domingo, 20 de dezembro de 2015

O tesouro Exército de Terracota cria a impressão de um campo de batalha de soldados arruinados e mostram a face da futilidade da guerra e da vaidade dos imperadores

O Guerreiros de Terracota.
O esplêndido tesouro, legado do primeiro imperador da China unificada, foi descoberto em 1974 por camponeses que cavavam um poço. Entre os guerreiros de terracota descobertos nas três catacumbas há arqueiros, cavalaria, cocheiros e soldados armados empunhando lanças e adagas
O fantástico conjunto é formado por cerca de 8 mil soldados, arqueiros e cavalos feitos de argila amarela, em tamanho natural, para guardar o túmulo do Imperador Qin Shi Huangdi, que unificou a China há mais de 2.200 anos. O exército deveria proteger o Imperador após a sua morte.

O escalão militar dos soldados pode ser determinado ao se examinar seus cortes de cabelo e sutis pontos em seus uniformes. Originalmente, suas roupas eram pintadas de verde, vermelho, roxo e azul, mas apenas alguns traços do pigmento permaneceram.

Posicionados em formação de batalha, vários soldados de terracota e seus cavalos protegem o túmulo do Imperador Qin Shi Huang. Apesar de ser de beleza impressionante, o exército não foi criado para ser visto por olhos de meros mortais. As figuras de argila foram enterradas mais de 2 mil anos atrás em catacumbas subterrâneas, prontas para escoltarem o imperador à vida eterna.
Cada Guerreiro é único.

O Museu onde estão os Guerreiros fica no próprio local onde eles foram descobertos, resultando no maior museu em seu próprio sítio que existe no mundo. A descoberta dos Guerreiros de Xian se deu de forma acidental. Numa grande seca que aconteceu no ano de 1974, portanto há muito pouco tempo atrás, alguns camponeses, tentando cavar um poço para encontrar água para irrigação, encontraram algumas cabeças e parte dos corpos de alguns Guerreiros.

Mausoléu de 246 A.C.


O Mausoléu começou a ser construído em 246 a.C.. Na trincheira 1 fica a infantaria, é a mais impressionante de todas. Nela ficam cerca de 6 mil guerreiros em formação de batalha. Na parte de trás da galeria existem muitas cabeças e fragmentos que ainda serão reconstruídos. Na trincheira 2, aparece a cavalaria e os soldados, na 3 que ainda não foi escavada fica o centro de comando do exército com 70 oficiais de alta patente. As trincheiras eram cobertas por ripas de madeira e depois soterradas.

Os Guerreiros originalmente eram coloridos, pintados em cores vivas. Quando foram encontrados, o contato com a luz fez as cores desaparecer. Hoje, uma parte do exército ainda está soterrada, pois a China, em parceria com a Alemanha está desenvolvendo fixadores, que possam ser injetados no subsolo e garantam a permanência das cores, mesmo após a escavação.

Muitos Guerreiros empunhavam armas de madeira, espadas, arcos, flechas e lanças que o tempo destruiu. A posição ajoelhada dos arqueiros é um dos destaques do exército. Todos os 8 mil guerreiros são figuras únicas, com feições diferentes umas das outras. Os detalhes estão nas roupas, armaduras, calçados, cintos e penteados trabalhados.

O túmulo de Qin Shi Huangdi fica numa grande colina (uma pirâmide de terra) a cerca de 1,5 quilômetros das trincheiras onde estão os Guerreiros. Acredita-se que a colina é o local do túmulo do Imperador, mas ainda não foi escavado, pois existe o temor de que as chuvas possam afetar a sua estrutura.

Túmulos do horror


Para fazer o seu mausoléu, Qin Shi Huangdi recrutou cerca de 700 mil homens, que trabalharam durante 36 anos. Fontes históricas afirmam que no local existem também 48 túmulos de concubinas que foram enterradas vivas para servir ao Imperador. Operários também foram enterrados vivos para evitar que se descobrissem as entradas, a localização e o projeto do túmulo.

Outro tesouro do Exército de Terracota são as carruagens de bronze que foram desenterradas e remontadas. Possuem metade do tamanho natural. Uma delas tem mais de 3.600 peças.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após análise.
Obrigado!