terça-feira, 10 de maio de 2016

O triunfo da cor | O pós-impressionismo: exposição de obras-primas do Musée d’Orsay e do Musée de l’Orangerie apesar do alto custo das amostras



Preços crescentes tornam cada vez mais difícil organizar mostras como a que foi aberta em 04.05 no CCBB em São Paulo com obras de mestres como Toulouse-Lautrec e Van Gogh

A exposição apresenta 75 obras de 32 artistas que, a partir do fim do século XIX, buscaram novos caminhos para a pintura. O grupo formado por ícones do movimento impressionista, como Van Gogh, Gauguin, Toulouse-Lautrec, Cézanne, Seurat, Matisse, recebeu do crítico inglês Roger Fry a designação de pós-impressionista, por promoverem uma nova linguagem estética, baseada no uso intenso da cor. Curadoria de Pablo Jimenez Burillo, Guy Cogeval e Isabelle Cahn.

Numa realização em parceria com Musée d’Orsay e a Fundación Mapfre, a mostra conta com apoio do MinC, por meio da lei de incentivo à Cultura, e patrocínio do Grupo Segurador Banco do Brasil e Mapfre, BB DTVM e Banco do Brasil.

Alto custo

O custo das exposições tem ficado cada vez mais alto. Trazer ao país quadros que valem milhões de dólares é uma saga. Envolve enfrentar a burocracia alfandegária, as diferenças de temperatura entre a Europa e o Brasil, que podem danificar as obras, e seguros com cláusulas milionárias. As altas taxas de empréstimo cobradas pelos museus europeus também pesam. 
Em 'O triunfo da cor', o valor previsto é de R$ 6,6 milhões. Há duas décadas, as taxas eram simbólicas. A situação começou a mudar no final dos anos 1990, quando muitos museus da Europa deixaram de ser financiados pelos governos e precisaram buscar outras fontes de receita. Donos de acervos fabulosos, eles se profissionalizaram nesse tipo de empréstimo.

Serviço:
O TRIUNFO DA COR: O PÓS-IMPRESSIONISMO - CCBB SP

Rua Álvares Penteado, 112, - Térreo, subsolo, 1º, 2º, 3º e 4º andares

4ª a 2ª, 9h/21h. Grátis. De 04.05 a 07.07.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após análise.
Obrigado!