domingo, 3 de abril de 2016

Em espetáculo imperdível, Gil e Caetano celebram um 'século de música' nos 467 anos da capital baiana

Foram cerca de 150 mil pessoas entre nativos e visitantes em dos mais belos cartões postais da Bahia, o Farol da Barra, na noite de ontem, sábado (2), onde o público interagiu intensamente em com os artistas

Um público recorde acorreu ao Farol da Barra lotando todo e qualquer espaço disponível, do gramado em frente ao farol ou se espremendo pelas adjacências, em uma avidez incontrolável para ver e ouvir os filhos da terra que fizeram duas festas em uma só noite, onde celebraram os 50 anos de carreira e os 467 anos de Salvador.

Bastante intimista, os amigos de longas datas e com um cabedal formado por "um século de música" cantaram para o imenso público presente, mas também um para um para o outro, em verdadeiro concerto de violões.Um show único. Às 20:15 h, Caetano e Gil entraram no palco e, sem maiores de longas, iniciaram o show com exatas duas horas de duração. 

Sem saudação inicial e com despedidas limitadas a acenos para o público, dois dos maiores representantes da MPB desfilaram um rosário de belas canções, algumas figurinhas carimbadas e outras de conhecimento restrito aos conhecedores da trajetória dos ‘setentões’.

Já disponível em CD e DVD, o show integra a turnê "Dois Amigos, Um Século de Música", que já foi apresentado em diversos estados brasileiros e países da Europa e da América Latina. "

Recém saído de uma internação hospitalar, Gil deu um pequeno susto nos expectadores no final do espetáculo, quando acabou caindo ao tentar sentar na cadeira no retorno de uma das duas saídas de palco.

Viés político


Sob entusiásticos aplausos do enorme público, a dupla iniciou o show com a canção "Back in Bahia", composta por Gil em período pós-exílio, em 1972. A música foi seguida de "Coração Vagabundo", gravada em 1967, que está no primeiro disco de Caetano Veloso.

A apresentação foi marcada por forte participação política do público. Após a canção "Odeio", grande parte dos presentes entoou em coro: "Não vai ter golpe", uma manifestação contra impeachment da presidente Dilma Rousseff. Em resposta de apoio, Caetano Veloso concordou: "Não vai ter".

Após arrancarem aplausos e gritos de "Eu te amo" com várias canções, a dupla catou "Filhos de Gandhy" e fizeram uma rápida saída do palco. Convocados pelo público retornaram com "Desde que o samba é samba". A festa continuou e o coro da "Luz de Tieta" irradiou. Pela segunda vez, a dupla deixou o cenário e voltou aos olhos do público ao som de "O Leãozinho". A festa acabou com a canção "Three Little Birds", clássico de Bob Marley. 

Como sombra, em tecido multicolorido lembrando as cores do Bloco Olodum, exposto ao fundo do palco, a bandeira do Brasil se manteve durante todo o espetáculo.Lembrando muito as festas de réveillon, o show foi encerrado com uma bela queima de fogos embevecendo ainda mais o público presente. 

Salvador mereceu o show dos seus dois filhos amados na comemoração dos seus 467 anos de história, luta e inigualável beleza!


Euriques Carneiro

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após análise.
Obrigado!