sábado, 16 de julho de 2016

"O triunfo da cor. O pós-impressionismo": obras-primas do Musée d’Orsay e do Musée de l’Orangerie



A exposição apresenta 75 obras de 32 artistas que, a partir do fim do século XIX, buscaram novos caminhos para a pintura. O grupo formado por ícones do movimento impressionista, como Van Gogh, Gauguin, Toulouse-Lautrec, Cézanne, Seurat e Matisse 

Após o sucesso da exposição Impressionismo: Paris e a Modernidade, o Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), em parceria com a Musée d’Orsay, traz ao Brasil os mestres do pós-impressionismo na mostra O triunfo da cor. O pós-impressionismo: obras-primas de Musée d’Orsay e do Musée de l’Orangerine.

A exposição apresenta 75 obras de 32 artistas, entre eles, Van Gogh, Gauguin, Toulouse-Lautrec, Cézanne, Seurat e Matisse, mostrando os caminhos de uma geração de artistas que ficou conhecida como pós-impressionistas, aqueles que promoveram uma revolução estética pelo uso da cor.

A exposição está dividida em quatro módulos. O primeiro é A cor científica, uma seleção de obras inspiradas nos estudos de Michel Eugène Chevreul, cuja técnica consistia em aplicar na tela pontos justapostos de cores primárias e que se tornou muito conhecida nas mãos de Van Gogh.

O segundo módulo, No núcleo misterioso do pensamento. Gauguin e a escola de Pont-Aven, inclui obras de Paul Gauguin e Émile Bernard a partir de uma pintura sintética, com cores simbólicas e a presença de desenhos nos contornos e silhuetas, refletindo mundo interior e poético.

No módulo três, Os Nabis, profetas de uma nova arte, o tema é a ideologia de um grupo de artistas que defendia a origem espiritual da arte, utilizando a cor como elemento transmissor dos estados de espírito. Já o quarto e último módulo, chamado A cor em liberdade, apresenta obras de artistas do final do século 19 e início do século 20, com inspirações que vão da Provence à natureza tropical.

Com curadoria de Guy Cogeval, presidente do Musée d’Orsay; de Pablo Jimenéz Burillo, diretor cultural da Fundación MAPFRE; e de Isabelle Cahn, curadora do Musée d’Orsay, a mostra pretende repetir o feito da exposição Impressionismo: Paris e a modernidade, que foi a terceira mais visitada do mundo, em 2012, e marco de uma nova relação do público com as artes e grandes nomes da pintura.

As obras que estarão expostas, criadas a partir da influência do movimento impressionista do fim do século 19, oferecem ao público a oportunidade de conhecer alguns ícones de um importante momento da história da arte e de poder ver de perto algumas das obras mais emblemáticas dos últimos tempos.

O triunfo da cor é mais uma exposição histórica sobre arte moderna e ficará em cartaz, no CCBB de São Paulo, até 7 de julho. Depois, irá para o CCBB RJ, podendo ser visitada de 20 de julho a 17 de outubro. Mais informações estão disponíveis no site do CCBB.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após análise.
Obrigado!