Construção - Reforma - Manutenção

Construção - Reforma - Manutenção
Clientes encantados é a nossa meta!

domingo, 31 de janeiro de 2016

Uma polêmica que faz 40 anos, envolveu Paulinho da Viola e Benito di Paula

 
O mundo da música está recheado de polêmicas entre cantores e compositores e, embora nem sempre os desentendimentos sejam comprovados por seus protagonistas, o público não deixa de especular, assumindo sempre um lado da questão

Um desses imbróglios aconteceu com um dos maiores sucesso de Paulinho da Viola, a música "Argumento". Lançada em 1975, a canção falava sobre a descaracterização do samba em relação ao ritmo e seu instrumental. Confira: "Tá legal Tá legal, eu aceito o argumento Mas não me altere o samba tanto assim Olha que a rapaziada está sentindo a falta De um cavaco, de um pandeiro ou de um tamborim Sem preconceito ou mania de passado Sem querer ficar do lado de quem não quer navegar Faça como um velho marinheiro Que durante o nevoeiro Leva o barco devagar".

Naquela época, a bossa nova - gênero que foi definido como uma vertente derivada do samba - já havia estourado havia duas décadas. No mesmo período o artista Benito di Paula despontava com um samba tocado ao piano. Lançado em 1973, dois anos antes da composição de Paulinho, "Retalhos De Cetim" foi um dos maiores sucessos de Benito.

Surge então o boato de que Paulinho referia-se a esta música. "Ensaiei meu samba o ano inteiro Comprei surdo e tamborim Gastei tudo em fantasia Era só o que eu queria E ela jurou desfilar pra mim, Minha escola estava tão bonita Era tudo o que eu queria ver, Em retalhos de cetim Eu dormi o ano inteiro E ela jurou desfilar pra mim Mas chegou o carnaval E ela não desfilou, Eu chorei na avenida, eu chorei Não pensei que mentia a cabrocha Que eu tanto amei".

Paulinho, por sua vez, jamais reconheceu que escreveu o seu samba para Benito. Diante do contexto dos anos 1970, o sambista claramente questionava o que o samba realmente era após tantas manifestações que se definiam como um braço do gênero, mas sem acusar ninguém. 

Apesar disso, Benito lança também "Não Me Importa Nada", música que parecia retrucar, em ritmo carnavalesco, as opiniões de Paulinho. "Já não tenho hora, já perdi meu sono Não me importo nada, eu lhe abandono Já não tenho hora, já perdi meu sono Não me importo nada, eu lhe abandono Você me aborrece, com opiniões Você nem merece, nem me ver passar Você quer que eu fale, mas eu vou dizer Olha, eu só tenho que ter Pena de você Você está perdido, se perdeu no tempo Da cabeça aos pés, tá cheio de vento Faça alguma coisa, deixa a gente em paz Olha o campo verde, é todo seu, rapaz"!

Plágios

Outro problema que volta e meia povoa o mundo da música são as acusações de plágio nas composições. Muito deles foram parar nos tribunais e algumas casos mais polêmicos tornaram-se bastante conhecidos: confira: 

Jorge Ben Jor x Rod Stewart 

O brasileiro acusou o britânico de ter usado oito compassos de Taj Mahal na famosa música Do Ya Think Im Sexy . Antes de Jorge entrar com um processo, Stewart doou os créditos da canção para a Unicef e não houve batalha judicial.

Bon Jovi 

Bon Jovi foi acusado por Samuel Bartley Steele de ter retirado sua letraMan I Really Love This Team para compor a canção I Love This Town . Steele, que é vocalista da banda The Chelasea City Council, pediu 400 bilhões de dólares (cerca de R$ 900 bi) pelos danos. O processo continua em aberto.

Red Hot Chili Peppers

Outro caso de músicas similares aconteceu como Red Hot Chili Peppers. Ao lançar o álbum Stadium Arcadium , o grupo californiano foi acusado de se inspirar na música Mary Jane's Last Dance , de Tom Petty.

No Brasil 

Em um caso que deu o que falar por aqui, a banda brasileira Nx Zero foi acusada pelos americanos do Taking Back Sunday de plagiar uma de suas músicas.

Em um vídeo postado na internet, os integrantes falam sobre o caso. "Basicamente tiraram nosso refrão e cantaram em português com melodia e tudo", diz um dos membros da banda.

A banda brasileira preferiu não se manifestar, mas Rick Bonadio, produtor do grupo, disse que o caso era "coincidência". "Essa é mais uma das muitas coincidências do mundo musical em que hoje, na música pop universal, é inevitável que trechos das melodias pareçam umas com as outras", explicou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após análise.
Obrigado!