sábado, 9 de julho de 2016

Peça "O Topo da Montanha", já passou por Londres, na Inglaterra e Broadway, traz Lázaro Ramos e Taís Araújo no elenco





Há quase cinquenta anos, no dia 4 de abril de 1968, o mundo se despedia de Martin Luther King Jr, o pastor protestante e ativista político que se tornou ícone por sua luta pelo amor ao próximo e pelo repúdio à segregação racial norte-americana


Montagem que já passou por Londres, na Inglaterra e Broadway, nos Estados Unidos, chega a São Paulo com direção de Lázaro Ramos e mostra que um mártir americano pode tocar o coração dos brasileiros

O Topo da Montanha, faz alusão ao último discurso de Martin Luther King (I’ve Been to the Mountaintop) realizado em Memphis, na Igreja de Mason, no dia 3 de abril de 1968, um dia antes de seu assassinato, cometido na sacada do Hotel Lorraine.

É exatamente neste cenário, do quarto 306 – e na sequência de suas derradeiras palavras públicas –, que Martin Luther King, interpretado por Lázaro Ramos, conhece Camae, encenada por Taís Araújo, a misteriosa e bela camareira em seu primeiro dia de trabalho no estabelecimento. 
Repleta de segredos, ela confronta o líder em clima de suspense e simultaneamente debochado. Deste modo, em perfeito jogo de provocações, faz o reverendo se lembrar que, como todos, é humano. Por meio do humor e da emoção, faz rir e pensar com retórica atual, seja para americanos ou brasileiros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após análise.
Obrigado!