quinta-feira, 14 de abril de 2016

Marisa Urban | Uma das musas do verão carioca da década de 60 que também foi atriz e jurada de TV



A paulista de Aparecida do Norte Marisa Urban, nascida em19 de outubro de 1938, trilhou o mundo dos palcos como modelo, cantora, apresentadora de televisão e atriz de cinema. Sua estréia ocorreu no filme "Garota de Ipanema" de 1967e seguiu-se com "O Engano" (1968), "Adultério à Brasileira" (1969), "O Donzelo" (1970), e "Parafernália, o Dia da Caça" 

Em meados dos anos 60 o Rio de Janeiro criava musas e, sem se saber o porquê, uma garota podia sair à rua e ser notada. Aí alguém ia conversar com ela e percebia que, além de bonita, era interessante como pessoa, e só então se descobria que já havia muito mais gente de olho nela. Com um pouco de estrela, alguns verões depois, nascia –espontaneamente – uma musa.

Em 1966 chegava às bancas a revista Fairplay, precursora de Ele Ela, Status e Playboy. Após algumas dezenas de edições, a revista trazia a nudez inesperada e desejada de várias musas da época, entre elas Marisa Urban.

Marisa foi jurada em programas de televisão como o do polêmico Flávio Cavalcanti, que a projetou nacionalmente. Em 1968, atuou no Tele-teatro do programa "Bibi ao Vivo". Em 1969, realizou um show ao lado de Martinho da Vila e Clementina de Jesus sobre a história do samba, no Teatro Opinião, no Rio de Janeiro. Entre os anos 80 e 90, Marisa Urban comandou o programa 'Gente do Rio' e chegou a apresentar o programa 'Deles & Delas', ao lado de Leleco Barbosa.

No cinema, além dos filmes já citados, atuou em "Êxtase de Sádicos" (1973), "The Sandpit Generals" (1971), "Até Que o Casamento Nos Separe" (1968), "Dezesperato" (1968), "As Sete Faces de um Cafajeste" (1968), e "Os Viciados".

Um comentário:

  1. Marisa Urban, musa sim...eu estudava engenharia à noite pois trabalhava de dia, quando a Marisa ia aparecer na TV eu matava as últimas aulas, não podia perder aquela musa por quem me apaixonei perdidamente, ela na TV e eu embasbacado com tanto charme, beleza, ternura nas palavras, um sonho. Adeus minha paixão, nosso tempo já começou a fechar as cortinas e daqui a não muito já não estaremos mais respirando o mesmo ar, admirando o mesmo sol, embevecidos pelas luas platinadas dos céus de nossas vidas. Beijos.

    ResponderExcluir

Seu comentário será publicado após análise.
Obrigado!