sábado, 18 de junho de 2016

Salvador BA | Para evitar a total degradação do acervo, 800 obras de Mário Cravo são recolhidas do Parque de Pituaçu



Impedido de abrir a galeria para o público, Cravo assistiu incrédulo à depreciação de algumas das 800 esculturas doadas ao estado e agora recolhidas para que não se acabassem de uma vez por todas

Após anos de descaso e em estado de quase total abandono, o Memorial de Mario Cravo, no Parque de Pituaçu, está com os dias contados. O Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural - Ipac, decidiu retirar de lá 800 obras que pertencem ao acervo do Estado da Bahia. As obras serão transportadas para o Palacete das Artes e, algumas das esculturas maiores, expostas nos jardins do museu, na Graça. De acordo com Murilo Ribeiro, diretor do espaço, algumas das peças passarão por um processo de limpeza e a previsão é que, após o Carnaval de 2017, sejam expostas.

Localizada na entrada do Parque Metropolitano de Pituaçu, a galeria da Fundação Mário Cravo Júnior, com mais de 200 obras do artista de 91 anos, está fechada à visitação pública desde 2014, por deficiências no espaço de 500 metros quadrados.

O local, usado pelo projeto de educação criado pelo artista há 20 anos, costumava receber um público variado, com foco principal nos estudantes. Mas apresenta infiltrações, telhas quebradas (e ausentes), concreto em vias de cair do telhado e sujeira de pombos que se espalham por telhado e janelas..

História de Mário Cravo.


Considerado um dos artistas que mais estimularam e promoveram a valorização dos elementos culturais populares na produção de arte, notabilizando-se na escultura, na qual explora materiais diversos como madeira, pedra, metais e plásticos, mas tendo também desenvolvido rica produção em gravura, assim como em murais e esculturas dispostas em espaços públicos. 

Seu vasto percurso artístico congrega mais de 50 exposições individuais no Brasil e exterior, inúmeras coletivas, dentre as quais sete Bienais Internacionais de São Paulo e participação nas 26ª e 30ª edições da Bienal de Veneza, na Itália.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após análise.
Obrigado!