aquino Leão, nascido no Quilombo Rainha Isabel. A cidade é Bom Conselho de Papacaças, no agreste pernambucano. Quando menino, sua família não o incentivava a fazer o que mais gostava -jogar bola e cantar. A pressão só funcionou para tirá-lo do futebol.

Aos 12 anos, ele foi descoberto pelo poeta Ascenso Ferreira (1896-1965), que o levou para cantar na Rádio Clube de Pernambuco. "Nunca mais parei", diz, rindo, do alto de seus 70 anos de carreira. "Se as pessoas gostarem do show, vai ser ótimo. Se ninguém aparecer, tudo bem, estou realizando um sonho", diz o mestre humilde.

Serviço:
MESTRE GALO PRETO - lançamento do CD "Histórias que Andei”
  • QUANDO: sábado (17), às 20h
  • ONDE Itaú: Cultural, av. Paulista, 149, tel. (11) 2168-1776
  • QUANTO: grátis (ingressos distribuídos uma hora antes do espetáculo)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após análise.
Obrigado!