terça-feira, 21 de junho de 2016

O caboclo sonhador Maciel Melo: um dos mais versáteis e profícuos compositores do Nordeste



Música que narra parte da sua história pessoal, “Caboclo Sonhador” é um marco na vida de Maciel Melo que alcançou grande sucesso nas vozes de Flavio José e Fagner. “Minha vida é uma antes de Caboclo Sonhador e outra, depois dela isso porque a música é muito pessoal, ela é como se fosse uma carta à minha família, no auge dos meus 20 anos”, revela Maciel

O pernambucano de Iguaraci, cidade do sertão pernambucano, a 363 km do Recife, sempre teve a música como referencia já que o pai, tocador de sanfona, ensinou-lhe desde cedo que o autêntico forró pé-de-serra não se limita a sanfona, zabumba e triângulo. Vale utilizar também o violão com baixos, sopros, cavaquinho, banjo e até guitarra elétrica.

Trilhando pela música regional, Maciel Melo virou uma referência para onde se voltam tantos cantores do gênero, que vivem na região, ou os que emigraram para o sudeste: Xangai, Santanna, os citados Flávio José e Fagner, Zé Ramalho, Elba Ramalho.

O primeiro disco de Maciel Melo, "Desafio Das Léguas", foi lançado em 1989. Um disco ousado para um desconhecido, com participações de Vital Farias, Xangai, Dominguinhos e Dércio Marques, que comprovam o seu talento. Sete anos depois o álbum "Janelas" deu continuidade ao trabalho iniciado com dificuldade. No ano seguinte (1997) ele gravou o disco "Retinas".

"Só Forró"


Em 1998 o artista participou do primeiro número da coletânea Só Forró, pela Kuarup. O álbum conta com a participação de grandes artistas nacionais, como Sivuca, Xangai, Dominguinhos, Marines e Petrúcio Amorim. Em 1999 Maciel gravou o disco "Jeito Maroto"; em 2000, "Isso Vale um Abraço"; em 2001 lançou "Acelerando o Coração". Ainda no mesmo ano ele emprestou seu talento à coletânea Só Forró II (Kuarup). Nesse CD Maciel Melo gravou ao lado de nomes como Jackson Antunes, Juraildes da Cruz, Heraldo do Monte, Dominguinhos e Genaro. Já "O Solado da Chinela" foi gravado em 2002.

A temática de suas letras é fundamental para a continuidade do forró que teve as bases assentadas por Gonzagão. Não menos importante, o forró de Maciel Melo é feito para dançar. Não tem nada de forró pé-de-serra de ocasião, universitário da moda, moderno produzido em linha de montagem. É simplesmente atemporal, como toda grande música que se preze.

Livro e DVD


A Poeira e a Estrada foi tema de livro e DVD de Maciel Melo, lançados ano passado. O livro conta a história de “Neguinho de Heleno”, personagem de si. Já o disco te várias parcerias com cantores e amigos próximos como Cezzinha, Xangai, Chico Cesar. Paralelamente à escrita de o “O beco”, uma história que acontece no Recife Antigo, o artista continua compondo várias canções, contando com a parceria de nomes como Nando Cordel, amigo de anos, mas que só agora se juntaram para fazer a letra juntos.

"Velho Chico"


Neste ano, Maciel Melo enveredou pelos caminhos da teledramaturgia, participando como repentista na trama da novela Velho Chico, ao lado do seu compadre e amigo de longas datas, Xangai. Não é a primeira experiência do músico na televisão. Durante a carreira, ele já apresentou programas musicais em emissoras locais. "Isso me deixou desinibido durante as gravações", recordou Maciel, em recente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após análise.
Obrigado!