segunda-feira, 11 de julho de 2016

Evento 'Tonico 180' celebra os 180 anos do maestro Carlos Gomes



Artistas de diferentes linguagens se unem nesta segunda-feira (11) para homenagear o autor de “O Guarani”, o maestro Antônio Carlos Gomes no dia de seu aniversário

Nesta segunda, comemora-se os 180 anos de nascimento de Carlos Gomes, o campineiro mestiço que escreveu seu nome na história da música operística mundial.

A data serve de mote para uma reflexão sobre um trecho de uma das mais conhecidas peças do compositor: “Tão longe de mim distante, onde irá teu pensamento?”.

Essa é a proposta do evento 'Tonico 180', que prevê uma série de ações na Praça Bento Quirino, no Centro de Campinas, onde se encontra o monumento-túmulo do maestro, e marca o início das gravações do longa-metragem 'Bravo', sobre a vida do artista.

O filme, da TAO Produções Artísticas, tem direção de Teresa Aguiar e Ariane Porto, que também assina o roteiro junto com Ricardo Grynszpan, e tem no elenco nomes como Lima Duarte, Laura Cardoso e Luiz Carlos Vasconcelos, que estarão presentes no evento.

Além deles, a pianista Sonia Rubinsky, campineira radicada em Paris, que veio à cidade para o concerto 'O Selvagem da Ópera', do projeto 'Viagens entre Mundos', do Circuito BNDES Musica Brasilis, vai fazer uma participação especial, tocando um solo para piano do compositor. O ator-mirim Matheus Braga, a soprano Ana Beatriz Machado e o escritor Jorge Alves de Lima são outros nomes confirmados no encontro, que terá ainda leitura de trechos do roteiro com atores campineiros, grupo de dança e participação da Associação Brasileira Carlos Gomes de Artistas Líricos (Abal), Academia Campinense de Letras (ACL), Academia Campineira de Letras e Artes (ACLA), Centro de Ciências, Letras e Artes (CCLA) e de membros da comunidade acadêmica da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

“Vamos ocupar a praça para homenagear o artista que foi o primeiro herói nacional, que tornou o nome do Brasil e de Campinas conhecidos no mundo. Comemoramos a vida dele e damos início a gravação do longa”, afirma Ariane Porto. “A proposta é tirar Carlos Gomes do lugar em que foi colocado, acessível apenas ao mundo erudito, e trazê-lo para o universo popular, mostrar o que ele tem de brasileiro, de povo. Não só a obra, mas a vida do maestro, é inspiradora”, reforça a diretora.

O longa venceu, em 2013, o prêmio de Roteiro Profissional promovido pela Agência Nacional de Cinema (Ancine) e governo Italiano. Conhecido como Nhô Tonico, Carlos Gomes (1836-1896) fez carreira de destaque na Europa, sendo o primeiro brasileiro a ter suas obras apresentadas no Teatro alla Scala de Milão e tornando-se o mais importante compositor de ópera do Brasil de todos os tempos.

“A necessidade de apresentar essa trajetória e suas relações com a história do Brasil se faz presente para que a sociedade brasileira conheça e valorize adequadamente o grande maestro e compositor que foi Carlos Gomes, que enfrentou as dificuldades de sua origem humilde — filho do músico Manuel José Gomes (Maneco) e Fabiana Jaguari Gomes, a quem ele perdeu tragicamente ainda criança”, ressalta Teresa Aguiar.

Segundo Ariane, “a grandiosidade de sua obra artística é fruto de um talento nato e incomparável, aliado a uma grande dedicação e trabalho árduo, que se sobrepôs às dificuldades de uma vida marcada pela luta”. Para a diretora, a escassez de material e de conhecimento do grande público sobre a vida e obra do maestro faz com que esse projeto se torne essencial. “Infelizmente, o Brasil não tem o hábito de cultuar seus heróis. E Campinas não foge à essa triste regra. Parece que temos vergonha de sermos quem somos, de nossa origem, de nossas lutas, até mesmo de nossas vitórias.”

“Várias questões me animaram neste projeto. Primeiro por falar desse artista tão importante e não devidamente conhecido pelos brasileiros. Também por essa coisa louca de ‘vamos fazer’, mesmo sem apoio institucional. E também por ter no elenco artistas como Lima Duarte e Laura Cardoso, tão importantes na dramaturgia brasileira”, diz Luiz Carlos Vasconcellos. Ele dará vida a Carlos Gomes adulto e Lima Duarte interpreta o compositor no fim da vida. “Agregar a questão do artista em si também é importante, porque ajuda a refletir sobre sua visão do mundo e o tanto que ele colabora para elevar a condição humana.”

'Tonico 180' será um encontro de pessoas e grupos para refletir sobre a arte e o papel dos artistas na contemporaneidade. O evento começa de manhã e terminará às 17h, com a lavagem simbólica do Monumento-Túmulo de Carlos Gomes.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após análise.
Obrigado!