sábado, 28 de novembro de 2015

Vai visitar Floripa? Tem que esticar a viagem até Balneário Camboriú!


Desde que decidi conhecer a terra de Gustavo Kuerten, já incluí no pacote uma esticada até Balneário Camboriú, distante 90 km da capital catarinense e uma das joias do turismo do estado

Uma olhada na internet sobre roteiro de viagem, atrações e outras informações sobre o destino, carro alugado e peguei a estrada em uma manhã de sábado. Pista duplicada, em ótimo estado, apenas um posto de pedágio ao módico preço de R$ 1,90 e um detalhe chamou à minha atenção: a falta de placa de informando que aquela autopista leva até Camboriú. A cada 5, 10 km vê-se placas informando a distancia até Bombinhas, Porto Belo, Itajaí e até capitais de outros estados como Curitiba e Porto Alegre, mas para a maior atração turística do estado, existe apenas uma, 30 km antes do balneário. Confesso que não entendi a estratégia do responsável pela sinalização da rodovia.

Chegando à cidade, a sinalização é bastante clara informando a Rodovia Interpraias que leva o motorista de Laranjeiras até a praia de Estaleirinho. A minha parada foi em Laranjeiras, bem ao lado de onde parte o teleférico. Existem vários estacionamentos que cobram de R$ 5 a 15 a diária. Logo na chegada, você passará por um centro comercial, onde há vários restaurantes, lojas de artesanato e caixa eletrônico. Antes de pisar na areia, você será abordado por vários vendedores oferecendo-lhe aluguel de cadeiras de praia que pode custar de R$ 5 a 10, dependendo da negociação.



Também vai ser difícil escapar dos garçons de vários restaurantes, todos com os cardápios em punho e é aí que está o ‘x’ da questão: se você sentar-se a uma mesa e pedir o prato do menu, vai levar uma dolorosa ‘facada’ na conta, mas se negociar antes, o almoço pode sair pela metade do preço.

Desvencilhei-me dos garçons/vendedores e fui andando até o local onde dois barcos temáticos, - Pirata e Capitão Gancho, - fazem passeios pela orla do balneário ao preço de R$ 40 por pessoa. Como não estava a fim do passeio de barco, voltei e parei para ouvir o garçom do Moenda Calamares Restaurante e a oferta que dizia ter para me oferecer. Como ele me convenceu, aluguei as cadeiras e sentei-me na areia em frente ao restaurante para admirar a paisagem, belíssima por sinal. 

Praia impecavelmente limpa, mata preservada convivendo pacificamente com a exploração turística e banhistas bastante corajosos, dando ávidos mergulhos naquela água geladíssima, sob um sol extremamente tímido. Para esse nordestino acostumado com as águas calientes que são absolutamente normais da Bahia ao Ceará, aquela temperatura decididamente não me convidou ao banho de mar em Camboriú. 


A agradável surpresa foi reservada para o almoço, cujo preço eu tinha negociado previamente com o garçom. De R$ 113,00, ele caiu para R$ 62,90 com direito a entrada com patês dois tipos de pão e bolinhos de bacalhau, prato principal composto de camarão e peixe a milanesa, mais bolinhos de bacalhau e um delicioso molho de camarão, tudo isso acompanhado de arroz branco, arroz com castanha do Pará, fritas e pirão de peixe. 
O prato serve quatro pessoas e, pasmem, ainda dá direito a uma caipirinha e sobremesa. 

Após o lauto almoço, segui em frente parando na última praia do roteiro, Estaleirinho. Sinceridade? Exceto pelo fato de estar preservada, não vi muita coisa na praia, famosa pelo restaurante homônimo que, baseado em informações existentes na web, cobra preços prá lá de salgados. 

Resumo da ópera: vale muito a pena visitar o Balneário Camboriú e a localidade é merecedora da fama que conquistou no Brasil e fora dele!

Euriques Carneiro

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após análise.
Obrigado!