quarta-feira, 25 de maio de 2016

Inspirada em obras de Arthur Rimbaud, espetáculo 'Anatomia do Fauno' discute o homoerotismo



Resultado de um intercâmbio entre os alunos da Escola de Comunicação e Artes (ECA-USP) e os artistas do Teatro da Pomba Gira Coletivo de Criadores, o espetáculo“Anatomia do Fauno” teve a sua primeira temporada na sede Marquês de Itu da SP Escola de Teatro

Inspirado pela poética utópica de Arthur Rimbaud, (1854-1891), que sonhava uma língua universal sem palavras que tocasse diretamente os sentidos, Anatomia do Fauno atua nos limites entre o teatro e a performance. Busca dissecar as temporadas infernais e iluminações da cena homoerótica contemporânea. Partindo de uma pesquisa das vivências pessoais dos próprios integrantes do grupo, o espetáculo divide-se em dois atos.

O primeiro explora experiências eróticas ligadas à solidão desesperada, aos amores abortados, ao consumo de corpos, medo, culpa e repressão que nos fazem oscilar nos dualismos heteronormativos. O segundo ato pretende construir, a partir dos destroços dessa realidade, uma utopia mais risonha, afetuosa e livre, quebrando gênero, número e grau nas relações homoeróticas.

A figura mitológica do Fauno, retirado de seu ambiente natural e posto numa cidade como São Paulo, é um fio condutor para essa jornada pelas sombras e luzes artificiais das noites metropolitanas. Caminhando da doença à cura, este Fauno é guiado para a anatomia de um corpo que supere os fracassos de nossa humanidade consumista.

O grupo está debruçado em projetos para encenação do espetáculo em várias cidades do país, inclusive em outras regiões fora do eixo Sul – Sudeste.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após análise.
Obrigado!