sexta-feira, 30 de setembro de 2016

Encontrados em mãos da máfia na Itália quadros de Van Gogh roubados há 14

Resultado de imagem para van gogh obras encontradas na italia
Dois quadros de Van Gogh roubados em Amesterdã há 14 anos foram recuperados pela polícia italiana, no âmbito de uma investigação ao crime organizado: estavam na posse de máfia de Nápoles
O museu já verificou a autenticidade e garante que estão em bom estado, embora com alguns danos e sem as molduras. "Depois de tantos anos já não nos atrevemos a esperar numa possível recuperação. Temos um grande dívida de gratidão" para com as autoridades italianas e holandesas, afirma o diretor do museu, Axel Rüger, numa declaração que irá ler em conferência de imprensa e que já foi disponibilizada.

Dos dois quadros roubados, Seascape at Scheveningen é particularmente raro. Trata-se de uma das tuas cenas marinhas pintadas por Van Gogh na Holanda e "um importante exemplo do estilo inicial de Van Gogh, no qual ele já parecia bastante único", de acordo com o museu. Esta tela apresenta um rasgão no canto inferior esquerdo, também de acordo com a instituição, citada pelo jornal britânico The Telegrapgh.

Congregation leaving the Reformed Church in Nuenen é um quadro de Van Gogh pintado para a sua mãe. Retrata a congregação para a qual trabalhava o pai do pintor. Foi terminado já depois a morte, em 1885. Aparenta estar em boas condições de conservação.

O roubo

Os dois quadros foram roubados no início do século XXI por ladrões que usaram um escada para entrar no museu pelo teto. Penetraram no edifício descendo por uma corda.

Dois homens foram condenados pelo roubo dos quadros, em parte graças a análise de ADN, que os punham na cena. Cumpriram 4 anos e 4 anos e seis meses de pena, respetivamente, mas os quadros nunca tinham sido encontrados.

A descoberta dos quadros
Se bem que ainda não se saiba quando serão devolvidos ao museu a que pertencem, já se conhecem alguns detalhes da operação para a sua recuperação: trata-se de uma investigação de larga escala levada a cabo por procuradores italianos e agentes da luta contra o crime organizado.

Os quadros foram encontrados numa rusga contra um clã da camorra napolitana.

Além dos quadros, a polícia italiana afirma que foram encontrados bens no "valor de dezenas de milhares de euros", que se encontravam nas mãos do grupo, também envolvido no tráfico de cocaína.

Fonte: www.dn.pt

Em "Cinco Esquinas", Mario Vargas Llosa aborda os nefastos efeitos da imprensa marrom


Resultado de imagem para cinco esquinas - mario vargas llosa

 No último mês de março, o escritor peruano e top 5 da literatura sulamericana, Mario Vargas Llosa, completou 80 anos de vida. Ele afirma estar vivendo um período que o surpreende por tantas mudanças e aventuras. Recentemente, Llosa assumiu seu novo romance com Isabel Preysler (ex-esposa de Julio Iglesias) e concluiu mais um livro que acabou de lançar, “Cinco Esquinas”

A nova obra de Llosa, Cinco Esquinas, leva o nome de um bairro muito antigo de Lima e ocorre no final da ditadura Fujimori [final dos anos 1990]. Trata-se de um thriller em que o principal tema é o jornalismo, mostrando como a imprensa amarela ou marrom, a do escândalo, tem efeitos nefastos.

Seu romance com Preysler foi ao encontro da temática de Cinco Esquinas, tendo gerado mais polêmicas do que o Nobel de Literatura gostaria. O escritor acabou se envolvendo em brigas com o jornal The New York Times, que publicou informações falsas com base em um tabloide norte-americano. 

Llosa diz que acabou sendo vítima de algo previsto em outra de suas obras, A Civilização do Espetáculo, homônima à sua conferência ao Fronteiras: "pois coube a mim vivê-la! É um livro que escrevi porque realmente acho que é um problema do nosso tempo, e logo certas circunstâncias da minha vida privada fizeram com que vivesse de dentro, do coração mesmo, A Civilização do Espetáculo."

Em entrevista no ano passado, Llosa afirma: “Em Cinco Esquinas, como nos romances anteriores, a prosa trata de ser invisível, de desaparecer atrás da história que conta para que seja a história que pareça viver por si mesma. O método flaubertiano, que sempre foi o meu. Mas tinha um problema para resolver: a diversidade que a sociedade peruana tem; os peruanos de uma classe social elevada, os da classe média e os de um meio popular não falam exatamente da mesma maneira, há muitas diferenças e modismos. Há uma natureza da linguagem que expressa claramente essa situação social, econômica ou cultural, é algo que tive muito presente e, ao mesmo tempo, evitei muito ser folclórico, que a maneira de falar fosse ao final mais importante do que o próprio personagem, que se destacasse solta do próprio personagem. Não, é algo sobre o qual sempre fui contra e acho que minha geração foi uma geração de escritores que reagiu muito contra isso, a exploração da cor local, contra essa espécie de strip-tease linguístico que tornava toda literatura localista. Foi um trabalho de linguagem para que fosse o mais invisível possível, mas que, ao mesmo tempo, servisse muito para mostrar as diferenças sociais, econômicas e culturais de uma sociedade tão complexa e diversa como a peruana”.

MARIO VARGAS LLOSA
Resultado de imagem para cinco esquinas - mario vargas llosa

Mario Vargas Llosa além de jornalista, dramaturgo, ensaísta e crítico literário, é um escritor consagrado internacionalmente. Nascido em Arequipa, no Peru, em 1936, ganhou notoriedade literária com a publicação do premiado romance A Cidade e os Cães (1961). Mudou para Paris nos anos 60, e lecionou em diversas universidades americanas e europeias, ao longo dos anos.

Com uma vasta produção literária, que inclui peças teatrais, ensaios e memórias, Vargas Llosa publicou sobretudo romances, entre eles Conversa na Catedral, Pantaleão e as Visitadoras, Tia Júlia e o Escrevinhador, A Guerra do Fim do Mundo, Quem Matou Palomino Molero? e Cartas a um Jovem Escritor.

Foi vencedor dos prestigiosos prêmios Cervantes, Príncipe de Astúrias, PEN/Nabokov e Grinzane Cavour. Numa incursão ao mundo da política, candidatou-se, em 1990, à presidência do Peru, perdendo a eleição para Alberto Fujimori. O autor vive entre Londres, Paris, Madrid e Lima.


quinta-feira, 29 de setembro de 2016

Evento apresenta literatura e cinema feitos por indígenas


Resultado de imagem para Mekukradjá – Círculo de Saberes de Escritores e Realizadores Indígenas

Muitos já escreveram ou produziram filmes sobre a cultura indígena no Brasil. Essas produções, no entanto, geralmente mostram o olhar do outro sobre a cultura indígenaDificilmente as pessoas que estiveram atrás das palavras escritas nesses livros ou dos personagens desses filmes eram os próprios indígenas. No entanto, essa produção literária e audiovisual existe, embora seja pouco conhecida ou divulgada no Brasil. Para mostrar essa expressão indígena na literatura e no cinema, o Itaú Cultural apresenta, até esta sexta-feira (30), o Mekukradjá – Círculo de Saberes de Escritores e Realizadores Indígenas.

Mekukradjá é uma palavra de origem caiapó – etnia que ocupa os estados do Mato Grosso e do Pará – e significa “sabedoria” ou “transmissão de conhecimentos”. A palavra foi escolhida para dar nome ao festival que se propõe a ser um ciclo de trocas.

“Como literatura e cinema, no Brasil, tem tradição de andarem juntos, decidimos fazer um encontro só e percebemos que a maioria dos escritores não conhece os realizadores e os realizadores não conhecem os escritores”, disse Claudinei Ferreira, gerente de audioviosual e literatura do Instituto Itaú Cultural. “A grande novidade é que esse encontro é uma troca de informações e de experiências entre eles”, ressaltou ele, em entrevista à Agência Brasil.

Todos os escritores e realizadores que participam do evento são indígenas e representam 11 etnias de 11 estados brasileiros. “Conhecer a produção de literatura indígena ou das artes visuais indígenas têm a mesma função de conhecer qualquer arte visual, qualquer literatura e qualquer produção audiovisual. Ela apresenta um outro jeito de ver o mundo, de ver a vida, um vocabulário específico" disse Ferreira.

Os temas abordados são bem diversos e, segundo Ferreira, trazem a expressão de cada um desses povos. “Normalmente giram em torno da expressão cultural dos seus povos – e aqui teremos 11 povos diferentes – e também da sua situação de contexto em relação ao embate com o ser humano branco ocidental”, destacou.

Mais editais

O cineasta Alberto Alvares – ou Tuparay, em guarani – nasceu e foi criado em Mato Grosso do Sul. Atualmente vive no Rio de Janeiro e vai apresentar no evento o seu filme Tekowe Nhepyrun – a Origem da Alma, gravado no Paraná. “Para mim foi uma honra participar [do evento]. Eu nunca tive a oportunidade de trazer meus filmes pra São Paulo. O filme é mais uma porta para a gente levar o nome em guarani dentro de São Paulo”, disse ele.

Tuparay já fez outros filmes e reclama da dificuldade de encontrar financiamento para a produção indígena no país. “Encontramos dificuldades para conseguir as parcerias. E também faltam editais próprios para os realizadores indígenas. Quando há um edital, engloba todo mundo e a gente, que está começando agora no cinema, acaba não sendo aprovado por causa disso”, disse à Agência Brasil.

O evento é gratuito e a programação pode ser conferida no site.


Fonte: EBC

Nova campanha do Ministério do Turismo deixa a Bahia de fora em sugestões para viajantes


Resultado de imagem para chapada diamantina

Alguma, ou algumas ‘cabeças iluminadas’ do Ministério do Turismo, acaba de lançar campanha publicitária onde elenca 15 lugares de vários estados, incluindo praias e locais históricos e nenhuma referência à Bahia, com sua extensa orla e lugares históricos que remontam ao descobrimento do Brasil

Uma campanha do Ministério do Turismo aponta lugares para se conhecer no Brasil antes de se pensar em viajar para o exterior e de 15 locais citados, nenhum é da Bahia. O vídeo cita praias de Fernando de Noronha (PE), Maragogi (AL), Jericoacoara (CE), além de outros lugares com natureza exuberante em Bonito (MS), Chapada dos Veadeiros (GO), Lençóis Maranhenses (MA).

E para quem quer arquitetura e locais históricos, a peça sugere Ouro Preto (MG), Petrópolis (RJ) e Blumenau (SC). São citados ainda Pirenópolis (GO), Estação da Luz (SP), Alter do Chão (PA), Natal (RN), Presidente Figueiredo (AM), Gramado (RS).

Má vontade ou desinformação?

A Bahia, rodeada de belezas naturais e praias paradisíacas, por incrível que pareça,ficou de fora da nova campanha do Ministério do Turismo, que começou a ser circulada na última sexta-feira (23). No estado onde a diversidade de roteiros turísticos possui desde igrejas seculares a artesanato típico das cidades do interior, atrativos para quem deseja desvendar a Bahia é que não faltam. Apenas para refrescar a memória dos técnicos de “reconhecida competência" que atuam no Ministério do Turismo, vejamos algumas das atrações que a Bahia oferece, para os mais variados gostos:


Resultado de imagem para chapada diamantina
· Chapada Diamantina – Nem só de praia é formada a paisagem da Bahia. No coração do estado está um dos mais belos cenários do país, salpicado de cachoeiras, grutas, cânions e vales. Cobiçado pelos amantes do trekking, o Parque Nacional da Chapada Diamantina tem atrações que extrapolam seus limites e se espalham por cidadezinhas que tiveram seu apogeu no final do século 19, quando a região era famosa somente pelas jazidas de diamantes.

Resultado de imagem para praia do forte
· Costa dos Coqueiros – Margeada pela Estrada do coco, a mais antiga rodovia ecológica do país, inaugurada em 1993, quando ganhou continuidade a partir da Linha Verde. Ela estende-se da Praia do Forte até o povoado de Cachoeira do Itanhim, município de Jandaíra, agora por uma extensão de 192 km, até a divisa com Sergipe. Atrações: Praia do Forte, Guarajuba, Imbassaí... Precisa dizer mais?

Resultado de imagem para porto seguro
· Costa do Descobrimento - Considerada o berço da história e da cultura do Brasil, a Costa do Descobrimento foi tombada como Patrimônio Natural Mundial pela Unesco, em 1999. Cercada por diversos atrativos naturais – como praias, baías, enseadas, falésias, recifes de corais, manguezais e rios navegáveis – a região possui condições favoráveis para a prática do turismo de aventura e ecoturismo. A jóia da coroa é Porto Seguro, mas há muito mais o que descobrir...

Resultado de imagem para morro sao paulo ba
· Costa do Dendê – Ostentando Morro do São Paulo como a mais internacional das suas atrações, a costa abrange a foz do Rio Jaguaripe e a Baía de Camamu e é um verdadeiro mosaico de praias, baías, manguezais, costões rochosos, restingas, nascentes, lagoas, rios, cachoeiras e estuários. As praias intocadas, de águas claras e quentes, com formações variadas de recifes de coral e emolduradas por vastos coqueirais, figuram entre as melhores do país nos principais guias do gênero. 

Resultado de imagem para nossa sra da boa morte
· Recôncavo - Os municípios do Recôncavo Baiano constituem-se em um extraordinário parque barroco ao ar livre. Mesmo ofuscados pelas atividades de prospecção e refino de petróleo, na segunda metade do século XX, alguns municípios ainda guardam o esplendor da época colonial. A maior expressão do barroco é a cidade de Cachoeira, que sedia uma das tradições seculares da Bahia, a mundialmente conhecida Ordem de Nossa Senhora da Boa Morte.

Necessitaríamos de uma postagem longa e enfadonha para enumerar as belezas e atrações únicas que a Bahia oferece a quem a visita, mas ficaremos apenas nessa ‘pequena amostra’ para que, na próxima campanha do MTur a mesma gafe não seja cometida.

Euriques Carneiro

quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Luiz Fernando Veríssimo | Um dos mais respeitados autores do país comemora os 80 anos com “Veríssimas”


Resultado de imagem para verissimas 80 anos

Chegando aos 80 anos de vida, Veríssimo acumula uma extensa obra, composta por romances, crônicas, textos de ficção e jornalísticos, sempre com a marca do humor e irreverência

Apesar de ser considerado uma pessoa introvertida, de pouca conversa – ele teve passagem pela TV criando quadros para o programa "Planeta dos Homens", na Rede Globo, e fazendo adaptações para a série "Comédias da Vida Privada", baseada em livro homônimo de sua autoria.

O publicitário e jornalista Marcelo Dunlop tinha apenas dez anos quando descobriu, lendo um texto de Luis Fernando Veríssimo, que até a morte podia ser engraçada. Deslumbrado com o achado e às gargalhadas, o menino recortou a crônica do jornal e passou a fazer o mesmo com várias outras. Duas décadas depois, eis aqui o resultado da empreitada: uma seleção de pérolas garimpadas em toda a obra do escritor.

Salpicada de cartuns raros recolhidos no baú do autor, esta coletânea traz cerca de oitocentos verbetes — ou Verissimas — em ordem alfabética. Conduzido e instigado por esse alfabeto particular, o leitor seguirá se divertindo de A a Z com as comparações, máximas, mínimas e metáforas do mestre do humor sintético.

Trajetória

Cronista, cartunista, ficcionista, saxofonista e torcedor fanático do Internacional, Veríssimo é autor de quase 60 livros, que já venderam cinco milhões de exemplares (entre eles, os best-sellers “O Analista de Bagé” e “A Comédia da Vida Privada”).

Filho do também autor Érico Veríssimo, ele só começou a escrever aos 32 anos, depois de ter passado por várias escolas de arte e desenho, inacabadas; de ter tentado o comércio “só para reforçar o mau jeito da família”; e de ter passado por uma rápida carreira jornalística, de revisor e colunista de jazz a cronista principal do jornal gaúcho Zero Hora.

Apesar de ser um dos autores mais lidos e admirados do país, Veríssimo ainda não se considera capaz de escrever uma “literatura com L”, como costuma dizer. “Esse tipo de literatura depende de uma ambição, de uma necessidade de escrever, e isso eu nunca tive. Quando comecei, tinha apenas a necessidade de ter uma carreira”. Para ele, “melhor que escrever, é ter escrito”.

SERVIÇO:

título: VERISSIMAS
isbn: 9788547000196
idioma: Português
encadernação: Brochura
formato: 15,7 x 23
páginas: 208
ano de edição: 2016
ano copyright: 2016
edição: 1ª


Em 'A cidade onde envelheço', diretora aborda relações históricas entre Brasil e Portugal, desde o século XVI


Resultado de imagem para a cidade onde envelheço

Teresa (Elizabete Francisca Santos) é uma jovem portuguesa que decide deixar o país para morar no Brasil. Ela vai direto para a casa de Francisca (Francisca Manuel), uma amiga também portuguesa que, há quase um ano, mora em Belo Horizonte

Por mais que tenha aceitado abrigá-la, Francisca está temerosa sobre como será o convívio entre elas, já que aprecia a solidão e a independência que dispõe. Entretanto, logo o jeito descontraído e espevitado de Teresa a contagia, nascendo uma forte ligação entre elas

"Quando eu te encarei frente a frente não vi o meu rosto
Chamei de mau gosto o que vi, de mau gosto, mau gosto
É que Narciso acha feio o que não é espelho
E à mente apavora o que ainda não é mesmo velho"

A Cidade Onde Envelheço, novo trabalho da diretora Marília Rocha, trata justamente deste sentimento, retratado a partir de duas amigas portuguesas que decidem vir morar no Brasil. Uma delas já vive em Belo Horizonte há quase um ano, enquanto que a outra acaba de chegar. 

De personalidades quase antagônicas - Francisca gosta da solidão, é perfeccionista e mais séria, enquanto Teresa é espevitada e agitada -, elas de início se respeitam e, aos poucos, desenvolvem uma dinâmica mais próxima a partir da própria convivência e da compreensão das características da outra. É neste ponto que o longa brilha, intensamente.

Bastante delicado, o roteiro do longa-metragem oferece diálogos espirituosos e envolventes, de uma naturalidade impressionante. A natureza crítica de Francisca leva a alguns questionamentos sobre o modo de ser do brasileiro, no sentido do estranhamento do diferente tão bem citado por Caetano, mas sempre com uma leveza típica de um filme solar. Por outro lado, há também uma certa melancolia, retratada pela saudade de casa e o reconhecimento íntimo de que tal desconforto nada mais é do que a dificuldade de aceitar aquilo como seu.

Fonte: adoro cinema

terça-feira, 27 de setembro de 2016

“Amazonas, Amazonas” reconstitui os passos do cineasta baiano Glauber Rocha na Amazônia em meados dos anos 60


Resultado de imagem para glauber rocha cinema


Com previsão de lançamento em 2018,O Livro-reportagem produzido pelo jornalista amazonense Rosiel Mendonça, mostra as andanças do cineasta reconstituídos a partir do documentário “Amazonas, Amazonas”

Um registro inédito da passagem do baiano Glauber Rocha pela Amazônia está retratado no livro-reportagem produzido pelo jornalista amazonense Rosiel Mendonça, com previsão de lançamento em 2018. A obra apresenta os passos do cineasta reconstituídos a partir do documentário “Amazonas, Amazonas”, gravado por Rocha, na Amazônia, entre dezembro de 1965 e janeiro de 1966.

O projeto, intitulado “Amazônya de Glauber Rocha”, foi contemplado pelo Edital Prêmio Manaus de Conexões Culturais 2015, da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult), e traz registros inéditos do período em que o cineasta esteve na região.

Segundo o autor, para fazer sua pesquisa, recorreu a diversas fontes como livros, jornais da época, acervos pessoais de Glauber (disponíveis na Cinemateca Brasileira em São Paulo e na Biblioteca Arthur Reis em Manaus), entrevistas com amigos de Glauber Rocha e com pessoas que conviveram com ele em Manaus, entre elas Luiz Maximino de Miranda Corrêa, José Gaspar e Fernando Duarte.
Resultado de imagem para amazonia, amazonia - Rosiel mendonça

“A ideia é reunir o trabalho num livro-reportagem que dê conta do contexto histórico no qual o filme foi realizado, situando essa produção na trajetória pessoal e artística do cineasta”, explicou ressaltando que quanto à linguagem, procurou fazer uma aproximação com o jornalismo literário, com a escrita mais criativa, porém, atenta aos fatos.

O baiano Glauber Rocha foi cineasta, ator e escritor, um dos mais importantes do cinema novo, movimento iniciado na década de 60. “Deus e o Diabo na Terra do Sol” (1963), “Terra em Transe” (1967) e “O Dragão da Maldade contra o Santo Guerreiro” (1969), estão entre os três filmes que marcam a carreira do cineasta que morreu aos 42 anos de idade, no Rio de Janeiro.

Rosiel Mendonça é jornalista formado pela Universidade Federal do Amazonas (Ufam), com especialização em Gestão Cultural e, atua como repórter desde 2012. Já trabalhou com pesquisas ainda na faculdade e atualmente faz mestrado em Sociedade e Cultura na Amazônia, também pela Ufam, com um projeto derivado da pesquisa de “Amazônya de Glauber Rocha”.

“Considero ‘Amazônya de Glauber Rocha’ como a primeira parte dessa obra, ainda inconclusa. A publicação do material consolidado vai acontecer apenas quando eu concluir o mestrado na Ufam, provavelmente em 2018”, finalizou.


Lançada hoje no Pelourinho, em Salvador, a revista eletrônica Flor do Dendê


Resultado de imagem para Revista Flor de Dendê

Aconteceu hoje, 27, a partir das 17h, o lançamento da primeira edição da “Flor de Dendê”, revista eletrônica do projeto homônimo especializado em cultura afro-sertaneja, uma das muitas que tornam a Bahia um celeiro de diversidade

A festa foi realizada no Museu de Arqueologia da Ufba (MAE), situado na Faculdade de Medicina do Terreiro de Jesus, um local que repleto de história e tradições da multifacetada cultura baiana que é o Pelourinho.O projeto, criado pelas jornalistas Cleidiana Ramos, Meire Oliveira, Susana Rebouças e pela designer Ludmila Cunha, vai abordar aspectos dessas culturas que permeiam o litoral e sertões baianos em linguagem multimídia. A revista terá uma tiragem trimestral, mas o portal se manterá diariamente atualizado com conteúdos diversificados como blogs, artigos, podcasts, vídeos e outras linguagens.

“Acreditamos que a Bahia tem uma diversidade étnica e, portanto, uma multiplicidade de culturas impressionante. Mas sabemos tão pouco e, às vezes, a visibilidade esgota-se no que acontece na capital e no recôncavo apenas”, afirma a jornalista Meire Oliveira. Neste primeiro número, a revista traz um conjunto de reportagens buscando desconstruir a ideia disseminada, sobretudo por questões de intolerância religiosa, de que Exu é o mal personalizado.

“Escolhemos começar por esse tema diante da injustiça que é feita a uma cultura extremamente rica e inclusiva como a de vários dos povos africanos que formam a estrutura da herança afro-brasileira. Percebemos o quanto temos que aprender com os mitos ligados a Exu, por exemplo, sobre equilíbrio, movimento e outras questões”, diz Cleidiana Ramos.

Inovação
Resultado de imagem para Revista Flor de Dendê
O Flor de Dendê nasce também articulado à novidade dos crowdfundings. Sem financiamento tradicional para montar o negócio, o grupo apostou na busca da solidariedade vias redes sociais por meio da plataforma Vakinha (https://www.vakinha.com.br/vaquinha/revista-flor-de-dende) “Quando percebemos, as conversas deram origem a um projeto que a gente tem certeza que é viável, mas não tínhamos capital suficiente. A nossa saída seria adiar para um momento em que tivéssemos condições de investir no projeto ou tentar saídas alternativas como encarar a aventura de pedir a ajuda dos amigos e interessados no que a gente estava querendo oferecer”, conta Ludmila Cunha.

A essa altura, a descoberta da paixão conjunta já não permitia recuar diante da empolgação com o projeto. “Conversando, descobrimos que acumulamos alguma experiência no tratamento desses temas e que podemos passá-la adiante de uma forma leve, apaixonada, mas sobretudo comprometida com a prática do bom jornalismo”, acrescenta. 
A Flor de Dendê ainda se propõe a produzir o conteúdo aproveitando o máximo da era digital, como explica Susana Rebouças. “A gente já começa esse projeto de uma forma inteiramente digital, tanto para as questões ecológicas, quanto para conseguirmos mais dinamismo e interatividade, que é o que as redes nos proporcionam hoje. A revista, o site, os blogs, vão estar todos linkados e cheios de conteúdos interativos para que o leitor faça tudo o que quiser dentro de uma mesma plataforma”.

Fonte: http://www.mae.ufba.br

João Bosco fará shows em Salvador BA, no início de outubro


Resultado de imagem para joao bosco em salvador 2016

Parceiro maior de Aldir Blanc fará encerramento da temporada 2016 do projeto Palco Brasil, se apresentando nos dias 1º e 2 de outubro (sábado e domingo), em duas sessões diárias, às 17h e 20h

Dentro da sua característica própria com musicalidade única, o artista executará canções clássicas do seu repertório, como "Papel Mãe" e "Incompatibilidade de Gênios", e estabelecerá diálogo direto com o público, contando causos e curiosidades de sua carreira.

Mantendo a proposta do projeto Palco Brasil, de propiciar um show em formato de bate-papo, João Bosco vai intercalar canções com memórias, onde o público terá a oportunidade de ficar mais perto do artista, conhecendo mais também sobre o processo criativo das suas composições e parcerias, como que desenvolveu com Aldir Blanc.

Com uma proposta mais intimista, durante os encontros haverá momentos em que o cantor e compositor mineiro vai ouvir lembranças dos convidados.

Os ingressos serão vendidos a preços populares, a partir das 9h do sábado (1º), para todas as apresentações, na bilheteria da própria CAIXA Cultural Salvador, na Rua Carlos Gomes, 57, Centro.

Projeto Palco Brasil

Realizado pelo segundo ano, o projeto Palco Brasil foi idealizado pela produtora Fernanda Bezerra, com o intuito de estabelecer uma relação de proximidade e diálogo entre o artista e o público.

“São momentos em que os artistas selecionam um repertório especial, que retratam seu percurso e trajetória artística. Ao longo dos concertos, o público tem a experiência de ouvir boas canções e histórias em um ambiente próximo, aconchegante” explica Bezerra.

O projeto aconteceu pela primeira vez em 2015 e contou com shows de Hyldon, Chico César e Paulinho Moska.

João Bosco faz o encerramento do projeto em 2016, que recebeu, nesta temporada, apresentações de Maria Gadu e Moraes Moreira, também no formato de bate-papos musicais. Palco Brasil é uma realização da Maré Produções Culturais, com o patrocínio da CAIXA.

SERVIÇO:

João Bosco – Projeto “Palco Brasil”

Período: 1º e 2 de outubro de 2016

Horário: às 17h e 20h (dois shows por dia)

Local: CAIXA Cultural Salvador – Rua Carlos Gomes, 57, Centro – Salvador (BA)

Ingressos: R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia)

Classificação indicativa: não recomendado a menores de 14 anos

Referência: tribuna da bahia

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Orquestra Filarmônica de Hamburgo | Concertos em SP hoje, 26 e amanhã 27, são oportunidades imperdíveis de ouvir umas das maiores orquestras do planeta


Resultado de imagem para filarmonica de hamburgo - concerto

A Orquestra Filarmônica de Hamburgo faz, nos dias 26 e 27, na Sala São Paulo, dois concertos dedicados à música germânica. O grupo será regido por Kent Nagano, nome estelar da regência internacional, e terá como solistas o violoncelista Gautier Capuçon e a mezzo-soprano Mihoko Fujimura

Em continuidade à agenda de intercâmbios com músicos das principais orquestras de todo o mundo, o Instituto Baccarelli retoma, em 27 de setembro, às 10h, sua programação de masterclasses. Dessa vez, consagrados concertistas da Orquestra Filarmônica de Hamburgo chegam à instituição de Heliópolis, em São Paulo, para uma manhã de aulas para alunos de violino, viola, violoncelo, contrabaixo, flauta, clarinete, tímpanos e percussão.

De acordo com o diretor de Relações Institucionais do Baccarelli, Edmilson Venturelli, esta iniciativa não se restringe aos alunos da entidade (distribuídos em diferentes núcleos musicais), sendo aberta a alunos de outras instituições. Venturelli destaca, ainda, que a masterclass é uma oportunidade única para os estudantes estabelecerem esse contato mais estreito com músicos que representam o ápice da excelência no contexto internacional da música erudita.

Para assistir como ouvinte, o interessado deve enviar e-mail paraeventos@institutobaccarelli.org.br até três dias antes da apresentação, indicando nome completo e a atividade em que gostaria de participar.

Masterclass

No âmbito da música erudita, a masterclass é uma atividade pedagógica paralela à rotina de ensaios e apresentações. Trata-se de um momento raro na vida do artista em que, numa atmosfera de camaradagem e cumplicidade entre músicos experientes e estudantes, os intérpretes sentem-se à vontade para colocar em prova conhecimentos e técnicas, compartilhando detalhes de sua personalidade musical e sua metodologia de estudo e, sobretudo, os estudantes podem assimilar as experiências acumuladas por músicos que, já atuantes e estabelecidos na cena musical, compartilham suas trajetórias.

Em sua proposta de intercâmbio pedagógico, o Instituto Bacarelli já promoveu masterclasses com orquestras e músicos os mais prestigiados da cena clássica internacional. Entre eles, as Filarmônicas de Viena e Bremen, Yo-Yo Ma, Julian Rachlin, Joshua Bell, Zubin Mehta, Emmanuel Pahud, Thomas Dausgaard, Peter Gülke, Frank Shipway, Yutaka Sado, Marin Alsop, Marcello Giordani, Katarina Andreasson, Antonio Meneses e Kim Bak Dinitzen, entre outros.

Orquestra Filarmônica de Hamburgo


Fundada em 1828, a Filarmônica de Hamburgo está presente em quase todas as produções de ópera e de balé desta que é uma das mais importantes cidades alemãs, mantendo, além disso, uma agenda própria de concertos (cerca de 30 por temporada). Kent Nagano, diretor musical da Sinfônica de Montreal e principal regente convidado da Sinfônica de Gothenburg, assumiu, em 2015, a direção da Ópera e da Filarmônica de Hamburgo, tendo escolhido a obra As Troianas, de Berlioz, para o espetáculo de sua estreia no comando da orquestra.

Instituto Baccarelli


Em 1996, sensibilizado por um incêndio de grandes proporções em Heliópolis, o maestro Silvio Baccarelli prontificou-se a ensinar música para 36 crianças e jovens da comunidade, como forma de diminuir o sofrimento das famílias atingidas e contribuir para a autoestima e possibilidade de educação desses menores. Como o bairro da zona sul paulistana não dispunha de local apropriado para as atividades, o maestro cedeu o próprio imóvel, o Auditório Baccarelli (localizado na Vila Clementino), para dar início às aulas.

Dos participantes desse estágio inicial, dois ex-integrantes do coral que o maestro regeu por várias décadas em São Paulo permaneceram à frente do Instituto: os irmãos Edmilson e Edilson Venturelli. Além da gestão executiva e da imagem institucional, eles foram os responsáveis pelo desenvolvimento das diferentes atividades da entidade – como encontrar o atual regente da Orquestra Sinfônica Heliópolis, Isaac Karabtchevsky – e ampliar significativamente a dimensão da instituição de ensino.

Hoje, 1.300 menores são beneficiados pelos programas socioculturais, que abrangem cinco orquestras, 14 corais, 20 grupos de musicalização, seis grupos de câmara e duas cameratas. Para a manutenção de suas atividades, o Instituto Baccarelli conta com os seguintes patrocinadores, distribuídos por categorias.

O premiadíssimo dramaturgo Nelson Rodrigues é editado pela primeira vez em Portugal


Resultado de imagem para nelson rodrigues escritor maldito

Nelson Rodrigues, o mais revolucionário personagem do teatro brasileiro, desde seu primeiro texto, A Mulher Sem Pecado (1942), foi considerado ao mesmo tempo um imoral e um moralista, reacionário e pornográfico, um gênio e um charlatão que abriu as portas à moderna dramaturgia do país 

O dramaturgo, jornalista e escritor Nelson Rodrigues, famoso por sua polêmica coluna A vida como ela é, escrita ao longo de dez anos (de 1951 a 1961), será publicado pela primeira vez em Portugal. A responsável pela publicação é Bárbara Bulhosa, 44 anos, diretora editorial da Tinta-da-China, editora portuguesa que, desde 2012, busca fazer uma ponte entre a literatura de Portugal e do Brasil.

“Acho que [o público português] vai receber o Nelson Rodrigues lindamente, porque ele é um gênio, escreve maravilhosamente e tem uma inteligência fora do comum. É um autor extraordinário que, por acaso, é brasileiro, mas podia ser inglês, alemão... Ele tem muito de brasileiro, toda aquela sacanagem, a forma do entendimento dele do relacionamento entre um homem e uma mulher. O conhecimento dele dos homens e das mulheres é uma coisa extraordinária, e isso está visível nos contos A vida como ela é de uma forma brilhante”, disse Bárbara Bulhosa.

Bárbara disse acreditar que, como ela, os leitores portugueses vão se encantar com Nelson Rodrigues. “Quando começas [a ler], não queres parar, principalmente pela sensibilidade dele, a inteligência, e o fato de ele nos perturbar, ser desconcertante. Eu acho que só um grande autor é desconcertante, mexe contigo, te irrita, te faz rir, te faz chorar. E o Nelson Rodrigues faz isso”.

Tinta da China

Foi a partir dessa experiência que nasceu a Tinta-da-China, uma editora que, ao longo dos anos, foi ganhando o reconhecimento do mercado português pela qualidade de suas publicações. Tinta da China é a expressão portuguesa para aquilo que, no Brasil, chamamos de nanquim. O nome da editora surgiu num brainstorming e tem a ver com o fato de que o nanquim não se apaga.

“E o imaginário leva-te para uma coisa antiga. O que nós tentamos fazer com os nossos livros, enquanto objetos é manter grafismo e materiais clássicos, paginações clássicas. Estamos, no fundo, a recuperar uma memória de livros antigos. Mas olhas para os livros e percebes que são modernos”, disse Bárbara.

A partir de 2012, quando entrou no mercado editorial brasileiro, Bárbara começou a publicar autores portugueses, clássicos e contemporâneos, que nunca tinham sido lançados em nosso país. Ao mesmo tempo, começou a levar para Portugal livros de autores brasileiros inéditos no país. A opção da editora é sempre trabalhar com as obras no idioma original, sem fazer adaptações.

Para a editora, apesar da alta qualidade editorial do Brasil, ainda somos um país que não valoriza os livros. “Comparativamente, mesmo em termos relativos, em Portugal lê-se mais do que no Brasil. No Brasil edita-se muito mais e a qualidade da edição é extraordinária. Aqui [em Portugal] também tem grande parte da população que não lê, mas há uma elite que lê, inclusive a elite econômica. Acho que essa é uma grande diferença. Porque no Brasil, quando vou à casa de pessoas muito ricas, não vejo uma biblioteca, vejo obras de arte contemporâneas. Aqui em Portugal, as pessoas com muito dinheiro, mesmo que não leiam, compram livros”.

domingo, 25 de setembro de 2016

Gigante de com 500 metros de diâmetro, China põe em operação o maior radiotelescópio do mundo


Resultado de imagem para radiotelescópio china


Buscando descobrir vida extraterrestre, começa a operar na China o maior radiotelescópio do mundo, que pode detectar sinais a mais de 1.300 anos-luz de distância
O maior radiotelescópio do mundo, com 500 metros de diâmetro, começou a operar no sudoeste da China, num projeto que Pequim diz que ajudará a humanidade a procurar vida extraterrestre. Centenas de investigadores chineses e de outros países assistiram ao acontecimento, o culminar de um projeto começado em 1994, segundo a imprensa oficial.

Construído numa zona montanhosa da província de Guizhou, o FAST (Aperture Spherical Radio Telescope) custou 1,2 mil milhões de yuan (160 milhões de euros) e tem o dobro da sensibilidade do telescópio do Observatório Arecibo, em Porto Rico, que com 305 metros era até agora o maior do mundo, escreve a agência oficial chinesa, Xinhua.

O telescópio, cuja construção terminou em julho, usará o seu refletor, com uma área equivalente a 30 campos de futebol, para procurar sinais de vida inteligente e para observar pulsares distantes - estrelas de neutrões muito pequenas e que giram muito rapidamente, que se acredita serem resultado de explosões de supernovas.

A China vê o seu ambicioso programa espacial, que é gerido pelas forças armadas, como um símbolo do seu progresso. Entre os seus planos está colocar em órbita uma estação espacial permanente até 2020 e eventualmente uma missão tripulada a Marte. O presidente chinês, Xi Jinping, enviou uma carta de congratulações para os cientistas e engenheiros que contribuíram para a criação do FAST.

1300 anos-luz

Resultado de imagem para radiotelescópio china

Num ensaio realizado antes do lançamento, o FAST detectou ondas eletromagnéticas emitidas por um pulsar a mais de 1.300 anos-luz de distância, segundo um dos investigadores envolvidos. Os cientistas procuram vida extraterrestre há 60 anos, apontando telescópios para o espaço à espera de descobrir sinais de outras civilizações, mas até hoje não encontraram evidências.

No mês passado, um "forte sinal" detectado por um telescópio russo em busca de sinais extraterrestres entusiasmou os cientistas, mas os especialistas dizem ser demasiado cedo para retirar conclusões sobre a sua origem.

Já o FAST poderá levar a "descobertas para além da nossa imaginação", disse à Xinhua Douglas Vakoch, presidente do METI, um grupo que envia mensagens para o espaço, em busca de vida inteligente.

A construção do FAST começou em 2011 e as autoridades recolocaram quase 10 mil pessoas que viviam nos cinco quilômetros em torno do telescópio para criar um ambiente mais silencioso, o que custou 1.800 milhões de yuans (240 milhões de euros), mais do que o próprio telescópio.

A população que ficou nos arredores será obrigada a limitar o uso de dispositivos de telecomunicações para não interferir com as operações do radiotelescópio. As autoridades exigem um 'silêncio rádio' de cinco quilômetros em torno da infraestrutura e os visitantes terão mesmo de desligar os seus aparelhos de telefonia móveis.

De ônibus, carro ou trem, descubra Banff, um paraíso encravado no Canadá


Hot springs pool. Vista superior.

Para quem acha que o Canadá é só gelo, um convite: mergulhe nas vistas das montanhas nas Termas quentes nas Montanhas Rochosas canadenses e conheça Banff, uma cidade que parece ter saído de um conto de fadas

A relaxante Banff, situada no meio das montanhas rochosas do lado canadense em Alberta, é uma cidade muito charmosa com 7,5mil habitantes. Justamente por ser uma cidade pequena, a definimos como “única”. Com pessoas muito simpáticas e dispostas a ajudar a todo tempo a cidade é movida pelo turismo que seus centros históricos e centros de esqui atraem.

Banff fica a cerca de 130 km de uma das cidades mais importantes da província de Alberta, Calgary. Uma viagem de cerca de 2 horas incrível de se fazer, seja de carro ou de ônibus, por conta das montanhas cobertas de gelo que compõem o cenário durante toda a viagem.

Atrações
Resultado de imagem para banff canada summer

· Upper hot springs pool

Descoberto em 1885o springs pool é uma das atrações mais visitadas em Banff. É uma piscina aquecida natural que se mantém aquecida e visitada há mais de 100 anos por banhistas que buscam uma experiência única.

Enquanto se banha você aproveita uma vista incrível das Rocky Mountains. Banff é a única casa no mundo de uma população raríssima de caracol que corre risco de extinção. Não se preocupe em pisar em um deles enquanto se banha pois os caracóis estão em piscinas diferentes das que o público pode usar.

Resultado de imagem para banff canada summer

· Piscinas de água 100% mineral natural, aquecidas a 40 °C

· Patrimônio Mundial da UNESCO

Mergulhe nas tranquilas águas quentes das Montanhas Rochosas canadenses, Patrimônio Mundial da UNESCO. Assista ao cair da névoa na montanha e não deixe de aliviar a tensão muscular nas Águas termais do Banff Upper, no Monte Rundle, conhecido por seu topo nevado. Entalhadas no meio das árvores e dos penhascos rochosos, as águas quentes de Radium são relaxantes naturais de tensão.

Você se aquece e depois dá um mergulho refrescante na piscina de água fria. As fontes termais Miette oferecem águas minerais resfriadas a confortáveis 40 °C (104 °F). Miette compreende uma piscina de águas quentes rasa e uma profunda, além de duas piscinas de água fria rodeadas por confortáveis espreguiçadeiras. Se você se esquecer que está no meio da floresta, conheça o carneiro-selvagem, que costuma perambular pelas imediações do estacionamento de Miette.
Resultado de imagem para banff canada summer

Ficou tentado? Faça essa viagem. Você vai se encantar por Banff pois a cidade é definitivamente um lugar agradabilíssimo.Apesar de sua tranquilidade e monotonia ser uma ótima opção para as férias dos que gostam de relaxar, a cidade também tem seu lado agitado, o que a torna levemente movimentada durante a noite.






sábado, 24 de setembro de 2016

FX | O vídeo 'exorcismo interativo' em 360º permite que o espectador interaja com a atração e tenha a experiência única de "ser exorcizado"


Resultado de imagem para FX o exorcismo interativo

Com base no clássico ‘O Exorcista’ e tendo Alfonso Herrera como protagonista, FX divulga vídeo de 'exorcismo interativo' em 360º e estreou ontem, 23

Prestes a estrear a primeira temporada de O Exorcista, o canal FX apresenta o primeiro "exorcismo interativo". O vídeo em 360º permite que o espectador interaja com a atração e tenha a experiência única de "ser exorcizado"... caso tenha coragem. “Foi instantâneo. A primeira coisa que vem em nossa cabeça quando falamos em O Exorcista é o giro da cabeça da menina exorcizada e por isso decidimos fazer um vídeo 360°. Não como um simples recurso de gravação, mas como parte de uma ideia criativa para que os fãs possam experimentar um exorcismo em primeira pessoa”, disse André Takeda, VP de Serviços Criativos da FOX.

Protagonizada por Geena Davis, Alfonso Herrera e Ben Daniels, O Exorcista mostra dois Padres, Tomás Ortega (Herrera) e Marcos Keane (Daniels), que se unem para lidar com um temível caso de possessão demoníaca. O FX exibe o primeiro episódio desta sexta-feira, dia 23, à meia-noite.

O filme de 1973

No último dia 19 de Junho de 2016, o clássico filme O Exorcista completou 43 anos, desde a estreia no cinema em 1973. O filme é considerado até hoje um marco no gênero terror e assim como A Noite dos Mortos-Vivos, O Massacre da Serra Elétrica, um dos filmes mais influentes da história do cinema. Dando origem a várias outras produções, que seguiram o mesmo passo, porém nunca a altura dessa produção, que até hoje mantêm o status de filme mais assustador de todos os tempos.


Em 2001 o filme voltou aos cinemas, com uma remodelagem, contendo efeitos especiais (mínimos), novas cenas, e restauração de imagem e mixagem de som, o resultado ficou ainda melhor do que o esperado, embora que a diferença entre as duas versões sejam mínimas. A versão de 2001, trouxe 11 minutos de cenas inéditas, incluindo a já clássica cena da descida da escada, que foi o grande destaque da nova versão. Além das cenas o visual foi levemente alterado, com um tom meio azulado, que é mais notado na parte final.

sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Festival da Primavera 2016 | Durante 10 dias, público pode curtir show a atrações em vários pontos da capital baiana


Resultado de imagem para festival da primavera salvador 2016

Criado em setembro de 2013, o Festival da Primavera, um dos momentos mais esperados dentro do calendário de eventos de Salvador, será realizado este ano entre os dias 21 e 30 de setembro, reunindo elementos de diversos segmentos culturais


Cheio de novidades, o Festival esse ano acontecerá pela primeira vez em diferentes pontos da cidade, com destaque para espaços públicos de grande importância para os soteropolitanos, a exemplo do Parque da Cidade, Rio Vermelho e Centro Histórico. Terá também atividades como a Feira da Cidade no canteiro central da Avenida Centenário, ações na Barra e na Avenida Professor Magalhães Neto. Um festival com muita música, esporte, gastronomia, lazer, teatro, dança, circo, literatura, artesanato, bikes, feiras e qualidade de vida para soteropolitanos e turistas.

Ao todo serão mais de 36h de música e mais de 100 atividades nesta 4° edição de um dos maiores eventos da cidade. Entre as ações que vão conquistar os soteropolitanos estão o show da grande voz da nova geração da MPB, a cantora e compositora Maria Gadú, e da Banda Blitz, comandada pela irreverência do cantor e ator Evandro Mesquita. Além de apresentações nos principais espaços culturais da cidade, eventos especiais no projeto Pelourinho Dia & Noite, da elaboração da 1° edição do festival gastronômico Primavera Gourmet, de uma super competição de skate, da realização do maior encontro ciclístico do ano entre diversas outras ações que prometem marcar a primavera de 2016.

As principais atrações do Festival da Primavera, que vai acontecer de 21 a 30 de setembro, são Maria Gadú e Blitz, com Evandro Mesquita e esta é a programação completa:

Quarta-feira (21)
10h às 12h - Aula de Dança Afro
Local: Casa do Benin
15h ás 17h – Personagens Vivos na Casa do Rio Vermelho
Local – Casa do Rio Vermelho
18h - Espetáculo “De Transs pra frente”
Local: Teatro Gregório de Matos
19h - Concerto da Orquestra AfroSinfônica
Local: Espaço Cultural da Barroquinha
Preços Populares

Quinta feira – (22)
9h às 12h - Ensaio de “Os Insênicos”
Local: Casa do Benin
14h30 às 17h - Projeto Made in Bahia - Slleyk da Bahia
Local: Casa do Benin
16h - Festival Primavera Gourmet - Cozinha Show
Local: Praça Caramuru -Rio Vermelho
18h - Primavera Literária - Feira de Livros
Local: Teatro Gregório de Matos
19h às 21h - Aula de Capoeira - Associação Cultural Capoeira Gangara
Local: Casa do Benin

Apresentações musicais

18h - Fernando Ferraz
Local: Terreiro de Jesus _ Centro Histórico
19h - Rixo Elétrico
Local: Terreiro de Jesus _ Centro Histórico

Sexta feira- (23)
10 às 19h - Primavera Literária - Feira de Livros
Local: Espaço Cultural da Barroquinha
10 às 12h - Segredos do Mercado - Visitas guiadas por Baianas
Local: Mercado Modelo
16h - Festival Primavera Gourmet - Cozinha Show
Local: Praça Caramuru -Rio Vermelho
18h - Primavera Literária - Feira de Livros
Local: Teatro Gregório de Matos
18h às 19h - Pôr do Sol no Mercado - happy hour com música ao vivo
Local: Mercado Modelo
19h - Poesia no Pelô com os coletivos Pé de Poesia e Poesia em Trânsito
Local: Pelas ruas, bares e restaurantes do Pelourinho

Apresentações Musicais
19h - Orquestra Arte Viva
Local: Terreiro de Jesus – Centro Histórico

Sábado (24)
10 às 19h - Primavera Literária - Feira de Livros
Local: Espaço Cultural da Barroquinha
10h às 12h - Segredos do Mercado - Visitas guiadas por Baianas
Local: Mercado Modelo
11h as 20h - Feira da Cidade
Local: Canteiro Central da Avenida Centenário
18h - Primavera Literária - Feira de Livros
Local: Teatro Gregório de Matos
19h - Música nas Esquinas com a Orquestra de Berimbaus
Local: Pelas ruas, bares e restaurantes do Pelourinho

Parque da Cidade
7h as 11h - Tai Chi Chuan / Yoga / Ginástica / Slack Line / Futebol de Bolha / Cama Elástica / Pula Pula / Moto Elétrica / Recreação Infantil
Local: Diversos locais dentro do Parque
09h as 10h - Alpha Fitness – Alongamento
Local: Tablado Gramado
09h as 17h - Minicircuito de Bike Infantil
Local: Minicircuito do Parque
10h as 11h - Alpha Fitness - Power Pneu
Local: Tablado Gramado
10h as 17h - Campeonato de Skate
Local: Pista de Skate Chorão
11h as 12h - Aula de Dança (Jaguar)
Local: Tablado Gramado
11h as 17h - Oficina Circense – Picolino
Local: Gramado
11h as 17h - Bahia Food Park
Local: Entrada do Parque

Shows no Anfiteatro Dorival Caymmi
11h - O Liberato (vencedor MUSA)
12h30 - Guga Meyra
14h – Katê
15h30 - Banda TH

Rio Vermelho
9h às 16h - IV Feira Literária- "Primavera das Letras"
Local: Calçadão da Biblioteca Juracy Magalhães Jr
A partir 10h - Feira de Flores e Artesanatos
Local: Pergolados do Largo da Mariquita
14h – Projeto Livros Livres: Vamos Libertar Poesia?
Local: Calçadão da orla
14h as 17h - Cirandando Brasil com Nairzinha
Local: Espaço Toca Raul
16h30 às 17h30 - Treinamento Funcional infantil com a Villa Forma
Local: Espaço Toca Raul
15h as 20h -Cozinha Show (com especial infantil)
Local: Praça Caramurú

Show no Largo da Mariquita
19h30 - Quabales
21h00 – Blitz

Shows no Centro Histórico
19h - Rixo Elétrico
Local: Terreiro de Jesus - Centro Histórico

Barra
11h às 19h - Recepção da Guarda Histórica da 6° Região Militar
Local: Forte de Santa maria, Barra
17h - Banda da 6ª Região Militar
Local: Forte de São Diogo – Barra

Domingo (25)
7h as 17h - Rua de Lazer
Local: Avenida Magalhães Neto
8h00- Passeio Cicloturístico da Primavera
Saída: Farol de Itapuã
9h ás 17h - Minicircuito Inflável
Local: Barra - ao lado do farol
10 às 19h - Primavera Literária - Feira de Livros
Local: Espaço Cultural da Barroquinha
10h30 às 11h30 - Domingão no Mercado com Bahia Experimental (Encontro de percussionistas)
Local: Mercado Modelo

11h as 20h - Feira da Cidade
Local: Canteiro Central da Avenida Centenário
11h - Concerto nas Igrejas com Márcio Diniz
Local: Museu da Misericórdia
18h - Primavera Literária - Feira de Livros
Local: Teatro Gregório de Matos

Parque da Cidade
07h as 11h - Tai Chi Chuan / Yoga / Ginástica / Slack Line / Futebol de Bolha / Cama Elástica / Pula Pula / Moto Elétrica / Recreação Infantil
Local: Diversos locais dentro do Parque
09h às 10h - Alpha Fitness – Alongamento
Local: Tablado Gramado
09h às 17h - Minicircuito de Bike Infantil
Local: Minicircuito do Parque
10h as 11h - Alpha Fitness – Street Dance
Local: Tablado Gramado
10h as 17h - Campeonato de Skate
Local: Pista de Skate Chorão
11h as 17h - Oficina Circense – Picolino
Local: Gramado
11h as 17h - Bahia Food Park
Local: Entrada do Parque
11h as 12h - Aula de Dança (Jaguar)
Local: Tablado Gramado

Atrações Musicais
A partir de 15h - Atrações musicais - Bonecões Mamulengos, Oficina de Frevos e Dobrados - Fred Dantas / Paroano Sai Milhó
Local: Diversos pontos no Parque
15h as 16h - Wadô Tambores Orientais
Local: Praça de Confúcio

Shows no Anfiteatro Dorival Caymmi
11h - Orquestra Soteropolifônica
12h30 - Siro Leal (Vencedor MUSA)
14h – Cantor Carllos Lima e o Pianista Josué da Paz
15h30 - Adriano Rezende

Rio Vermelho
A partir 10h - Feira de Flores e Artesanatos
Local: Pergolados do Largo da Mariquita
14h as 17h - Cirandando Brasil com Nairzinha
Local: Espaço Toca Raul
15h ás 16h – Livros Livres: Vamos Libertar Poesia?
Local: Calçadão da Orla
17h as 20h - Cozinha Show
Local: Praça Caramurú

Show no Largo da Mariquita
18h30 – Samba do Pretinho
20h30 - Maria Gadú
22h00 - Show Pirotécnico

Segunda-feira (26)
10h às 12h - Aula de Dança Afro
Local: Casa do Benin

Terça-feira (27)

14h30 às 17h - Projeto Made in Bahia - Slleyk da Bahia
Local: Casa do Benin

Quarta-feira (28)
10h às 12h - Aula de Dança Afro
Local: Casa do Benin

Quinta-feira (29)
9h às 12h - Ensaio de “Os Insênicos”
Local: Casa do Benin
14h30 às 17h - Projeto Made in Bahia - Slleyk da Bahia
Local: Casa do Benin
19h - Espetáculo “Abundância – Escandalosa”.
Local: Espaço Cultural da Barroquinha
Ingresso a Preços Pulares

Sexta-feira (30)
10h às 12h - Segredos do Mercado - Visitas guiadas por Baianas
Local: Mercado Modelo
19h - Espetáculo “Abundância – Escandalosa”.
Local: Espaço Cultural da Barroquinha / Ingresso a Preços Pulares
19h- Poesia no Pelô com os coletivos Pé de Poesia e Poesia em trânsito
Local: Pelas ruas, bares e restaurantes do Pelourinho
18h às 19h - Pôr do Sol no Mercado happy hour com música regional ao vivo
Local: Mercado Modelo
20h - Roda de Samba do Santo Antônio - Grupo Botequim e convidados
Local: Largo do Santo Antônio