domingo, 19 de junho de 2016

O 1º ENCONTRO NA MANTIQUEIRA – LITERATURA EM FOCO DE SFX ACONTECEU NESTE FINAL DE SEMANA





O 1º Encontro na Mantiqueira - Literatura em Foco - São Francisco Xavier, foi realizado neste final de semana com atividades gratuitas e substitui o Festival da Mantiqueira - Diálogos com a Literatura, que estaria em sua nona edição, mas foi retirado do calendário de eventos. pela Secretaria Estadual de Cultura SP 


A comunidade do distrito de São Francisco Xavier apropriou-se da iniciativa e conta com o trabalho voluntário de moradores e simpatizantes de São Francisco Xavier, assim como de comerciantes, restaurantes e pousadas locais. É apoiado também pela prefeitura de São José dos Campos, Fundação Cultural Cassiano Ricardo e várias entidades.

Sexta-feira (17)

Abertura

A abertura foi conduzida por Marli Portela, da FCCR (Fundação Cultural Cassiano Ricardo), de São José dos Campos, na sexta-feira (17), às 19h30, na tenda principal, na Praça de São Francisco Xavier. Em seguida, houve show musical com a Orquestra Possível, formada exclusivamente por músicos de São Francisco Xavier. Trabalho comunitário, sob a regência de Daniel Gonçalves.

Sábado (18)

Voz ao silêncio
No sábado (18), na tenda principal, foi a vez das Mesas Literárias. Da primeira rodada de debates, sob o tema “O ofício de dar voz ao silêncio”, participaram o ficcionista, poeta e historiador Victor Leonardi, que escreveu e publicou 20 livros, entre contos, poesia e ensaios. Também é autor de uma peça de teatro e roteiros para cinema. Ele vai dividir a mesa com a jornalista e escritora Daniela Arbex, que é reconhecida por seu trabalho como repórter investigativa. É autora do best-seller “Holocausto brasileiro”, eleito Melhor Livro-Reportagem do Ano pela Associação Paulista de Críticos de Arte (2013) e segundo melhor Livro-Reportagem no prêmio Jabuti de 2014. Com mais de 150 mil exemplares vendidos no Brasil e em Portugal, a obra deve ganhar as telas da TV este ano, no documentário produzido com exclusividade para a HBO, com exibição prevista em mais de 20 países.

Liberdade de expressão
No mesmo sábado (18), ocorreu a mesa "Literatura e liberdade de expressão", que teve a participação do jornalista e escritor Audálio Dantas, que é autor de 12livros, entre os quais “As duas guerras de Vlado Herzog” (Grupo Record/Civilização Brasileira, 2012), que recebeu em 2013 o prêmio Jabuti, na Categoria Livro-Reportagem e o Livro do Ano de Não-Ficção (Câmara Brasileira do Livro) e Juca Pato – Intelectual do Ano de 2013 (União Brasileira de Escritores). Em 2014 recebeu, pelo mesmo livro, o Prêmio Brasília de Literatura. Ainda em 2012, também lançou “Tempo de reportagem” (Leya). Entre outros, publicou “O circo do desespero” (Símbolo), “O menino Lula” (Ediouro) e “O Chão de Graciliano” (Tempo d’Imagem), que ganhou o Prêmio APCA 2007. Em 2014 lançou “Céu de Luiz”, sobre a permanência de Luiz Gonzaga na memória do povo do sertão nordestino.

Audálio Dantas dividiu a mesa com o também jornalista Gabriel Priolli Netto, que trabalhou por muitos anos na “TV Cultura de São Paulo”. Atuou ainda nos principais órgãos de imprensa do país, como “Folha de S. Paulo”, “O Estado de S. Paulo”, “Jornal da Tarde”, “Carta Capital”, “Época” e “Veja”. Também foi editor do “Jornal Nacional” e editor-chefe do telejornal “São Paulo Já”, da Rede Globo. Trabalhou ainda nas redes de TV “Bandeirantes”, “Record” e “Gazeta”. Atualmente, é consultor de comunicação, editor dos blogs “A Priolli” e “Marqueteiros”, além de assessor da TV Escola (MEC-ACERP). Também Entre outros livros e artigos, publicou “O Campeão de Audiência”, biografia de Walter Clark, e coordenou “A Deusa Ferida”, estudo sobre a queda de audiência da “Rede Globo”.

Poesia e prosa
Contou ainda da programação do dia 18, a plenária “Poesia e Prosa em Foco” com o tema da mesa da qual estarão presentes Estevão Azevedo, Rita Elisa Seda e Viviana Bosi. O escritor Estevão Azevedo é autor do "Tempo de espalhar pedras" (Cosac Naify), que ganhou o Prêmio São Paulo de Literatura 2015.

Rita Elisa Seda é escritora, jornalista, fotógrafa e arqueóloga. Embaixadora da Paz Ordem da Coroa dos Arameus e dos Auranitas; Comendadora Medalha Leão de Judá; Prêmio Carlos Drummond de Andrade; Medalha Cassiano Ricardo. Também é membro da Academia Valeparaibana de Letras e Artes; Academia Joseense de Letras; União Brasileira de Escritores; Confederação Brasileira de Letras e Artes; Instituto Histórico, Geográfico e Genealógico do Grande ABC. 
Seda é autora de “Ciber@migos”; “Troféu”; “Retalhos de Outono”; “Desertos”; “Nhá Chica Mãe dos Pobres” (atualmente está em desenvolvimento filme homônimo); “A Menina dos Vagalumes”; “Pelos ditos e não ditos do Sapucaí”; “Margem Grande”; “Corixo Saudade”; “Pipa Guerreira”; “Fábulas para Seishum”; “Cora Coralina Raízes de Aninha”, que inspirou o filme Cora Coralina todas as Vidas - 2015. Cora Coralina será o principal foco de Rita Elisa no 1º Encontro na Mantiqueira - Literatura em Foco - São Francisco Xavier.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após análise.
Obrigado!