Construção - Reforma - Manutenção

Construção - Reforma - Manutenção
Clientes encantados é a nossa meta!

terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

“A Boca e o Beijo” é o novo trabalho musical de Gilton Della Cella

    
 O baiano da cidade de Ubaíra, no verde vale do Jiquiriçá, Gilton Della Cella, está lançando o seu mais novo CD onde mostra a maturidade e a evolução do cantor e compositor que já contabiliza mais de três décadas de carreira


Gilton iniciou a sua carreira artística em 1984 no festival dos bancários da Bahia, onde arrebatou o 2º lugar com a música “Grande Circo Brasileiro” em parceria com Solon Belo, ganhando também naquela noite, o prêmio de melhor letrista. 

Em 1997 voltou a vencer o mesmo festival desta vez com a música “Canto de Açoite” em parceria com Ito Moreno. Ainda falando de festivais, Gilton Della Cella teve presença marcante, vencendo o Festival Disparada – 1984, promovido pelo Sistema Nordeste de Comunicação (SBT), com a música “Destino Lavrador”, em parceria com Kleber Ramos e Renato Fechine, festival de música de Itaberaba 1984 e 1985 com as músicas “Grande circo brasileiro” e “Canto de Açoite”.

Participante do projeto Banco de Talentos, promovido pela FEBRABAN em 1994-1998-2000-2002-2004-2006-2007-2008-2009, com apresentações no Memorial da América Latina, Tom Brasil e Citybank Hall-São Paulo, sob a batuta do maestro Nelson Ayres e Marcos Romera. Selecionado pelo projeto Circuito Cultural Banco do Brasil - 2003, dividiu o palco com Luiz Melodia. Em 2010 ficou em segundo lugar no festival da Rádio Universitária de Fortaleza, com a música “Pancada da viola”, em parceria com Pedro Sampaio e Marcelo Avattá. Também em 2012 venceu o festival da Rádio Educadora da Bahia, com a música de sua autoria Nação Indígena. Em 2011 ganhou o prêmio de melhor letrista do festival de Angra dos Reis (Ilha Grande) com a música Navegador de Sonhos.

“Bahia de Todos os Forrós” 


Ao lado de outros nomes da música baiana, Gilton foi idealizador, produtor e participante dos CDs BAHIA DE TODOS OS FORRÓS em 2012 e “A BAHIA CANTA DOMINGUINHOS em 2013.

Em 2014, com o show “3 na Estrada” juntamente com Pedro Sampaio e Marcelo Nunes, fora classificados entre 27, de 387 projetos inscritos, através dos editais do fundo de cultura do Governo da Bahia para circulação de shows pela Bahia, os quais foram realizados em Camaçari, Salvador (Pelourinho), Xique Xique, Uibaí, Paratinga e Ibotirama.

Já participou de eventos com Fagner, Zé Ramalho, Dominguinhos, André Rio, Flavio José, Ney Matogrosso, Elba Ramalho, Jorge de Altinho e Marinês.

Discografia: 


“Alma rasgada” (MPB) (1995), “Balanço de rede” (1998), “Forró de Qualidade” (2004), Dos Brasis a Bagdá – (2006) No Olho do furacão (2008), Perfil (2010), Mistura Brasileira (2014) e A Boca e o Beijo (2016).

Depoimento do Secretário de Cultura BA, Jorge Portugal

Sobre a carreira de Gilton, um dos mais laureados compositores baianos, o Jorge Portugal, escreveu:

“Conheço Gilton há muito tempo e desde lá sou testemunha e admirador do seu talento. Dos últimos festivais de música realizados na Bahia ele foi participante ativo. Levando sempre a contribuição de sua destacada inteligência. Músico de melodias invulgares. Poeta de imagens arrebatadoras. Gilton sempre trilhou o caminho da coerência, não se deixando seduzir pela vias fáceis das produções descartáveis.

Agora nos apresenta este belíssimo CD onde confirma, com suas canções, a condição de um dos melhores de sua geração. A atmosfera de sons nordestinos que perpassa o disco, o passeio que a poesia traz através das letras, atestam que é possível ser popular sem inclinar-se à vulgaridade e, quando se é autêntico intérprete do povo, pode-se captar toda a musicalidade essencial de sua gente e devolve-la com lapidação de mestre.

Gilton é isso mesmo: um toque de mestre na alma das canções.”




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após análise.
Obrigado!