Construção - Reforma - Manutenção

Construção - Reforma - Manutenção
Clientes encantados é a nossa meta!

quarta-feira, 23 de março de 2016

Sugestões de filmes para ver no feriadão da Semana Santa



Mais um feriadão e esse tem um significado especial. Para muitos, é época de reflexão, de mergulhar nos mistérios da morte do Filho der Deus e, dessa forma, muitos optam pelo almoço em família na Sexta da Paixão, formando um típico programa caseiro. Assim, nada melhor que ver bons filmes

A lista que o Artecultural sugere abaixo, não tem a pretensão de agradar a todos, mas procuramos nos pautar pela qualidade dos longas e fazer uma seleção eclética, que abrangesse uma significativa parcela dos que nos acompanham nesse espaço de arte e cultura.

Uma excelente Páscoa todos, com muita paz, saúde e harmonia!

Winter, o golfinho
As criaturas famosas que povoam o oceano do entretenimento - Moby Dick, Flipper, a baleia Willy, Bob Esponja, Polvo Paul, entre outros - acabam de ganhar um novo companheiro, a protagonista de “Winter, o Golfinho”, filme claramente destinado ao público infantil.

O dia em que Hollywood entendeu a Bíblia

Houve um tempo em Hollywood em que os produtores descobriram que a Bíblia podia lhes render um bom lucro. A fórmula era fortão se apaixona por mulher ideal e detona um império. O ator podia ser podia ser um gladiador, um rei, um escravo, um romano, um hebreu como Sansão; a atriz podia ser uma escrava, uma cristã, uma plebeia, às vezes uma pagã fatal como Dalila; o império derrotado ou era o filisteu ou era preferencialmente o romano.

Decisões extremas
“Decisões Extremas” surpreende logo no seu início. E não falo de invencionices do roteiro ou qualquer coisa envolvendo a história em si. Surpreendente é ver, pela primeira vez desde Star Wars, Harrison Ford não ser o nome principal a ser creditado. O longa-metragem é produzido pelo ator que, talvez até por isso, tenha se sentido menos tentado a encabeçar o elenco, deixando a função para Brendan Fraser. É no mínimo curioso.

Como Estrelas na Terra


Contam-se nos dedos os bons filmes produzidos por Hollywood. Infelizmente, o mesmo pode ser dito de Bollywood, a indústria de cinema indiana. Por isso, é uma grata surpresa se deparar com pérolas raras como o filme “Como Estrelas na Terra – Toda criança é especial” (“Taare Zameen Par – Every child is special”, no original, lançado nas salas indianas no fim de 2007). O filme rapidamente conquistou uma legião de admiradores na Índia e no mundo, recebendo os prêmios de melhor filme e melhor ator pela crítica, além do prêmio de melhor direção, para Aamir Khan, e de melhor letra de música pelo Filmfare Awards. 

Um Sonho Possível

Se não fosse uma história real, eu a consideraria quase inverossímil, mas como é, pode-se dizer que se trata de um bom exemplo de como os seres humanos ainda podem manifestar amor desinteressado – tão desinteressado que chega a levantar suspeitas. É o que acontece no filme “Um Sonho Possível”, estrelado por Sandra Bulluck, no papel que lhe concedeu o Globo de Ouro de melhor atriz em 2010.

Sempre ao Seu Lado

“A inteligência apresentada por muitos mudos animais chega tão perto da inteligência humana que é um mistério”. Os animais veem e ouvem, amam, temem e sofrem. Eles se servem de seus órgãos muito mais fielmente do que muitos seres humanos dos seus. Manifestam simpatia e ternura para com seus companheiros de sofrimento. Muitos animais mostram pelos que deles cuidam uma afeição muito superior à que é manifestada por alguns membros da raça humana.

Um homem invictus

Nelson Mandela é um homem que não foi derrotado; é um homem invicto. Após quase 30 anos na prisão sob a linha segregacionista do regime apartheid, Mandela saiu da cela prisional para o salão presidencial. Com o poder nas mãos, ele tinha tudo para encarnar os temores de uma grande parcela dos brancos da sociedade sul-africana: vingança, revanchismo, ajuste de contas. Com o poder nas mãos, ele tinha tudo para incorporar as expectativas de uma grande parcela dos negros sul-africanos: idem, idem, idem. Mandela, porém, superou os preconceitos e medos de todos os lados ao propor a construção de uma nova sociedade baseada na reconciliação.

Era uma vez em Nova Iorque
James Gray é um pintor. E não é qualquer um capaz de transformar uma história tão pesada em um filme tão belo. Ewa (Marion Cotillard), imigrante russa, chega à Grande Maçã dos anos 20 e logo percebe que a segurança hipoteticamente oferecida por sua família de nada vale no novo mundo. Ela precisa se prostituir para garantir o dinheiro que vai tirar sua irmã da quarentena da Ilha Ellis (entrada dos estrangeiros no país) e logo divide a atenção de Bruno (Joaquin Phoenix), cafetão com pinta de produtor de teatro, e Emil (Jeremy Renner), mágico de araque.

Garota Exemplar

David Fincher emascula Ben Affleck, dá a Rosamund Pike um papel que separa as estrelinhas das supernovas e cria um estudo sobre casamento e o terror que ele traz disfarçado de thriller.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após análise.
Obrigado!