quarta-feira, 18 de maio de 2016

Os vikings usavam capacete com chifres! Mito ou verdade?



Quando a maioria das pessoas pensa num viking, a imagem que vem na cabeça é de homens fortes, altos, de cabelo e barba longa, vestindo roupas de pele de animais e, na cabeça, usando um capacete com chifres/ou asas, confere? Essa não é a realidade, pois a imagem é fruto da capacidade criativa do homem e do processo histórico

Os vikings são uma antiga civilização originária da região da Escandinávia, que nos dias atuais compreende o território de três países europeus: a Suécia, a Dinamarca e a Noruega. Também conhecidos como nórdicos ou normandos, eles constituíram uma rica cultura que se desenvolveu devido à atividade agrícola, o artesanato e um notável comércio marítimo.

A vida dos vikings voltada basicamente para os mares também colaborou para que a pirataria se tornasse outra importante atividade econômica destes povos. Em várias invasões realizadas pela Europa Continental, os vikings saquearam e conquistaram terras, especialmente na região da Bretanha, que hoje abriga do Reino Unido. O apogeu da civilização viking ocorreu entre os séculos VIII e XI.

Diante de inúmeros conflitos contra os nobres da Normandia e os ingleses acaba-se por estabelecer o fim desta civilização, entretanto, ainda se encontra presente em algumas manifestações da cultura européia e deixaram um importante legado para a humanidade. Vejamos:


1. Avanços na construção naval e na navegação

Uma das mais importantes inovações dos vikings foi seu modo de cruzar os mares. A ideia de longos barcos de madeira com casco raso e várias fileiras de remos deixava a construção mais leve, mais rápida e mais flexível. Além disso, eles possuíam ferramentas simples de navegação, como bússolas solares, que os permitia navegar grandes distâncias – tanto que estiveram em quatro continentes ao mesmo tempo, sendo considerados a primeira civilização global da História.


2. Língua

Ao travarem grandes confrontos com os ingleses por volta do ano 800 d.C., os vikings também conseguiram mesclar um pouco de sua cultura no Reino Unido. As línguas inglesa e nórdica foram as que melhor apresentaram uma miscigenação que permanece até os dias de hoje. Inúmeras palavras que foram exportadas para outros idiomas possuem origem nesse período de batalhas.
3. Dublin

A capital da Irlanda é um dos destinos preferidos dos brasileiros nos dias de hoje. E não teria como ser diferente: a cidade é uma fofurinha e bem receptiva. Mas você sabia que coube aos vikings criar o primeiro assentamento que deu origem ao que hoje é Dublin? A história, entretanto, foi um pouco cruel: no início, a cidade era um dos maiores mercados de escravos de toda a Europa. A dominação viking na região durou por 3 séculos, chegando ao fim no ano de 1014.


4. Esquis

Os primeiros esquis datam do ano de 8000 a.C., na Rússia, mas coube aos vikings o seu uso mais amplo – tanto que a palavra tem origem no termo nórdico antigo “skío”. Esse povo usava o objeto tanto como meio de transporte quanto de lazer, algo que permanece até os dias de hoje.


5. Pentes

Você pode até pensar que os vikings eram brutamontes sujos, mas essa é uma visão bem errada. Aliás, eles tinham uma higiene pessoal muito mais avançada que outros povos da Europa na época. Tanto que a popularização dos pentes é creditada aos vikings, que não viviam sem o artefato. Além disso, eles tinham pinças, lâminas de barbear e até espátulas de ouvido, para retirar a cera acumulada.


6. Novelas

Boa parte do que se sabe sobre os vikings é devido a escrituras islandesas de autores desconhecidos. Apesar de serem um tanto fantasiosas, essas histórias contavam um pouco da vida na era da expansão territorial dos vikings, sendo reconhecidas como as primeiras sagas ou novelas da História. Os relatos misturam realidade e mitologia, fazendo sucesso entre amantes de mundos dominados por deuses.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após análise.
Obrigado!