segunda-feira, 16 de maio de 2016

Julia Roberts: não haveria espaço nos dias atuais para “Uma linda mulher”



Enquanto promove seu novo filme, 'Jogo do Dinheiro', a atriz Julia Roberts disse, em recente entrevista que o filme "Uma Linda Mulher", que a catapultou para o sucesso mundial, não seria produzido nos dias atuais, nem mesmo faria sucesso com sua história simples e singela

Segundo a estrela, o longa, lançado em 1990, tinha uma "história simples" que não se destacaria em meio às produções atuais onde prevalecem as obscenidades, a ação e personagens com forte estigma de maldade. 
"Há um espírito, um tipo de esporte de que todo filme tem de ser mau, que não acho que existia, que não era tão forte quando fizemos esse filme há 25 anos (...) Havia algumas pessoas que gostavam de ser obscenas, mas hoje é como um esporte. Acho que aquela história simples não sobreviveria aos dias atuais", afirmou Roberts.

A comédia carregada de romantismo, narra a história do magnata perdido vivo por Richard Gere, pede ajuda uma prostituta personalizada por Julia Roberts, que "trabalha" no Hollywood Boulevard e ele acaba contratando-a por uma semana. Neste período ela se transforma em uma elegante jovem para poder acompanhá-lo em seus compromissos sociais, mas os dois começam a se envolver e a relação patrão/empregado se modifica para um relacionamento entre homem e mulher.

25 anos


Em março passado, "Uma Linda Mulher" completou 25 anos de seu lançamento, que ocorreu em 1990. Mesmo comemorando um quarto de século,o longa é uma das comédias românticas mais bem sucedidas da história do cinema. Para comemorar esse jubileu, selecionamos algumas curiosidades sobre o filme:

1) O segredo do pôster: muita gente sabe que o cabelo de Richard Gere é preto só no pôster. Mas, ninguém imaginaria que o corpo de Julia não é da atriz. As curvas pertencem à dublê de corpo Shelley Michelle (que também aparece como Vivian em algumas cenas).

2) Julia não era a preferida para assumir o papel: o estúdio tinha uma lista com vários nomes cotados para viver a protagonista, como Molly Ringwald - musa dos anos 80.

3) O carro: o modelo usado no início do filme, uma Lotus Espirit, foi escolhido após a Ferrari e a Porsche recusarem aparecer na produção.

4) Al Pacino poderia ter ficado com o papel de Edward e até mesmo chegou a fazer um teste com Julia Roberts, mas desistiu.

5) A primeira versão do roteiro era menos romântica: o filme se chamaria $ 3.000 – referente aos US$ 3.000 que Vivian cobra para passar a semana com Edward -, e a moça seria viciada em cocaína.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após análise.
Obrigado!