domingo, 29 de novembro de 2015

A Escolinha do Professor Raimundo, que reunia os maiores nomes do humor brasileiro ganha homenagem nos seus 25 anos


Confira os atores que farão parte da nova "Escolinha do Professor Raimundo" Raphael Dias/GShow



Nova "Escolinha do Professor Raimundo" que já está no ar pelo canal fechado Viva presta uma homenagem aos 25 anos do programa humorístico que foi um dos maiores sucessos da laureada carreira de Chico Anísio

Entre os inúmeros personagens criados por Chico Anysio, um dos mais lembrados até hoje é o Professor Raimundo. A Escolinha reunia os maiores nomes do humor brasileiro e lançou talentos como Claudia Jimenez, Tom Cavalcante, e Claudia Rodrigues. 

É também sobejamente conhecido, que Chico costumava dar chances a atores que já não conseguiam bons contratos e os deixava na ‘vitrine’ levando-os para a ‘Escolinha'.

Nem sentimos o tempo passar mas a Escolinha do Professor Raimundo está completando 25 anos! Para comemorar e homenagear Chico Anysio e outros humoristas inesquecíveis que passaram pelo programa, uma nova versão, com personagens repaginados, está no ar no Canal Viva.

Novo elenco

O Mestre dessa escola será Bruno Mazzeo aliás, perfeito no papel do pai, inclusive com gestuais e cacoetes. Veja quem é quem no novo e relembre os intérpretes originais:

"Câmera, close!" O lindo, maravilhoso, o "perigoso das mulheres" Zé Bonitinho está imperdível com seu novo intérprete por Mateus Solano. Jorge Loredo faleceu em março, aos 89 anos.



Dani Calabresa será a nova Catifunda. A primeira, Zilda Cardoso, está com 79 anos, mas se afastou da vida artística.

Marcelo Adnet até que se esforça para dar vida ao novo Rolando Lero, personagem de Rogério Cardoso, mas substituir esse figuraça é algo muito difícil.

Fernanda Souza, é a adolescente Tati, uma das personagens mais recentes da Escolinha, já da versão de 2001. Marco Ricca é até parecido com o Pedro Pedreira, do inesquecível Francisco Milani, mas o original era bem melhor.

Otaviano Costa está bem na pele do sabe-tudo Ptolomeu. Nos anos 1990 e 2001, o personagem foi de Nizo Neto, um dos filhos de Chico Anysio. Dona Capitu (Cláudia Mauro) apagava o quadro como ninguém e enlouquecia os colegas. Agora Ellen Rocche faz o papel e está se saindo bem.

O Seu Peru original, Orlando Drummond, está com 95 anos e em plena atividade. Na homenagem, o papel está em ótimas mãos, sob a batuta de um dos melhores atores brasileiro, Marcos Caruso.

Dona Bela, que acusava o professor de só pensar "naquilo", será interpretada por Betty Goffman. Zezé Macedo faleceu em 1999. Um dos personagens mais fracos da Escolinha, não alterou em nada com a nova interprete.

Marina da Glória, da então estreante Tássia Camargo, está nas mãos de Fernanda de Freitas. Ângelo Antônio é Joselino Barbacena. Pra quem não sabe, o primeiro intérprete, Antônio Carlos Pires, era pai da atriz Gloria Pires.
É claro que Lúcio Mauro Filho assumiu o papel que foi de seu pai, o puxa-saco Aldemar Vigário, sem muita diferença. Evandro Mesquita vive Armando Volta, o "Sambarilove", eternizado por David Cardoso e está até melhor.

Destaque especial para Rodrigo Sant'Anna como o novo Seu Batista: perfeito sob todos os aspectos. Até bem pouco tempo, Eliezer Motta ainda interpretava o clássico personagem.

Fabiana Karla fará a Cacilda, homenageando Claudia Jimenez. "Beijinho, beijinho, pau, pau!" Maria Clara Gueiros é Dona Cândida. Na primeira versão, foi Stella Freitas. Seu Baltazar da Rocha sempre encerrava a Escolinha com suas tiradas cômicas. Otávio Müller assumiu a responsabilidade de representar o ótimo Walter D'Ávila, morto em 1996.

"Atenção, senhores passageiros", Kiko Mascarenhas é o novo Galeão Cumbica, personagem de  Rony Cócegas, intérprete de outros clássicos personagens, falecido em 1999.

Por fim, Marcius Melhem interpreta Seu Boneco e, mesmo tentando fazer aqueles passinhos de Lug de Paula (outro filho de Chico Anysio que "estudou" na Escolinha), ainda deixa a desejar. O original era bem mais autêntico.

Vale a pena ver a nova atração, até para tecer comparativos entre os atores da primeira e da segunda edição da Escolinha. Antes e agora, é garantia de boas gargalhadas.

Euriques Carneiro

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após análise.
Obrigado!