Construção - Reforma - Manutenção

Construção - Reforma - Manutenção
Clientes encantados é a nossa meta!

quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

Antonov AN-225 Mriya | Uma lenda da aviação que, se não fosse um cargueiro, poderia transportar mais de 1500 passageiros


Imaginem um bólido com comprimento de 84 metros, 88,4 metros de envergadura e capacidade de levantar voo com uma carga máxima de 600 mil quilos e que ele estacionado ocuparia quase que inteiramente um campo de futebol...


Dentre as aeronaves existentes, não existe nenhuma maior do que o Antonov AN-225 Mriya voando pelo mundo — nem mesmo o famoso Airbus A-380 que, para que se possa comparar, conta com 72,72 metros de uma extremidade a outra e 79,75 metros de envergadura.

E ainda no terreno das comparações entre o Antonov e o Airbus, se o AN-225 Mriya fosse usado para transportar passageiros, ele poderia levar inacreditáveis 1,5 mil pessoas a bordo, ou seja, quase o dobro da capacidade do A-380 — de 850 passageiros —, que é o maior avião comercial em atividade no mundo.


Nascimento de um gigante

Projetado pela Antonov Design Bureau na Ucrânia, quando o país ainda fazia parte da União Soviética, apenas um AN-225 Mriya foi construído, entre os anos de 1984 e 1988. Originalmente, o avião foi concebido para transportar o ônibus espacial soviético Buran na parte externa da fuselagem — o que ele fez durante o Paris Air Show, de 1989 — e, na época, ele era 50% maior do qualquer outra aeronave do planeta.

Transporte militar

Na verdade, o AN-225 nasceu no finalzinho da Guerra Fria, e teve como inspiração um modelo anterior, o AN-124, que atuava no transporte militar. O que os engenheiros soviéticos fizeram foi, basicamente, aumentar o tamanho do Antonov AN-124 — que já não era pequeno — em pouco mais de 12 metros e adicionaram outros dois motores.

Ainda no final dos anos 80, a Antonov começou a construir um segundo AN-225. Contudo, infelizmente, devido a problemas financeiros e ao fim da União Soviética, a conclusão do modelo foi abandonada pela empresa em meados de 1994. Devido ao sucesso do outro Mriya em atividade, especulou-se a retomada do projeto de seu “irmão” em 2006. Mas, apesar dos esforços e previsões, o projeto foi finalmente abandonado em agosto de 2009.

Mesmo assim, boatos sobre um modelo ainda maior e mais robusto circulam desde o século passado. O sucessor seria o AN-325, que teria mais dois motores — totalizando oito — e estaria apto a levantar voo com ainda mais toneladas em seus compartimentos. Entretanto, nada oficial foi confirmado pelo fabricante até o momento.


Grandalhão dos ares

Por ser um avião antigo, o AN-225 não é nenhuma maravilha tecnológica, e grande parte de seus comandos são realizados a partir de procedimentos analógicos. Entretanto, mesmo com todo o seu tamanhão, o AN-225 pode chegar a 850 quilômetros por hora — a mesma velocidade média de aviões tradicionais tripulados.

A envergadura das asas de 88,4 m — imagine a distância de uma trave a outra em um campo de futebol! — é o grande segredo para manter a vigorosa máquina segura nos ares, juntamente com seus seis motores do tipo Turbofan Lotarev D-18T, capazes de gerar mais de 23 mil quilos de empuxo cada um. Já na hora do pouso, 32 rodas em 14 rolamentos são necessárias para suportar o impacto da aterrissagem, que pode superar, somando-se avião e carga, as 600 toneladas.
Supercarga

Com dimensões gigantescas, o Antonov AN-225 Mriya é o maior avião de transporte comercial de cargas no planeta. Ele tem capacidade para carregar 200 toneladas só em seu rack exterior — sem falar em todo o peso que ele pode levar em seus compartimentos interiores.

Diferente de Boeings convencionais, o AN-225 possui uma porta móvel com mais de 6x4 metros na parte frontal de sua estrutura para receber e descarregar cargas. Dessa forma, peças e objetos de grande porte podem entrar com mais facilidade.

Além disso, ele também conta com uma rampa com engrenagem móvel que é acionada apenas no embarque. Sem falar que, apesar de a fuselagem superior tolerar menos peso, ela permite o transporte de cargas de maiores dimensões — desde que a aerodinâmica dos itens permita.

Para fechar a história desse mastodonte, vai mais uma curiosidade sobre o Antonov AN-225 Mriya: no filme "2012", um modelo AN-225 foi usado durante as filmagens e também recriado com efeitos especiais. Algumas características, como a cabine e portas de entrada, foram modificadas para as cenas, e o protótipo fictício foi chamado de AN-500 — o que seria uma versão atualizada e mais moderna do seu antecessor.


Referência: Mega Curioso

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após análise.
Obrigado!