terça-feira, 31 de maio de 2016

Caixa Cultural traz a Salvador o projeto "Cordelizando” que conta com artistas de cordéis e xilogravuras







O projeto “Cordelizando” tem a proposta de aproximar a literatura de cordel ao público de Salvador, através de músicas, recitais e bate-papos poéticos com os artistas mais renomados do Nordeste, como: J.Borges, Bule Bule, Maviael Melo e Zimaldo Melo


O projeto “Cordelizando”, evento que contará com artistas de cordéis e de xilogravuras, será realizado na Caixa Cultural, em Salvador, entre 17 e 19 de junho, com entrada gratuita. O evento será realizado das 10h às 18h. A literatura de cordel também será contextualizada ao mundo digital, através de projeção de ilustrações com a temática nordestina.

O projeto tem a proposta de aproximar a literatura de cordel ao público, contextualizando ao mundo digital através de projeção de ilustrações de xilogravuras, além de oferecer músicas, recitais e bate-papos poéticos com os artistas mais renomados do Nordeste, como J.Borges, Bule Bule, Maviael Melo e Zimaldo Melo.

Um dos artistas folclóricos mais celebrados da América Latina e o xilogravurista brasileiro mais reconhecido no mundo, J.Borges é a grande atração do projeto. Com oito décadas de vida, período em que ganhou diversos prêmios e levou sua arte para mais de 10 países, J.Borges é um dos maiores mestres do cordel. Ele vai contar histórias de seus folhetos de cordel e bater papo com o público.

Além de cordelizar, os curiosos em saber como faz uma xilogravura poderão acompanhar, em tempo real, através das mãos de Zimaldo Melo, como essa arte é desenvolvida. O artista visual levará ao projeto sua visão multifacetada, que agrega meios convencionais, como desenho, pintura, relevo e a xilogravura, além de novos meios como a programação, a eletrônica, interatividade, web e arte.


O baiano de Antonio Cardoso, Bule Bule, é uma das atrações mais esperadas do projeto “Cordelizando”. Sua participação será marcada através de suas cantorias de viola, com canções improvisadas (repentes) ao som de violas sertanejas realizadas pelo artista e seu parceiro.

Durante toda a programação do projeto, serão comercializados folhetos de cordel e figuras dos quatro autores na Sala dos Jesuítas, ao lado do Salão Nobre, no segundo andar da Caixa Cultural.

SERVIÇO:
  • Projeto Cordelizando
  • Data: 17 a 19 de junho
  • Local: Caixa Cultural Salvador (Rua Carlos Gomes, 37, Centro)
  • Horário: 10h às 18h
  • Entrada gratuita

Qual o rodízio da sua preferência? Churrasco, japonês, massas?



O rodízio parece ter sido uma das melhores invenções já criadas: comer de tudo, a um preço fixo, sem precisar se preocupar com nada. De uma boa churrascaria à promessa de fatias de pizzas a perder de vista, passando por comida japonesa e até frutos do mar, cada cliente tem a sua predileção

Um pouco de história Acredita-se que os tradicionais rodízios de comida tenham surgido no Rio Grande do Sul, em 1964. O primeiro estabelecimento com esse tipo de serviço teria sido a Churrascaria Max, numa cidadezinha próxima a Porto Alegre. Inicialmente os rodízios eram situados em beira de estrada e os seus frequentadores usuais eram os caminhoneiros. Esses motoristas foram os responsáveis por difundir a especialidade por todo o Brasil, ou levando a ideia para outros lugares, ou eles próprios abrindo casas do ramo.

A forma como o churrasco era servido chamava-se “espeto parado”, mas as mudanças começaram com a influência italiana no sul do Brasil, que além de trazer o “churrasco corrido”, acrescentou novos tipos de carne ao rodízio, como as carnes de frango, porco e outras carnes exóticas. Os hábitos foram se modificando e as churrascarias a diversificar a quantidade de opções onde o cliente tem à disposição vários tipos de rodízios dentro de uma churrascaria rodízio.

É possível comer massas preparadas na hora, vários tipos de salada e comida japonesa à vontade, além de comida mexicana e indiana, pizzas e até fondue. Para que o restaurante seja considerado de primeira linha é preciso que haja muita fartura e que o serviço seja muito rápido. Como o foco é no cliente, ele precisa ter a sensação de que está sendo muito bem servido e que sempre terá grande variedade à sua disposição.

Jogo dos sete erros


Dentro da proposta de encantar o cliente, listamos sete falhas que muitos restaurantes cometem e que devem ser evitadas sob pena de perder frequentadores:

01 – Situação comum em muitas casas:encontro com amigos, cerca de 6 deles e só é permitido utilizar uma mesa grande quando todos chegam. Daí, é a conta de sentar, se ajeitar e logo ter que levantar para procurar uma mesa maior.

02 – Essa é horrível: sentar e ficar esperando o garçom aparecer. Às vezes são 5, 10, 15 minutos e nada de surgir alguém para pegar seu pedido. Não são raros os casos em que o cliente levanta e vai embora.

03 – Outra clássica: fazer seu pedido e ele demorar mais de uma hora. Pior ainda é quando vem, e está errado.

04 – Também é detestável pedir o prato e a bebida, chegar o prato e nada da bebida. Sem comentários.

05 – Se garçom ausente é imperdoável, garçom insistente também não fica atrás. Aquele que passa de minuto em minuto perguntando se está tudo bem, se precisa de algo, se a comida está boa… Você joga um papelzinho de nada na mesa e em um segundo ele aparece e limpa… Bacana ter um atendente que sabe o que você gosta, já te chama pelo nome de tanto você ir ao restaurante e tal, mas parar para conversar e contar a vida enquanto o cliente faz sua refeição é constrangedor.

06 – O “pare e siga” em churrascarias. Aliás, caíram em desuso, mas aqueles sinalizadores verde (sim, eu quero comer mais) e o vermelho (já parei, obrigado), precisa ser respeitado. Se o cliente deixa no vermelho, não é agradável ficar passando de 2 em 2 minutos perguntando se ele quer picanha.

07 – Cardápio sem preço. Pode ser considerado chique mas deixa o cliente na dúvida e, porque não dizer, receoso com a possibilidade de uma conta astronômica. Pode até ser caro, mas tem que estar ‘preto no branco’. O frequentador, na maioria dos casos, prefere ver e ter noção do terreno onde está pisando.

Nudismo ou naturismo? A denominação não tem importância e sim o modo de vida em harmonia com a natureza



Na Europa é absolutamente comum ver famílias inteiras nuas nas praias, mas no Brasil a questão ainda gera discussão e até certa curiosidade entre as pessoas que desconhecem o naturismo

Uma questão de cultura. Nas praias do País, o que se vê é um desfile de alguns dos menores biquínis do mundo, mas quando o assunto é nudez, pelo menos, para a maioria da população, ainda rola um grande tabu por aqui.

Fundada em 1953, a International Naturist Federation (Federação Internacional de Naturismo, em português) deixa claro que o naturismo é "um modo de vida em harmonia com a natureza, caracterizado pela prática da nudez coletiva, com a intenção de encorajar o respeito próprio e o respeito aos outros e ao meio ambiente". Até hoje, no entanto, muitas pessoas têm uma visão distorcida do movimento e acreditam que praia de nudismo é lugar de "pegação".

Sem imagens
Para decepção de quem está atrás de "nudes" sensuais, os locais destinados ao naturismo têm clima familiar - tanto é que crianças podem frequentar, desde que acompanhados dos responsáveis. Também deve ser deixada de lado a ideia de sair tirando fotos de pessoas desnudas. 
Não é permitido fazer qualquer imagem sem o consentimento prévio dos envolvidos e quem desrespeitar a regra pode ser expulso do ambiente. E sexo em público, nem pensar: isso pode ser enquadrado como ato obsceno, seja na praia comum ou na naturista. Isso pode dar detenção de três meses a um ano, além de multa.

As estimados 20 mil pessoas que costumam frenquentar os cerca de 35 espaços - entre praias, pousadas e clubes – são filiadas à Federação Brasileira de Naturismo (FBrN). Apesar dos locais oficiais, os encontros acontecem em vários outros pontos. “As pessoas não entendem que o fato de estarmos nus não reflete uma questão erótica e de desrespeito, ao contrário, o objetivo é encorajar o autorespeito e o respeito ao próximo. É muito mais simples do que imaginam. Para nós que praticamos, a nudez é social, natural”, explica José Antônio Ribeiro, presidente em exercício da FBrN.

Apesar de a nudez estar no centro da curiosidade de quem olha de fora, o movimento vai muito além disso e se baseia na experiência de uma filosofia de retorno à natureza como a melhor forma de viver.

Acompanhante obrigatório
Alguns locais onde a prática é permitida podem vetar a presença de homens desacompanhados, então é importante que o novato procure o local em busca de informações. Mas e se o clima de paquera surgir e duas pessoas sentirem-se atraídas? Elas podem agir naturalmente, conversando e buscando outro local para conversarem melhor, é que o rezam as normas de etiqueta do naturismo.

Na hora de fazer a bolsa de praia, o naturista precisa levar exatamente o que qualquer um leva quando vai curtir o litoral. A única diferença é que você deve carregar sempre uma toalha, para usar ao sentar em restaurantes ou barracas de praia, por exemplo. Aproveite para colocar na bagagem o respeito ao próximo, que sua viagem será ainda melhor.

segunda-feira, 30 de maio de 2016

Milionário chinês inaugura parque "Cidade Wanda" e declara guerra à Disney



Homem mais rico da China, o magnata Wang Jianlin, que inaugurou neste sábado (28) o primeiro parque de diversões de seu grupo Wanda, declarou uma improvável guerra cultural e comercial contra a Disney, poucas semanas antes da inauguração de um parque Disneyland em Xangai

Declarando estar diante de uma "invasão" de culturas estrangeiras e querendo ser um modelo Jianlin apresentou em uma grande cerimônia, a "Cidade Wanda" de 2 km2 de superfície, situada em Nanchang (sudeste), que inclui um imenso centro comercial com cinemas interativos, junto a um parque temático de 80 hectares, equipado com "as mais altas e rápidas montanhas russas" da China e um vasto aquário.

O projeto representa um investimento de 22 bilhões de ienes (3,353 bilhões de dólares), segundo um comunicado do grupo, que espera atrair mais de 10 milhões de visitantes por ano. Diante da "invasão" de culturas estrangeiras, "queremos ser um modelo (...) e afirmar a força da influência dos chineses no âmbito cultural", disse o fundador do Wanda na cerimônia de inauguração do parque, informou a televisão oficial CCTV.

Uma semana antes, Wang - o homem mais rico da China, segundo a revista Forbes - havia designado abertamente seu adversário: o gigante americano de entretenimento Disney, que abrirá em meados de junho em Xangai seu primeiro parque na China continental, após um investimento de 5,5 bilhões de dólares.

"A loucura por Mickey Mouse e Pato Donald (...) passou, a época na qual imitávamos cegamente a Disney terminou há anos", disse Wang em uma longa entrevista à CCTV.

Tigre contra lobos
O Wanda busca competir com a Disneyland com alternativas de "cor local". Depois do aberto em Nanchang neste sábado, o grupo chinês prevê construir outros seis parques na China, em cidades de tamanho médio, nos próximos três anos, e chegar a 15 até 2020.

"Queremos atuar de maneira que a Disney não possa ser rentável neste setor (dos parques de diversões) na China em 10 ou 20 anos", insistiu Wang Jianlin.

"Um tigre não pode competir com uma horda de lobos", comentou na entrevista, antes de criticar a tendência da Disney de "clonar seus produtos do passado sem inovar".

Também criticou o clima de Xangai, "muito chuvoso no verão", segundo ele, e os preços elevados do ingresso para a Disneyland: até 499 iuanes (68 dólares), o dobro do valor cobrado para entrar na "Cidade Wanda" de Nanchang.

De fato, os preços impostos pela Disney foram muito criticados pelos internautas chineses na plataforma de microblogs Weibo. No entanto, os objetivos do Wanda parecem muito ambiciosos, segundo os especialistas, que criticam a falta de experiência do grupo chinês.

O contrário do grupo americano que se baseia na franquia de seus populares parques temáticos. A Disneyland de Xangai, que precisou de um investimento de 5,5 bilhões de dólares, será o sexto parque do grupo, e o quarto construído no exterior, depois de Paris, Tóquio e Hong Kong.

Na China, a Disney se apoiará em suas franquias e personagens, muito famosos no país, para seduzir uma classe média em plena expansão, em um país onde acumula uma parte cada vez maior de suas receitas cinematográficas.

Mas a Disney não é a única empresa que quer se implantar no lucrativo mercado chinês do entretenimento. Os estúdios de Hollywood Universal Pictures e DreamWorks também planejam construir parques temáticos no país.

"A Disney obtém importantes receitas graças aos direitos de seus filmes. Os lucros de seus parques são, na realidade, bastante baixos", afirma a China Securities, em uma nota citada pela Bloomberg. "E é justamente a propriedade intelectual que falta aos promotores chineses".

Exposição traz obras de Picasso colecionadas pelo próprio autor ao longo da vida



A exposição "Picasso: mão erudita, olho selvagem" traz 116 peças do artista selecionadas, inicialmente, por ele mesmo. As obras são da coleção do Musée National Picasso-Paris e fazem parte de um conjunto que o espanhol manteve consigo ao longo da vida

Os trabalhos foram doados à instituição pelos herdeiros. Há fotos e vídeos que retratam os processos de produção do pintor. A mostra pode ser vista até o dia 14 de agosto no Instituto Tomie Ohtake, em Pinheiros, zona oeste paulistana.

Os primeiros trabalhos da exposição remetem ao início da carreira do espanhol, quando Pablo Picasso, com 19 anos mudou-se para Paris. Segundo a pesquisadora do núcleo de curadoria do Instituto Tomie Ohtake, Carolina de Angelisa, nessa fase inicial, as pinturas retratam o mundo artístico e a vida na capital francesa na transição dos séculos 19 e 20. “Ele pinta cenas do cotidiano, tipos urbanos, cenas da noite, dos cabarés artísticos”.

O hábito de colecionar parte dos próprios trabalhos desde essa época mostra, de acordo com Angelisa, uma atenção a trajetória que estava desenvolvendo como artista. “O Picasso, além de ser muito bom na própria autopromoção, porque ele foi um grande empreendedor do próprio trabalho. Isso também mostra a importância que tinha para ele guardar, observar e olhar um certo tipo de evolução”, afirmou.

Nesse percurso, alguns temas acabam sendo recorrentes, como a figura do arlequim, usada, segundo a pesquisadora, com intenções diversas ao longo do tempo. “No começo, ele retrata isso logo que chega em Paris, para mostrar um tipo de figura mais marginalizada. Esse profissional do circo um pouco nômade, que não tem um lugar fixo para se estabelecer. Em outros momentos, ele se retrata como o próprio arlequim, porque todas essas figuras são do entretenimento, mas carregam uma certa tristeza, melancolia”, afirma, sobre como o personagem, algo entre o palhaço e o bobo da corte, quer chega a ser usado por Picasso para representar até seu filho.

Múltiplos estilos e técnicas
Por outro lado, a exposição busca mostrar, em ordem cronológica, a diversidade de técnicas e estilos desenvolvidos pelo artista ao longo do tempo. Escultura em cerâmica, gravuras, desenhos e pinturas com influências múltiplas, apresentam um artista que foi muito além do cubismo, movimento do qual é um dos principais nomes. “É uma variedade, não só de técnicas, mas de modos de representação. De como as figuras são representadas, o que poderia ser uma exposição coletiva, de vários artistas”, disse Angelisa.

A decomposição das formas da natureza em formas geométricas, que se consolidou na expressão cubista, pode ser acompanhada como processo na linha estabelecida pela curadoria. “O que ele faz no período cubista, já estava sendo traçado anteriormente”, ressaltou.

A influência do contexto histórico na produção também pode ser sentida nas diversas fases que compõe o conjunto da obra de Picasso. Nesse sentido, há uma parte dedicada ao processo de realização do quadro Guernica, uma das mais famosas obras de Picasso, inspirada no bombardeio que destruiu uma pequena vila espanhola durante a Segunda Guerra Mundial. “E também das pinturas na época da ocupação alemã na França, que são pinturas mais densas, mais escurecidas, com tons de preto e cinza”, acrescentou a pesquisadora.


Fonte: EBC

domingo, 29 de maio de 2016

A edição 2016 Festival Varilux de Cinema Francês será realizada de 8 a 22 de Junho



Desde 2015, o festival Varilux de Cinema Francês integra as atrações da Semana Francesa da CCFB do Rio. Neste ano, o evento completará sua 6ª edição, proporcionando ao público de 50 cidades o melhor da recente produção cinematográfica francesa, com exibições de mais de 15 filmes inéditos

O Festival Varilux de Cinema Francês será realizado novamente este ano. As inscrições foram abertas e os interessados poderão fazer as inscrições no site oficial do Festival Varilux.

Uma das novidades do festival em 2016 será a realização do seminário cinematográfico, com foco para os profissionais experientes ou com menor tempo no mercado. O ex-diretor de redação da revista Cahiers dú Cinéma, Jean-Michel Frodon, vai ministrar a Oficina de Crítica Cinematográfica. As aulas serão realizadas entre os dias 10 e 14 de junho.

Assim como nas edições anteriores, a Oficina Franco-Brasileira de Roteiros Audiovisuais também vai acontecer, chegando à edição de número 5. E ainda, a realização da Oficina não acontecerá apenas no Rio de Janeiro, mas também na cidade de Recife. A coordenação das aulas ficará a cargo de Francois Sauvagnardes, diretor geral do FIPA. 

No Rio, a oficina receberá os temas roteiros para TV, cinema e comédia. Já no Recife, a modalidade será a de formatos para televisão. As aulas ocorrem entre 6 e 11 de junho, no Rio, e entre 13 e 17 de junho, em Recife. A exposição de filmes acontece de 8 a 22 de Junho.

Bósnia faz homenagem ao roqueiro David Bowie com enorme mural de 13 metros de altura


Resultado de imagem para david bowie - estatua na bosnia

Monumento celebra trabalho humanitário feito pelo músico no país.
Inauguração aconteceu ao som de "Space Oddity", com a participação de um grande número de pessoas e trazia a inscrição: "a moda muda, mas você sempre será meu herói"

Um grupo de artistas revelou um enorme mural de David Bowie em Sarajevo, neste sábado, para comemorar o trabalho humanitário do músico britânico durante a guerra da Bósnia. Ao som de Bowie "Space Oddity", até 300 pessoas participaram da inauguração do mural, que trazia a inscrição: "a moda muda, mas você sempre será meu herói."

O mural - de 13 metros de altura e 10,5 metros de largura - está pintado em um edifício no campus de uma universidade, a uma curta distância da rua uma vez conhecida como Sniper Alley, e tem como objetivo simbolizar a maneira como a Bósnia mudou desde o fim da guerra de 1992-95.

Esboços foram feitos pelo ilustrador de quadrinhos da Marvel Enis Cisic e transformaram-se no mural do pintor Zoran Herceg, que levou um mês e meio para completar o trabalho. O plano para imortalizar Bowie, que morreu de câncer aos 69 anos em 10 de janeiro, foi inicialmente apresentado pelo músico local Vedad Trbonja. O projeto foi apoiado por milhares de bósnios.

Bowie foi movido pelos sofrimentos dos bósnios e usou sua fama para aumentar a consciência sobre a guerra e arrecadar dinheiro para fins humanitários, embora ele não tenha visitado Sarajevo.

"Esta é uma maneira de prestar homenagem a Bowie como artista e humanitário, e imortalizá-lo na cidade que nunca teve a chance de recebê-lo", disse Adnan Comor, um porta-voz para o grupo responsável pelo projeto, Bowie Team Sarajevo.


sábado, 28 de maio de 2016

“Uma Noite em Sampa” aborda o medo difuso e o pânico desmesurado dos moradores das grandes cidades



Após assistirem a uma peça no teatro Ruth Escobar, um grupo de viajantes ricos espera o ônibus que vai levá-los de volta às suas casas. Eles já não moram em São Paulo: mudaram-se em busca de melhor qualidade de vida e maior segurança

Para o desespero de todos, na saída do teatro, o ônibus está trancado e o motorista não está por perto. Amedrontados, eles começam a perceber os moradores de rua e a escuridão ao redor.

Existe um bom número de filmes falando da violência urbana no Brasil. No cinema atual é quase um tema de excelência. Pouco se fala, entretanto, de um segundo tipo de violência, sem dúvida decorrente do primeiro, mas muito mais nefasto: a violência, por assim dizer, imaginária.

Se é inegável que a violência existe nas grandes cidades brasileiras de forma grave e séria, é também verdade que existe um medo difuso, um pânico geral e desmesurado que obriga as pessoas a se fecharem cada vez mais em si mesmas, a buscarem refúgio constante, a não saírem de casa e quando o fazem organizarem-se em grupos, com tudo planejado para retornar o mais rápido possível. Esse tipo de medo, muitas vezes ocorre sem nenhum fundamento, sem nenhuma justificativa nas situações reais. È apenas medo, que faz com se veja ameaças e perigos onde na realidade não existem.

A chamada classe média é a mais atingida por esse fenômeno, certamente alimentada pelos apavorantes relatos diários dos noticiários da televisão. O resultado disso é que São Paulo, por exemplo, é uma cidade habitada por pessoas á beira do pânico. As grades nos portões são imensas, ainda que o aspecto das casas atrás deles não justifiquem tanto aparato. 

A maioria dos carros que circulam pelos bairros de classe média ostenta vidros escuros e indevassáveis, pouca gente sai á rua depois de determinada hora, ou mesmo a qualquer hora. Ninguém fala com estranhos. As guaritas de vigilância nos prédios aumentam, um simples entregador de pizza é motivo de alarme geral, há senhas e avisos por toda parte.

O filme que apresentamos não nega a existência da violência, pelo contrario. Mas trata, de maneira sarcástica e em tom de comédia, de colocar luz no seu efeito mais terrível, que é a transformação de todos em marionetes, bonecos, falando e pensando as mesmas coisas, sem vida e sem iniciativa própria, cheios de pavor diante do desconhecido e de qualquer coisa que pareça diferente ou fora dos padrões impostos pelo medo.

Referência: SP Filmes

'Amor Geral': novo disco de inéditas de Fernanda Abreu



Há mais de dez anos sem lançar um álbum de inéditas, Fernanda Abreu está de volta com o CD Amor geral e se sentindo novinha em folha. "Parece que eu tenho 20 anos de idade. A energia é impressionante, como se eu estivesse no começo", diz a cantora, de inacreditáveis 55 anos

O novo disco de Fernanda Abreu, Amor Geral, já foi. O álbum da primeira dama da música pop no Brasil chegou às lojas no último dia 20 de maio, pelo selo da Sony Music em parceria com a Garota Sangue Bom, sua própria gravadora. 

Com dez faixas – nove delas compostas pela própria Fernanda com parceiros –, o projeto tem a arte é assinada por Giovanni Bianco, que trabalha com Madonna, e as fotos registradas por Gui Paganini. Este será o primeiro trabalho da cantora desde o MTV Ao Vivo (2006), que sucedeu longos dez anos de apenas shows.

Veja a relação de músicas que compõem o novo trabalho da cantora:

1. "Outro Sim" – Fernanda Abreu, Gabriel Moura e Jovi Joviniano

2. "Tambor" (part. Afrika Bambaataa) – Fernanda Abreu, Gabriel Moura, Jovi Joviniano

3. "Deliciosamente" – Fernanda Abreu, Alexandre Vaz e Jorge Ailton

4. "Saber Chegar" – Fernanda Abreu e Donatinho

5. "Antídoto" – Fernanda Abreu

6. "O Que Ficou" – Fernanda Abreu e Qinho

7. "Double Love (Amor em Dose Dupla)" – Fausto Fawcett e Laufer

8. "Por Quem" – Fernanda Abreu e Qinho

9. "Valsa do Desejo" – Fernanda Abreu e Tuto Ferraz

10. "Amor Geral" – Fernanda Abreu, Wladimir Gasper e Fausto Fawcett

sexta-feira, 27 de maio de 2016

Diretor argentino Daniel Burman grava série de TV no Rio de Janeiro, com Cecilia Roth e Santiago Segura



Um elenco internacional de atores, liderado pelo espanhol Santiago Segura e pela argentina Cecilia Roth, está gravando no Rio de Janeiro a série Supermax, uma obra "transgênero" que se aprofunda nos aspectos mais obscuros do ser humano diante de situações extremas

Sobre a série, Burman: “sempre digo que é uma série 'transgênero', porque há uma linha de aventuras, há uma linha romântica e uma linha de thriller psicológico.”

Na ficção, a história é ambientada em um presídio abandonado, localizado em um território deserto de um país ainda não revelado, embora, na realidade, essa prisão se encontre nos estúdios do Projac, que pertence à Rede Globo, no Rio, onde estão sendo gravadas as cenas internas antes que a produção siga para a Argentina para as gravações externas.

A série começa nessa prisão, onde ficarão os participantes de um reality show, cujo apresentador, Orlando Saslake, um personagem com um passado nebuloso, é interpretado por Santiago Segura. Ele gosta de apresentar, e o que mais gosta é a televisão, mas é um tipo miserável e mesquinho, declarou Segura.

No entanto, um acidente no começo da filmagem do programa deixa os personagens isolados e eles são obrigados a enfrentar uma série de perigos para poder sobreviver.

Durante essa aventura pela própria sobrevivência, os protagonistas terão que "lidar com aquilo que carregam e, de alguma maneira, atravessar esse caminho, que às vezes é doloroso, de lidar com esse dilema entre o que um quer ser e o que um acredita que é", afirmou Burman.

Superação

Trata-se de uma história que reflete "uma sociedade que assiste a programas de televisão nos quais outras pessoas são submetidas a outras provas humilhantes, ou de superação", comentou Segura.

Supermax representa a primeira incursão no mundo das séries do diretor argentino, que ganhou um Urso de prata no Festival de cinema de Berlim em 2004 por seu filme O Abraço Partido.

quinta-feira, 26 de maio de 2016

O café é uma tradição brasileira exportada para o mundo inteiro, mas qual a melhor forma de prepará-lo?



Há anos o café expresso vem dominando a cena com seu ar chique e requintado, mas essa realidade vem mudando e já tem muita gente que luta pela tradição do bom e velho café coado, onde os aromas e os sabores de um autentico café são preservados

“O melhor café é aquele que atende ao seu paladar”. Essa pode ser uma definição clássica do café perfeito.Cada etapa do preparo é importante e não deve ser negligenciada. 
1. Use água filtrada ou, melhor, dê ao café o status que ele merece e utilize água mineral. 2. A chaleira escolhida para ferver a água deve ser usada exclusivamente para esse fim. 3. Prepare somente a quantidade de bebida que vai ser consumida. 4. Nunca deixe a água ferver, esquente até os 90 ºC. 5. Existe o pó de café certo para cada tipo de preparação e gosto (fraco, médio e forte). 6. A data de validade impressa na embalagem do café vale apenas enquanto ela se encontra fechada. Depois de aberta, quanto mais rápido for seu consumo, melhor. 7. Guarde o café em recipientes bem fechados e, de preferência, na geladeira. 8. Nunca prepare a bebida ou a coloque na garrafa térmica já adoçada. 9. Para o preparo em filtro de papel ou coador de pano, a medida ideal fica em 5 ou 6 colheres de sopa de pó para 1 litro de água. Mas você deve variar sempre, buscando a proporção que melhor agrade.

MODO DE PREPARO
Café ao modo brasileiro – O pó deve macerar na água quente, sem ferver. Enquanto a mistura fica no fogo baixo, mexa vagarosamente com uma colher de pau. Essa maceração faz liberar os açúcares, as proteínas e alguns dos óleos aromáticos da bebida. Esse café deve ser passado pelo coador de pano. Resulta em um café forte e aromático. 
Filtro de papel – O filtro e seu suporte devem ser do mesmo tamanho, o pó deve ser espalhado uniformemente, sem ser apertado, e umedecido com água quente. A água deve ser despejada em fio, lentamente, sem mexer com a colher. Seu café é suave e aromático. 
Cafeteira italiana ou Moka – Essa cafeteira tem duas partes e um filtro fazendo a ligação entre elas, com formato semelhante ao de um bule antigo. A água é colocada na parte inferior e o pó, no filtro. Leva-se ao fogo, o calor faz com que a água passe pelo filtro e suba para a parte superior. Café forte, levemente amargo e de aroma intenso. Expresso – Inventado em 1946, pelo italiano Achille Gaggia, é considerado o mais nobre sistema de preparo. 
A água passa pelo pó sob pressão de 9 atmosferas e com a exata temperatura de 90 ºC, num tempo que varia de 25 a 30 segundos. O resultado é uma bebida concentrada, de aroma e sabor intensos, bom corpo, persistente no paladar e coberto com um denso creme cor de avelã. O expresso bem tirado tem creme espesso e duradouro, cor homogênea e retém o açúcar durante alguns segundos.

Essas são apenas algumas dicas sobre o preparo de um bom café, mas o seu paladar e a forma de preparo de cada um é quem vai definir a melhor maneira de prepará-lo. Claro que a qualidade do produto vai influenciar no resultado final, mas é tudo uma questão de gosto pessoal.

Dicas para sua estadia em Foz do Iguaçu: a Região da Tríplice Fronteira que recebe visitantes do mundo inteiro


 

Com uma das molduras naturais mais bonitas do mundo, Foz do Iguaçu é praticamente uma Torre de Babel. Além dos brasileiros, argentinos e paraguaios que dividem a região da Tríplice Fronteira, a cidade é visitada por gente dos mais diversos cantos do planeta

Você pesquisou os pacotes e escolheu o destino: Foz do Iguaçu! A partir daí, é inevitável as consultas aos sites e opiniões de quem já viajou para aquela localidade, buscando dicas de passeios e as melhores ofertas para as inevitáveis compras no Paraguai.

Comigo não foi diferente e passei várias horas em frente ao computador em busca das informações para aproveitar ao máximo a minha viagem. Algumas dicas foram bastante úteis, outras nem tanto e algumas outras totalmente furadas. Assim, buscando subsidiar futuros visitantes da bela Foz do Iguaçu, enumero nessa matéria, experiências vividas há menos de uma semana, que podem servir para balizar a estada na fria mas hospitaleira cidade paranaense.

Hotéis

Na hora de comprar o seu pacote, - ou para quem viaja sem intermediação das operadoras de turismo, - fique atento aos hotéis e fuja daqueles situados na BR como a Avenida das Cataratas, pois ficam isolados e longe de tudo. Para ir a restaurantes ou qualquer outra opção no centro da cidade, a conta do taxi vai ficar bastante salgada e vai limitar os seus deslocamentos para os diversos passeios que são roteiros quase que obrigatórios na sua estadia em Foz.

Restaurantes

São várias as opções, desde as churrascarias com preços em torno de R$ 70, a 100, o rodízio, - que oferecem o serviço gratuito de leva e traz hotel/restaurante/hotel, - até as pizzarias que servem também outros pratos, com custo bem razoável. Você pode optar também pelas casas onde se cobra um preço fixo por pessoa, dentro da modalidade ‘coma à vontade’.

Taxi

Se você contratou os serviços de uma operadora de turismo ou optou por decidir seus próprios destinos, certamente vai precisar de serviço de taxi para se deslocar para os diversos passeios, a exemplo do IceBar, Cataratas, Itaipu, Marco das três Fronteiras ou as compras no Paraguai, entre outros. Aí vale negociar: há taxistas que cobram por pessoa transportada e outros que tarifam por viagem. Se conseguires juntar três ou quatro pessoas, por exemplo, opte pelos profissionais que cobram por viagem, pois o rateio barateará os custos para todos. Para o IceBar, Cataratas Argentinas ou o Paraguai, eles cobram em torno de R$ 100, por deslocamento ida e volta.

Passeios

Quase todos os destinos que são ‘figurinhas carimbadas’ de Foz cobram ingresso e nunca é demais lembrar que os tiquetes das Cataratas do lado argentino, são pagos preferencialmente em pesos daquele país. Caso esqueça-se de trocá-los previamente, o turista pode fazê-lo com os taxistas portenhos mas vai ter que se submeter ao câmbio deles que costuma ser até 50% mais caro, além do conhecido mau humor, onde eles deixam claro que, apesar de estar lhe escorchando, acham que estão fazendo um grande favor.

IceBar


O famoso bar de gelo do lado Argentino é uma atração à parte nas muitas opções das “Três Fronteiras”. Tudo lá é literalmente de gelo: copos, sofás, balcão, estátuas e, mesmo para os que se arvoram a não sentir frio, vale ressaltar que se deve ir bastante agasalhado, pois lá a temperatura é de 10 a 11 graus negativos. O custo é de R$ 60, por pessoa e estão incluídos o fornecimento da roupa térmica e as várias modalidades de drinks servidos no estabelecimento. A permanência no interior do bar é de até 30 minutos, mas muitas pessoas saem antes por não suportar a baixíssima temperatura. Mas vale a experiência de se sentir um habitante do Polo Norte mesmo estando a menos de 10 km do Brasil.

Cataratas



As quedas d’água, que podem ser vistas no lado brasileiro e também no lado argentino, são dois espetáculos ímpares, absolutamente imperdíveis e, visitar Foz e não fazer esses dois roteiros corresponde a “ir ao Vaticano e não ver o Papa”. Para esses dois roteiros vale alguns alertas importantes:

· Como exigem caminhadas, o calçado ideal é o tênis que, além de confortável protegem contra as baixas temperaturas comuns na região;

· Mesmo com sol brilhante, vale a pena levar capas de chuva pois os respingos das quedas d’água molham prá valer. Compre na porta dos hotéis onde elas custam R$ 5, pois no interior dos complexos elas saltam para R$ 15, e ambas são descartáveis, não dá sequer para guardar como souvenir;

· Outro acessório importante é a mochila onde serão acomodados, casacos, máquina fotográfica e outros apetrechos. Importante: como os passeios duram cerca de 4 horas, leve lanches e bebidas pois os preços cobrados por esses itens são estratosféricos, como R$ 12, por uma água mineral de 500 ml ou R$ 17, por uma prosaica empada;



· Dos dois lados, a população de quatis é absurdamente grande e eles transitam entre turistas já compondo o ambiente. São vários os avisos para que não se faça contato físico com eles e, principalmente, atenção com os seus lanches pois eles roubam numa rapidez estonteante. Degustávamos uma pacote de biscoitos e num piscar de olhos um deles subiu na mesa, surrupiou o nosso lanche e desapareceu sem que pudéssemos sequer identificar a cor do larápio.

Usina de Itaipu


Essa atração só pode ser visitada com guias previamente cadastrados e várias operadoras prestam esse serviço. Trata-se de uma estrutura impressionante e todos os números da usina são superlativos fazendo valer cada centavo pago pelo ingresso.

Duty Free Argentino


Se você vai comprar bebidas, até pode encontrar algo interessante, mas nos demais itens, - pelo menos nessa segunda quinzena de maio, com dólar a R$ 3,65 – não vislumbramos vantagens nas compras no shopping de fronteira. Vestuário com preços bem semelhantes aos praticados nas lojas de grife brasileiras, artigos esportivos excessivamente caros e um ou outro item básico com preço convidativo. Se a sua operadora oferece o transporte gratuito hotel/Duty Free / hotel, vale a pena a visita, mas se tiver que desembolsar de R$ 100, a R$ 120, para ir às compras, avalie a relação custo/benefício.

Compras no Paraguai


As compras em Ciudad del Este fazem parte do roteiro em qualquer viagem a Foz do Iguaçu. Quando comprei o pacote, passei horas na internet buscando informações sobre esse turismo de compras. Algumas informações foram fidedignas, outras, nem tanto. A maioria dos sites aconselham que o visitante compre dólares no lado paraguaio e façam as suas compras na moeda americana. Balela: todas as lojas aceitam os nossos reais e praticam câmbio semelhantes. Semana passada eles trabalhavam com valores entre R$ 3,55 e 3,68 e, com essa variação de centavos, só vale a pena comprar dólares se você pretende gastar algo em torno de US$ 10 mil, onde a escala pode representar um valor significativo.

Ao entrar nos shoppings e grandes lojas do paraíso das compras paraguaio, não se assuste com seguranças portando submetralhadoras, escopetas e outras armas de grosso calibre. Lá, essas armas correspondem ao nosso 38. Como nem todas as lojas são confiáveis, - aliás, a minoria delas se enquadra nesse perfil, - exija o teste dos produtos adquiridos, notadamente os eletrônicos, - e certifique-se de que está levando exatamente o material testado. Alguns espertalhões testam determinada peça na sua presença e, em seguida, a substituem por outra que certamente lhe trará dor de cabeça.

Cada brasileiro pode levar até 12 litros de bebidas, mas sempre em embalagens de até 1 litro. Se adquirires uma determinada garrafa de uísque com 1,5 litros ela será sumariamente confiscada. Em tempo: não vai adiantar derramar o 1/5 litro excedente... Também não é permitido o transporte de alguns equipamentos como os skates elétricos.

Apesar da bagunça generalizada formada por moto taxistas, taxis em péssimo estado de conservação, ocupação irregular do solo e o interminável assédio de vendedores ambulantes, eu me senti mais seguro que na 25 de Março, no centro de São Paulo. Talvez seja pela máxima que impera em Ciudad del Este, que prega a tolerância zero com ladrões.

Vale a pena


Pela quantidade de atrações e a qualidade delas, visitar Foz do Iguaçu vale cada centavo investido. A cidade, com seus 280 mil habitantes, é bastante organizada e oferece uma ótima estrutura, com boa rede hoteleira além de bom leque de produtos e serviços afetos ao trade turístico. O aeroporto atende à demanda com tranqüilidade e dispõe de conforto para passageiros, nos período de entressafra. Nos meses de férias, onde a cidade recebe uma quantidade de visitantes 50% maior, o atendimento aos passageiros tende a ser mais demorado.

Em resumo: vale a pena visitar Foz e as suas estonteantes atrações, desde o tranqüilo passeio ao Parque das Aves até o desafiante roteiro Macuco Safari, onde é exigida uma dose de coragem para enfrentar a adrenalina da atração.

Esperamos que a nossa postagem tenha alguma utilidade para você que vai visitar Foz do Iguaçu e desejamos-lhes um ótima estadia!

Euriques Carneiro

quarta-feira, 25 de maio de 2016

Sir George Martin, o homem forte por trás dos Beatles



Mesmo quem não tem tanto conhecimento assim sobre a trajetória dos ‘garotos de Liverpool’, sabe que Sir George Martin foi a figura mais importante por trás dos Beatles, desde que ouviu uma fita demo do grupo, em 1962

Não só ele não só ele deu vida à banda a sua gravadora, ele trouxe suas visões para a vida e, reunindo as suas gravações a partir de fragmentos de fita, acumulou durante longas horas nos estúdios Abbey Road e as entrou ao grupo inglês. O quarteto de Liverpool tinha sido recusado por cada gravadora enquanto tentavam fazê-lo no negócio da música, mas foi com Martin que tudo começou. 


Foi quando ele - então chefe do selo Parlophone - ouve sua fita demo em 1962 e, em seguida, participa de uma sessão de audição, que ele viu algo especial. Ali começou a parceria que permitiria ao Fab Four tornar-se a maior banda do mundo e mudar a face da música popular.

Com seus modos gentis e sotaque refinado, Martin, nascido em janeiro de 1926, foi muitas vezes considerado como um "dândi" que guiou os Beatles da classe trabalhadora para a fama. Mas, na realidade, ele era filho de um carpinteiro de Holloway, norte de Londres.

Martin produziu artistas de jazz, incluindo Cleo Laine, John Dankworth, Humphrey Lyttelton e Stan Getz. Ele também foi responsável por gravações em quadrinhos dos gostos de Peter Sellers e Spike Milligan, juntamente com a equipe de Beyond The Fringe de Jonathan Miller, Peter Cook, Dudley Moore e Alan Bennett.

Telefonema crucial


Mas foi um telefonema do editor de música Syd Coleman em fevereiro de 1962 e que mudou o curso da sua vida. Coleman disse que conheceu um homem chamado Brian Epstein, que conseguiu uma nova banda chamada Beatles, e se Martin estaria interessado em ouvir sua demo?

Quando Martin ouviu a fita - que contou com versões de Besame Mucho e Três gatos frescos, bem como os originais, como Olá menina e Like Dreamers Do - e passou a conhecê-los, ele percebeu seu potencial.

Durante seu tempo juntos Martin também compôs partituras para a Noite dos Beatles filmes do dia difícil - que lhe rendeu uma indicação ao Oscar - e Yellow Submarine, que foi nomeado para um Grammy. Após a separação da banda, Martin começou a sua própria editora de música e começou a trabalhar com outros artistas.

Prêmios

Seus prêmios incluem dois Ivor Novellos e, em 1999, ele foi introduzido no Rock & Roll Hall of Fame americano. Martin co-produzido Vela de Sir Elton John In The Wind, que foi lançado para marcar a morte de Diana, Princesa de Gales em 1997 e vendeu 37 milhões de cópias. Martin continuou a produzir música dos Beatles até o fim de sua carreira.

Em 1995, ele começou a trabalhar no Beatles Anthology e em 2006 produziu o álbum Love, uma re-trabalho de canções da banda nascidos fora de um show no palco Las Vegas com trupe de circo Cirque Du Soleil e fez com seu filho produtor, Giles.

Inspirada em obras de Arthur Rimbaud, espetáculo 'Anatomia do Fauno' discute o homoerotismo



Resultado de um intercâmbio entre os alunos da Escola de Comunicação e Artes (ECA-USP) e os artistas do Teatro da Pomba Gira Coletivo de Criadores, o espetáculo“Anatomia do Fauno” teve a sua primeira temporada na sede Marquês de Itu da SP Escola de Teatro

Inspirado pela poética utópica de Arthur Rimbaud, (1854-1891), que sonhava uma língua universal sem palavras que tocasse diretamente os sentidos, Anatomia do Fauno atua nos limites entre o teatro e a performance. Busca dissecar as temporadas infernais e iluminações da cena homoerótica contemporânea. Partindo de uma pesquisa das vivências pessoais dos próprios integrantes do grupo, o espetáculo divide-se em dois atos.

O primeiro explora experiências eróticas ligadas à solidão desesperada, aos amores abortados, ao consumo de corpos, medo, culpa e repressão que nos fazem oscilar nos dualismos heteronormativos. O segundo ato pretende construir, a partir dos destroços dessa realidade, uma utopia mais risonha, afetuosa e livre, quebrando gênero, número e grau nas relações homoeróticas.

A figura mitológica do Fauno, retirado de seu ambiente natural e posto numa cidade como São Paulo, é um fio condutor para essa jornada pelas sombras e luzes artificiais das noites metropolitanas. Caminhando da doença à cura, este Fauno é guiado para a anatomia de um corpo que supere os fracassos de nossa humanidade consumista.

O grupo está debruçado em projetos para encenação do espetáculo em várias cidades do país, inclusive em outras regiões fora do eixo Sul – Sudeste.

terça-feira, 24 de maio de 2016

Exposição na Caixa Cultural SP sedia exposição da obra plástica do Mutante Arnaldo Baptista



O Arnaldo Baptista, músico quase todo mundo conhece afinal, Os Mutantes – banda formada ao lado de seu irmão Sérgio Dias e Rita Lee – é uma das maiores referências da história da música brasileira, mas o que nem todos têm conhecimento é o lado artista plástico

Com nome inspirado em uma composição da mãe do homenageado, a pianista erudita Clarisse Leite Dias Baptista, a mostra vai reunir projetos desenvolvidos pelo artista ao longo de décadas, a partir de desenhos, pinturas e colagens, amplificadas por documentos e objetos pessoais.

Com suas pinturas, colagens, textos e incrível memória, Baptista será alvo da exposição em São Paulo desde o último dia 14 e que se estenderá até 17 de julho, na Caixa Cultural. “A exposição mostra a justaposição de sua criação, onde a música e as artes plásticas andam juntas”, explica o curador Márcio Harum.

Essa é apenas a quinta exposição individual de Baptista. A primeira foi em 2012, na galeria Emma Thomas, e todas foram em São Paulo. “Agora vamos girar por outras cidades com esse material, dar a visibilidade que ele merece, para que sirva de campo de estudo para artistas, outros curadores e que mais pessoas conheçam o trabalho de Arnaldo Baptista por completo”, finaliza Harum.

Serviço:

Na Caixa Cultural (pça. da Sé, 111, Centro; De ter. a dom., das 9h às 19h. Grátis. Até 17/7.


“FORU 4 TIRADENTE NA CONJURAÇÃO BAIANA recebe a musicalidade de Dori Caymmi



A peça histórico-musical de Mário Lago, “FORU 4 TIRADENTE NA CONJURAÇÃO BAIANA, escrita nos anos 1970, censurada pela ditadura militar e musicada por Dori Caymmi em 2014, a convite dos seus filhos Graça, Antonio Henrique e Mariozinho Lago


“Sobre o convite, Dori comentou:” muito me honra, por ter me dado a oportunidade de me tornar parceiro desse velho amigo, e grande brasileiro. Ao Samuka Marinho, um novo amigo, pela doação do belíssimo desenho dos conjurados. Ao querido amigo Milton Gonçalves, pela leitura do texto de Mario Lago na abertura. À Elianne Jobim, querida amiga, pelo lindo trabalho gráfico, cedido tão gentilmente. Aos mais que queridos amigos, velhos e novos, Joyce, Monica, Alice, Barbara, Sergio, Renato, Breno, Mario, Roberto, Rodolfo, Bré, Teco e Yutaka, muito obrigado."

O casamento do texto de Mário Lago com a música de Dori Caymmi em “Foru 4 Tiradente na Conjuração Baiana” (Acari Records) engrossa a tradição de musicais como “Arena conta Zumbi” e “Calabar — O elogio da traição”. Ou seja, do uso de episódios históricos como metáfora para atacar, num quadro geral, o autoritarismo e a crueldade do poder, e num quadro histórico específico, a ditadura militar. Num primeiro momento, portanto, pode-se pensar que — a despeito da qualidade dos versos e da música — há um tanto de anacronismo na proposta, de um discurso velho requentado, de resistência a inimigos já mortos.

Talento hereditário

Herdeiro da musicalidade do seu pai Dorival Caymmi, Dori deu vida ao texto de Lago levando-o ao universo de formas musicais e poéticas existentes (também) na Bahia, cenário da saga de João de Deus, Lucas Dantas, Luiz Gonzaga e Manoel Faustino, os “4 Tiradente” em questão. A capoeira da convocação de guerra “E tunei”; o desafio “Cantadores”; o afrossamba-de-roda “Mã Carumina”. 

Tudo dentro de uma secura que o prende à terra. E dentro da beleza da MPB clássica na qual o violonista é um dos grandes — beleza que é reafirmada por convidados como Joyce Moreno, Renato Braz, Monica Salmaso e Sergio Santos, todos cultores da mesma linhagem.

Referência: G1

Desde o dia 19 e até o próximo dia 29 de maio, o Rock in Rio Lisboa 2016 promete festa o dia todo



O Rock in Rio - Lisboa estará de volta para fazer uma grande festa em 2016. O Parque da Bela Vista em Lisboa vai receber um dos maiores festivais de música e entretenimento do mundo, com cinco palcos, cinco dias de festa, com ritmos do Brasil na Rock Street e ainda Street Dance, o slide, a roda gigante

Durante cinco dias cheios de emoções o Parque da Bela Vista transforma-se na cidade do Rock. São mais de doze horas de festa nos vários palcos desta cidade, com sons para todos os gostos e idades. No “Palco Mundo” atuam grandes nomes da música internacional, na “Tenda Eletrônica” estarão sets dos mais reconhecidos DJ’s e VJ’s nacionais e internacionais e o “Hot Stage” fica reservado para apresentações alternativas de artistas de renome e de novos talentos já com sucesso reconhecido.

Para além dos concertos, as famílias estão convidadas a passar um dia agradável desfrutando dos espaços verdes e de toda a animação, que inclui o “Espaço Radical” onde os mais enérgicos poderão desfrutar de uma pista de neve verdadeira para snowboard, e o “Espaço Kids” com muitas atividades para as crianças.
Serviço:
Rock in Rio - Lisboa

Dias: 19, 20, 27, 28 e 29 de Maio de 2016

Início:

19 Maio 2016

Data de fim:

29 Maio 2016

Ator americano Elijah Wood denuncia escândalo de pedofilia em Hollywood



Conhecido por seus papeis na saga O Senhor dos Anéis, o ator americano Elijah Wood denunciou que casos de pedofilia em Hollywood "são protegidos por figuras poderosas da indústria do cinema

Elijah Wood fala num escândalo de abuso sexual a menores em Hollywood, semelhante ao caso de Jimmy Savile e  afirma que existe um escândalo de abusos sexuais a crianças em Hollywood prestes a rebentar, que comparou ao caso de Jimmy Savile, o popular apresentador da BBC acusado de ter abusado de 72 vítimas, muitas delas menores, durante as suas quatro décadas de trabalho na estação pública.

Numa entrevista ao Sunday Times, o ator de 35 anos, que começou a trabalhar ainda em criança, frisou que pedófilos dentro da indústria têm sido protegidos por figuras poderosas de Hollywood e acrescenta que este é um esquema organizado.

O ator conta ainda que a sua mãe o conseguiu proteger desde tipo de abusos quando chegou a Hollywood, com apenas três anos. "Vocês [britânicos] cresceram com Savile. Isso deve ter sido devastador. Claramente que algo muito grave estava a acontecer em Hollywood. Era tudo bem organizado. Os caminhos obscuros que me foram expostos levam-me a crer que estes abusos provavelmente ainda estão a acontecer", revela o protagonista da saga O Senhor dos Anéis.

Wood acrescentou ainda: "Há muitas víboras na indústria de Hollywood, pessoas que apenas olham para os seus interesses. Se és inocente, se tens pouco conhecimento sobre o mundo e queres ser bem-sucedido, pessoas com interesses parasíticos vão olhar para ti como a sua presa. O que me entristece nestes casos é que as vítimas não conseguem falar mais alto do que aqueles que estão no poder", frisa o ator.

Cortes na área de cultura do Amazonas podem afetar Festival de Parintins


O anúncio de cortes de recursos para a área de cultura no Amazonas, divulgada na última sexta-feira (20) pelo governador José Melo, surpreendeu as associações dos bois Garantido e Caprichoso, do Festival de Parintins, uma das maiores tradições da Região Norte

O governo amazonense diz que a redução de gastos é necessária para enfrentar a crise econômica. “O quadro aqui vai se agravar e não fazer nada significa quebrar o estado a partir de outubro”, argumentou Melo.

Em nota, o presidente da Associação Folclórica Boi-Bumbá Garantido, Adelson Albuquerque, disse a diretoria da entidade foi pega de surpresa, mas que só vai tomar alguma providência após a reunião marcada para a próxima terça-feira (24) entre os dirigentes dos bois e o governo amazonense. Segundo Albuquerque, caso o corte se confirme, representará uma “tragédia econômica” para o município de Parintins.

“Temos patrocinadores máster de porte internacional, empresas de turismo que já venderam pacotes, hotéis em Manaus e Parintins que fecharam reservas, empresas que estavam interessadas em fechar parceria com o festival e que certamente, depois desse anuncio, por temeridade, não entrarão no evento. O Festival de Parintins movimenta uma cadeia econômica que se reverte em impostos para o estado, todos ganham com o evento, não quero acreditar que o governo do estado cometerá esse erro histórico”, lamentou o representante do Boi Garantido.

Também em nota, a Associação Boi Bumbá Caprichoso também se disse surpreendida com o anúncio dos cortes e espera mudanças até a reunião desta semana. Para a entidade, o governo amazonense, que promove o evento há 27 anos, “não pode mudar tão radicalmente de ideia, de uma hora para a outra”.

“Cada bumbá recebeu do governo do Amazonas, em 2015, apenas R$ 2,04 milhões para a apresentação na arena. Isso e nada mais. Entraram mais R$ 2,4 milhões destinados à iluminação, som e operacionalização do Bumbódromo [local da apresentação], totalizando R$ 8,88 milhões nos dois [bois]. Fala-se agora em R$ 18 milhões gastos no Festival Folclórico. O estado certamente explicará de onde vêm as demais despesas”, afirmou a entidade.

Para o Boi Caprichoso, a culpa da crise na saúde, educação e segurança no estado não pode ser atribuída aos repasses do governo para a festa de Parintins.

Crise

O governo do Amazonas estima que a redução de gastos na cultura vai gerar uma economia de R$ 35 milhões de reais, que poderão ser destinados à saúde. Os cortes também vão atingir as áreas de esporte e turismo.

Segundo o secretário estadual de Cultura, Robério Braga, o corte vai atingir cerca de 30 eventos e não afetará as atividades e empregos da secretaria na capital e no interior. “As atividades que dependem de patrocínio, apoio cultural de infraestrutura e logística nesse momento é que deixarão de tê-los”, ressaltou Braga.

A expectativa do governo amazonense é economizar cerca de R$ 500 milhões até o fim de 2016 com a redução no custeio da máquina pública e de contratos e com o reordenamento de serviços de saúde.

Fonte: EBC

quarta-feira, 18 de maio de 2016

Os cães entrando na sua família! Saiba quais raças de cachorro se dão melhor com as crianças



Os cachorros têm feito companhia aos seres humanos por centenas de anos. Na verdade, não existe uma cidade, povoado ou aldeia em que não existam cães. Nós estamos tão habituados a eles como eles estão a nós e, por isso, seria quase impossível imaginar um mundo sem cachorros

É por essa razão que eles também nos auxiliam em campos tão pessoais como a saúde, especialmente quando se trata de crianças. Crescer com um cachorro é uma experiência bela e determinadas raças são mais adequadas para a convivência com crianças. Vamos a elas.

Ao contrário do que se pensa, a companhia canina pode ser uma ótima forma de auxiliar no desenvolvimento das crianças. Os cãezinhos podem ensinar muitas responsabilidades aos pequenos, fazer com que eles lidem melhor com os próprios sentimentos e, ainda, ser o melhor amigo por muitos anos de vida.

No entanto, antes de levar um cachorro para dentro de casa, é necessário consultar a criança: será que ela quer ter um pet de estimação? Para muitas delas, é um sonho, mas outras podem se sentir inseguros na presença de um animal e a convivência não vai ser nada fácil. Quanto mais velha for a criança, mais consciente será a vontade dela, por isso, nada de dar ao seu recém-nascido um bichinho.

Avaliar as possibilidades que a família tem de incluir mais um membro na casa também é fator de decisão antes de encontrar o cachorro ideal. O animal irá acompanhar a família durante muitos anos e ter um pet significa atenção, cuidados e ainda mais gasto. Será que vocês estão prontos para tudo isso de uma vez só?

Se, ao considerar todos os fatores precisos antes da escolha do cãozinho, a resposta ainda for sim, é hora de pensar no perfil da família e na raça mais adequada para ter muitos anos de alegria ao lado do novo pet.
Os melhores cachorros para as crianças

Se a criança ainda for um bebê, ela terá pouco contato direto com o animal nos primeiros dois anos de idade. Entre os dois e cinco anos de idade, o relacionamento entre as crianças e os pets se estreita e as brincadeiras começam. Contudo, nesta fase seu filho ainda desconhece o tratamento adequado para o bichinho, por isso, raças frágeis podem acabar se machucando com facilidade. 

Além disso, é preciso supervisionar o contato com os cachorros de grande porte, que podem ser desastrados e derrubar as crianças no meio da diversão. Já os mais velhos são capazes de se adaptar a praticamente qualquer tipo de cão, pois conseguem identificar suas necessidades e atendê-las com sucesso.

Golden Retriever e Labrador
As duas raças são muito parecidas: de médio porte, simpáticos e bastante agitados, estes dois companheiros adoram brincadeiras. Eles podem ser treinados e receber comandos, pois também são extremamente inteligentes. Para ficarem saudáveis física e emocionalmente, precisam de uma dieta equilibrada e um bom espaço para circulação, além de passeios diários. O Golden possui o pelo mais longo e adora entrar na água, enquanto que o Labrador tem pelagem curta, que pode ser melhor opção se o animal tiver acesso livre ao interior da casa.

Shih-tzu e Yorkshire
Os dois cães são de porte pequeno, por isso é importante que a criança não faça brincadeiras bruscas com eles. As raças são extremamente sociáveis e adoram o contato com seus donos, seja para ficar em casa ou sair para o passeio, por isso, quando passam muito tempo sozinhos, acabam ficando carentes de atenção, e são ciumentos e possessivos com outras pessoas ou animais. Devido ao tamanho e ao silêncio, cabem em apartamentos e podem ser educados para fazer as necessidades no espaço adequado e evitar os latidos. Apesar dos pelos longos, quase não deixam vestígios pela casa. Entretanto, é necessário manter a limpeza e escovação em dia para conservar a beleza desses bichinhos.

Pug
Apesar de ter um rostinho um pouco assustador, o Pug é muito dócil e paciente. Também pequeno,consegue se adaptar facilmente aos espaços menores. Esta raça, porém, não é muito ativa, por isso, não necessita de muitos exercícios e brincadeiras, embora não recuse um passeio ao ar livre. Eles soltam bastante pelo, por isso pode não ser a melhor opção para as crianças que têm dificuldades respiratórias ou alergias e, quando ficam mais velhos, tendem a ter problemas de saúde. 

Beagle
Essa raça deve ser a mais conhecida pelas crianças, já que é a mesma do cãozinho Snoopy, amigo de Charlie Brown. Como as próprias tirinhas mostram, o Beagle é inteligente, brincalhão e independente, por isso, requer muitas brincadeiras, jogos e passeios, pois a solidão pode deixá-lo ansioso e ele pode acabar fazendo bagunça pela casa, já que adora se divertir. A raça não cresce muito e se mantém leve, mesmo quando adulto, entretanto, suas grandes orelhas precisam de cuidados frequentes para não se tornar um problema de saúde.

Existem outras raças bastante sociáveis, a exemplo do Buldogue Francês, Maltês e West. É tudo uma questão de simpatia e empatia entre o cão e a criança. Vale ressaltar que, no final das contas, todos da casa acabam por se afeiçoar por demais ao cão e passa a fazer parte da família!

Os vikings usavam capacete com chifres! Mito ou verdade?



Quando a maioria das pessoas pensa num viking, a imagem que vem na cabeça é de homens fortes, altos, de cabelo e barba longa, vestindo roupas de pele de animais e, na cabeça, usando um capacete com chifres/ou asas, confere? Essa não é a realidade, pois a imagem é fruto da capacidade criativa do homem e do processo histórico

Os vikings são uma antiga civilização originária da região da Escandinávia, que nos dias atuais compreende o território de três países europeus: a Suécia, a Dinamarca e a Noruega. Também conhecidos como nórdicos ou normandos, eles constituíram uma rica cultura que se desenvolveu devido à atividade agrícola, o artesanato e um notável comércio marítimo.

A vida dos vikings voltada basicamente para os mares também colaborou para que a pirataria se tornasse outra importante atividade econômica destes povos. Em várias invasões realizadas pela Europa Continental, os vikings saquearam e conquistaram terras, especialmente na região da Bretanha, que hoje abriga do Reino Unido. O apogeu da civilização viking ocorreu entre os séculos VIII e XI.

Diante de inúmeros conflitos contra os nobres da Normandia e os ingleses acaba-se por estabelecer o fim desta civilização, entretanto, ainda se encontra presente em algumas manifestações da cultura européia e deixaram um importante legado para a humanidade. Vejamos:


1. Avanços na construção naval e na navegação

Uma das mais importantes inovações dos vikings foi seu modo de cruzar os mares. A ideia de longos barcos de madeira com casco raso e várias fileiras de remos deixava a construção mais leve, mais rápida e mais flexível. Além disso, eles possuíam ferramentas simples de navegação, como bússolas solares, que os permitia navegar grandes distâncias – tanto que estiveram em quatro continentes ao mesmo tempo, sendo considerados a primeira civilização global da História.


2. Língua

Ao travarem grandes confrontos com os ingleses por volta do ano 800 d.C., os vikings também conseguiram mesclar um pouco de sua cultura no Reino Unido. As línguas inglesa e nórdica foram as que melhor apresentaram uma miscigenação que permanece até os dias de hoje. Inúmeras palavras que foram exportadas para outros idiomas possuem origem nesse período de batalhas.
3. Dublin

A capital da Irlanda é um dos destinos preferidos dos brasileiros nos dias de hoje. E não teria como ser diferente: a cidade é uma fofurinha e bem receptiva. Mas você sabia que coube aos vikings criar o primeiro assentamento que deu origem ao que hoje é Dublin? A história, entretanto, foi um pouco cruel: no início, a cidade era um dos maiores mercados de escravos de toda a Europa. A dominação viking na região durou por 3 séculos, chegando ao fim no ano de 1014.


4. Esquis

Os primeiros esquis datam do ano de 8000 a.C., na Rússia, mas coube aos vikings o seu uso mais amplo – tanto que a palavra tem origem no termo nórdico antigo “skío”. Esse povo usava o objeto tanto como meio de transporte quanto de lazer, algo que permanece até os dias de hoje.


5. Pentes

Você pode até pensar que os vikings eram brutamontes sujos, mas essa é uma visão bem errada. Aliás, eles tinham uma higiene pessoal muito mais avançada que outros povos da Europa na época. Tanto que a popularização dos pentes é creditada aos vikings, que não viviam sem o artefato. Além disso, eles tinham pinças, lâminas de barbear e até espátulas de ouvido, para retirar a cera acumulada.


6. Novelas

Boa parte do que se sabe sobre os vikings é devido a escrituras islandesas de autores desconhecidos. Apesar de serem um tanto fantasiosas, essas histórias contavam um pouco da vida na era da expansão territorial dos vikings, sendo reconhecidas como as primeiras sagas ou novelas da História. Os relatos misturam realidade e mitologia, fazendo sucesso entre amantes de mundos dominados por deuses.

Já está disponível o relógio que mostra a órbita dos planetas em tempo real


Se antes as horas eram carregadas no braço, presas com uma fivela ou com velcro, agora elas aparecem na tela de nossos smartphones escondidos dentro de nossos bolsos e bolsas, mas o custo desse facilitador traz um benefício compatível com seu preço?

A empresa Van Cleef & Arpels, fabricante de relógios de luxo, resolveu mostrar que relógios de pulso ainda podem surpreender. Prova disso é o Midnight Planetarium: um relógio que não mostra apenas as horas, mas também o movimento dos planetas do sistema solar.

Representados por pedras preciosas, eles literalmente orbitam em tempo real ao redor do Sol. Ou seja, a pedra que simboliza a Terra demora 365 dias para dar uma volta completa, enquanto a de Saturno, por exemplo, leva 29 anos. Netuno e Urano, cujas órbitas superam a expectativa de vida de um ser humano — 165 e 84 anos, respectivamente — não foram incluídos no relógio.

Mais surpresas

Mas, calma, pois as surpresas não param por aí: como se não bastasse colocar o sistema solar no seu braço, o relógio ainda é envolto com ouro 18 quilates, o que confere à peça maior exclusividade e, portanto, eleva seu preço a níveis astronômicos: US$ 225 mil (o equivalente a cerca de R$ 800 mil, na cotação atual). Vai encarar?

terça-feira, 17 de maio de 2016

14ª Semana Nacional de Museus tem programação nas instituições de todo o país


Com a participação de mais de 1,2 mil museus e cerca de 3,7 mil atividades em todo o país, a 14ª Semana Nacional de Museus começou na segunda-feira (16), com o tema ‘Museus e paisagens culturais’

Museus e Paisagens Culturais é o tema da 14ª Semana Nacional de Museus, que acontecerá entre os dias 16 e 22 de maio de 2016. As inscrições para os museus interessados em participar da temporada de eventos vão até 26 de fevereiro de 2016.

O tema foi proposto pelo Conselho Internacional de Museus – ICOM, para as comemorações do Dia Internacional de Museus, celebrado em 18 de maio, e a 29ª Conferência Geral do ICOM, a ser realizada em Milão no próximo ano. Conheça o ICOM.

Para nortear os museus, o Ibram em parceria com o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – IPHAN, construíram um texto sobre o tema.

14ª Semana Nacional de Museus - Bahia


Na sua 14ª edição, o Museu Geológico da Bahia (MGB) - vinculado à Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE) - foi escolhido para abrigar o evento no Estado. A Semana é realizada em homenagem ao Dia Internacional dos Museus, comemorado em todo o mundo na próxima quarta (18).

O tema da 14ª Semana Nacional de Museus foi proposto pelo Conselho Internacional de Museus (Icom) e será o mesmo da 24ª Conferência Geral do Icom, a ser realizada de 3 a 9 de julho, em Milão, na Itália. Para ilustrar o tema, o Ibram escolheu a obra ‘Pipas’, do artista plástico brasileiro Cândido Portinari.

Aberto ao público


Além das palestras, o público também pode visitar as áreas temáticas do MGB, entre elas o Universo/Sistema Solar e Meteoritos. O museu possui um dos maiores acervos da Bahia, composto de rochas, minerais, pedras preciosas e fósseis com mais de 20 mil peças, proporcionando aos visitantes uma viagem no tempo geológico.

O MGB dispõe ainda de um auditório/cinema, onde serão proferidas as palestras, com 125 lugares e um aconchegante café. Inaugurado em 4 de março de 1975, o Museu Geológico da Bahia está localizado no Corredor da Vitória, em Salvador, e é um centro de pesquisa, divulgação e preservação do patrimônio geológico do estado, que desenvolve projetos de cunho científico, educativo e cultural.

Programação:

Terça-feira (17), às 13h – Exposição 'Imagens Cósmicas'

Quarta-feira (18), às 15h30 – Palestra ‘O Homem e o Universo: um olhar através do Tempo’, com Arno Brichta, professor do Instituto de Geociências da Ufba.

Quinta-feira (19), às 15h30 – ‘Geoparque de Morro do Chapéu (Bahia) – Proposta’, apresentado por Antonio José Dourado Rocha, geólogo do Serviço Geológico do Brasil (CPRM).

- ‘Patrimônio Arqueológico de Morro do Chapéu - Pinturas Rupestres’, apresentado por Carlos Etchevarne, professor da Ufba.

Artistas ocupam Funarte em SP em protesto contra decisão de fechamento do Ministério da Cultura





Continua gerando repercussões negativas em todo o país, a decisão do novo mandatário da República de encerrar as atividades do Ministério da Cultura que foi fundido com o Ministério da Educação


Artistas ocuparam na tarde de hoje (17) a sede da Fundação Nacional de Artes (Funarte) em São Paulo. Eles chegaram ao local por volta das 15h e se instalaram em um galpão, onde pretendem permanecer por tempo indeterminado em protesto contra o presidente interino Michel Temer, o impeachment da presidenta afastada Dilma Rousseff e contra o fechamento do Ministério da Cultura (Minc), que foi integrado ao Ministério da Educação.

“Nós, artistas e ativistas, trabalhadores da Cultura, estamos neste momento ocupando a Funarte contra o golpe, contra o governo que não reconhecemos e pelo Minc”, gritaram os artistas, em jogral.

Os artistas fixaram várias mensagens contra Temer galpão da Funarte, com os dizeres “Cultura fica. O grupo se identifica como um movimento horizontal, plural e sem lideranças. Na ocupação, haverá espaço para apresentações e performances artísticas, segundo os organizadores. Os artistas pretendem fazer uma assembléia por volta das 22h para decidir mais detalhes sobre a ocupação e próximos atos.

“Essa [o fechamento do Ministério da Cultura] foi uma atitude de quem não pensa no impacto. Parece um ato vingativo. Mas o que nos une nessa ocupação, e nas outras pelo Brasil, no MinC e na Funarte, e é o motivo principal, é que somos contra o golpe ocorrido no Brasil, golpe dado pelo Michel Temer”, disse o ator Alessandro Azevedo.

Para o artista, o fato de Temer ter cogitado voltar atrás na extinção do ministério, tornando-o uma secretaria, significa que a medida não foi tomada para economizar gastos. “Não é por economia, porque a cultura gera muito emprego, mobiliza grandes setores da economia.”

O ator Pascoal da Conceição, conhecido por interpretar o Doutor Abobrinha no programa Castelo Rá-Tim-Bum, esteve no local no meio da tarde de hoje e manifestou seu apoio à ocupação.

“Estamos nos colocando nas ruas para trazer uma nova forma de fazer política, uma nova maneira de participação na política”, disse. “Estamos vivendo uma situação de usurpação. Há uma coisa injusta que foi colocada na roda que é o fato de ter tirado um governo eleito pelas pessoas e que tinha um programa, mesmo que não tivesse sido cumprido, com o qual a população concordava. A população não votou no programa de governo que está chegando agora”, criticou.

Na noite de hoje, artistas também se reuniram no Teatro Oficina, na região central de São Paulo, para protestar pelo fechamento do Ministério da Cultura.

Referência: EBC

segunda-feira, 16 de maio de 2016

Necessidade de reeducação alimentar no século XXI: “o excesso de peso mata mais do que a falta de peso”





O problema global da má alimentação vem criando uma certa ‘noia’ nas pessoas. Não coma carne vermelha pois é carregada de colesterol. Opte pelo frango: estaria carregado de hormônios danosos à saúde. Então coma peixe: os rios e os mares estão excessivamente poluídos. Transforme-se em vegetariano: as verduras são cultivadas à custa de agrotóxicos. E aí, qual a saída?


A má alimentação é um problema global, e vem piorando a cada ano. Isso resultou, em uma epidemia mundial, que é a obesidade. A cada ano, os índices de pessoas acima do peso, e de pessoas obesas aumentam e muito, e isso resulta em 2,8 milhões de mortes/ano, como resultado do excesso de peso.

Chegamos a um ponto, que o excesso de peso mata mais do que a falta de peso. Os EUA apresentam os índices mais preocupantes, fazendo com que as doenças ligadas á má alimentação, matem mais anualmente. Em todo o mundo, os índices de obesidade crescem a todo vapor, e o Brasil vem logo atrás dos EUA.

O “Food Revolution” (Revolução Alimentar) é um projeto do Chef Britânico Jamie Oliver que começou na Inglaterra, e agora já está presente em mais de 510 cidades do mundo. Jaime Oliver vem se dedicando á oito anos em salvar vidas da maneira dele. O “Food Revolution” tem como objetivo mudar os hábitos alimentares das pessoas, promovendo a “real comida” para todos.

O dia 15 de maio é o “Food Revolution Day”, dia dedicado especialmente para as pessoas discutirem e debaterem as questões alimentares no mundo, conversarem sobre comida de verdade, e inspirarem as pessoas a terem bons hábitos alimentares. Esse dia tão importante acontece nas casas, cozinhas, comunidades e restaurantes de vários países do mundo, com um único objetivo: melhorar a saúde e a qualidade de vida, através da boa alimentação.

Jamie Oliver quer com a ajuda de todos, educar a cada criança a cerca da boa alimentação, inspirando as famílias a cozinharem de novo, e capacitando pessoas de todo o lado para lutar contra a obesidade. Em seu projeto, Jamie tem a meta de ensinar as crianças ainda na escola a cozinharem 10 pratos, que “salvarão suas vidas”.

O problema no Brasil


O Brasil vem sofrendo a cada ano com os índices de obesidade, e se continuarem crescendo nesse ritmo, em 10 anos chegará ao que são os Estados Unidos hoje: o país com o maior numero de pessoas obesas no mundo.

Números comprovam que o Brasil enfrenta um grave problema. 49% dos Brasileiros estão acima do peso, 15% são obesos, e 36,6% das crianças brasileiras estão acima do peso. Esta na hora do Brasileiro rever os seus hábitos alimentares, visando uma boa saúde e qualidade de vida.

É preciso rever o que estamos comendo diariamente, sempre buscando saber de onde a comida vem, e como é feita. Com o passar dos anos, a vida das pessoas se tornou mais corrida, e aquela comida caseira do dia a dia acabou. A maioria das pessoas comem em restaurantes ou lanchonetes, ocasionando uma má alimentação.

O “Food Revolution” tem o objetivo de fazer com que as famílias voltem a cozinhar em casa e, acima de tudo, optem por pratos saudáveis e que componham uma boa alimentação. O projeto de Jamie Oliver chegou ao Brasil pela primeira vez em 2012, nas cidades de São Paulo (SP) e Florianópolis (SC) e Brasília (DF), com muitas palestras e cursos de boa alimentação.

Ontem, 15 de maio, todos foram convidados a repensar a sua alimentação, mas que essa ação não se limite ao “Food Revolution”, e sim uma prática diária. O Brasileiro precisa encarar um já real e grande problema que cresce a cada dia no país, que é a obesidade. Precisamos educar as nossas crianças a se alimentarem bem, já pensando num futuro próximo.

Referência: Petit Gastrô