domingo, 29 de novembro de 2015

A Escolinha do Professor Raimundo, que reunia os maiores nomes do humor brasileiro ganha homenagem nos seus 25 anos


Confira os atores que farão parte da nova "Escolinha do Professor Raimundo" Raphael Dias/GShow



Nova "Escolinha do Professor Raimundo" que já está no ar pelo canal fechado Viva presta uma homenagem aos 25 anos do programa humorístico que foi um dos maiores sucessos da laureada carreira de Chico Anísio

Entre os inúmeros personagens criados por Chico Anysio, um dos mais lembrados até hoje é o Professor Raimundo. A Escolinha reunia os maiores nomes do humor brasileiro e lançou talentos como Claudia Jimenez, Tom Cavalcante, e Claudia Rodrigues. 

É também sobejamente conhecido, que Chico costumava dar chances a atores que já não conseguiam bons contratos e os deixava na ‘vitrine’ levando-os para a ‘Escolinha'.

Nem sentimos o tempo passar mas a Escolinha do Professor Raimundo está completando 25 anos! Para comemorar e homenagear Chico Anysio e outros humoristas inesquecíveis que passaram pelo programa, uma nova versão, com personagens repaginados, está no ar no Canal Viva.

Novo elenco

O Mestre dessa escola será Bruno Mazzeo aliás, perfeito no papel do pai, inclusive com gestuais e cacoetes. Veja quem é quem no novo e relembre os intérpretes originais:

"Câmera, close!" O lindo, maravilhoso, o "perigoso das mulheres" Zé Bonitinho está imperdível com seu novo intérprete por Mateus Solano. Jorge Loredo faleceu em março, aos 89 anos.



Dani Calabresa será a nova Catifunda. A primeira, Zilda Cardoso, está com 79 anos, mas se afastou da vida artística.

Marcelo Adnet até que se esforça para dar vida ao novo Rolando Lero, personagem de Rogério Cardoso, mas substituir esse figuraça é algo muito difícil.

Fernanda Souza, é a adolescente Tati, uma das personagens mais recentes da Escolinha, já da versão de 2001. Marco Ricca é até parecido com o Pedro Pedreira, do inesquecível Francisco Milani, mas o original era bem melhor.

Otaviano Costa está bem na pele do sabe-tudo Ptolomeu. Nos anos 1990 e 2001, o personagem foi de Nizo Neto, um dos filhos de Chico Anysio. Dona Capitu (Cláudia Mauro) apagava o quadro como ninguém e enlouquecia os colegas. Agora Ellen Rocche faz o papel e está se saindo bem.

O Seu Peru original, Orlando Drummond, está com 95 anos e em plena atividade. Na homenagem, o papel está em ótimas mãos, sob a batuta de um dos melhores atores brasileiro, Marcos Caruso.

Dona Bela, que acusava o professor de só pensar "naquilo", será interpretada por Betty Goffman. Zezé Macedo faleceu em 1999. Um dos personagens mais fracos da Escolinha, não alterou em nada com a nova interprete.

Marina da Glória, da então estreante Tássia Camargo, está nas mãos de Fernanda de Freitas. Ângelo Antônio é Joselino Barbacena. Pra quem não sabe, o primeiro intérprete, Antônio Carlos Pires, era pai da atriz Gloria Pires.
É claro que Lúcio Mauro Filho assumiu o papel que foi de seu pai, o puxa-saco Aldemar Vigário, sem muita diferença. Evandro Mesquita vive Armando Volta, o "Sambarilove", eternizado por David Cardoso e está até melhor.

Destaque especial para Rodrigo Sant'Anna como o novo Seu Batista: perfeito sob todos os aspectos. Até bem pouco tempo, Eliezer Motta ainda interpretava o clássico personagem.

Fabiana Karla fará a Cacilda, homenageando Claudia Jimenez. "Beijinho, beijinho, pau, pau!" Maria Clara Gueiros é Dona Cândida. Na primeira versão, foi Stella Freitas. Seu Baltazar da Rocha sempre encerrava a Escolinha com suas tiradas cômicas. Otávio Müller assumiu a responsabilidade de representar o ótimo Walter D'Ávila, morto em 1996.

"Atenção, senhores passageiros", Kiko Mascarenhas é o novo Galeão Cumbica, personagem de  Rony Cócegas, intérprete de outros clássicos personagens, falecido em 1999.

Por fim, Marcius Melhem interpreta Seu Boneco e, mesmo tentando fazer aqueles passinhos de Lug de Paula (outro filho de Chico Anysio que "estudou" na Escolinha), ainda deixa a desejar. O original era bem mais autêntico.

Vale a pena ver a nova atração, até para tecer comparativos entre os atores da primeira e da segunda edição da Escolinha. Antes e agora, é garantia de boas gargalhadas.

Euriques Carneiro

PARALAMAS DO SUCESSO | 21 artistas de 12 países diferentes gravaram versões com as músicas da banda, incluindo faixas em espanhol e inglês



 A galera do Paralamas do Sucesso tá cheia de moral! Hebert Vianna, Bi Ribeiro e João Barone acabaram de ganhar um tributo com 18 músicas deles, regravadas por artistas de toda a América Latina, em uma homenagem inédita no continente
O grupo Paralamas do Sucesso ganharam um tributo ibero-americano nesta terça-feira com o lançamento do disco "Caleidoscópio". O álbum está disponível para donwload gratuito no site da produtora Scream & Yell, que lidera o projeto ao lado do coletivo colombiano Fundación Barrio.

Com produção compartilhada a quatro mãos entre o brasileiro Leonardo Vinhas e o colombiano Andrés Correa, "Caleidoscópio" traz 18 versões assinadas por artistas de 11 países diferentes. No repertório, clássicos como "Uma Brasileira", gravada pela banda peruana Bareto; "Lanterna dos Afogados", em versão dos argentinos Crema del Cielo; "Alagados", com o grupo colombiano Animal de Ciudad, e "Cinema Mudo", com os venezuelanos Ulises Hadjis.

Segundo um dos idealizadores do projeto, Leonardo Vinhas, a escolha das bandas foi criteriosa e muita gente ficou interessada. "Eu e o Andrés Correa levantamos vários nomes. Acho que foram mais de 40, de vários países, os quais acreditávamos ter afinidade com a obra dos Paralamas. Procuramos quase todos esses nomes e buscamos quem teria interesse em participar dentro das condições - que era entregar um tema sério e em padrão profissional, mas sem qualquer remuneração. Ao fim desse processo, quase chegamos a ter o suficiente para um álbum duplo, aí achamos melhor editar um pouco para não perdermos o foco, e chegamos à escalação atual", conta ele.

Este é o sexto tributo oferecido pela Scream&Yell. Os anteriores foram "Ainda Somos os Mesmos" (em homenagem ao Belchior), "Espelho Retrovisor" (Engenheiros do Hawaii, que já ultrapassou a marca de 21 mil downloads), "Mil Tom" (a Milton Nascimento, próximo dos 20 mil downloads), "Projeto Visto" (uma troca musical entre brasileiros e portugueses) e "Somos Todos Latinos" (com 16 artistas independentes brasileiros regravando temas do cancioneiro pop e rock dos países de idioma espanhol).

sábado, 28 de novembro de 2015

Mostra de cinema de Bruce Lee está em exibição em Salvador BA, desde a última quinta (26) e vai até 02.12

Em “Um Índio”, Caetano Veloso sintetizou o astro do cinema e das lutas marciais: ‘Tranquilo e infalível como Bruce Lee’, que são duas características marcantes dosino-americano que morreu aos 32 anos, em 1973, imortalizado como um ícone das artes marciais e da cultura pop mas que tinha, além de músculos, uma mente além do seu tempo

Desde a última quinta-feira (26) e até a próxima quarta-feira (2), serão exibidos em Salvador clássicos do mestre do kung-fu, Bruce Lee. A exibição faz parte do Festival Bruce Lee - 75 Anos, que levará aos cinemas de 12 capitais brasileiras clássicos protagonizados pelo ator em Hong Kong.

Além da exibição dos filmes, o evento conta com exposição de pôsteres e fotos promocionais da época dos lançamentos, reproduções de capas de revistas e histórias em quadrinhos inspiradas em Bruce Lee. Entre os longas do festival estão "O Dragão Chinês", "A Fúria do Dragão", "O Voo do Dragão", "Jogo da Morte", além de documentários contando a história do ator.

No festival serão projetadas cópias em alta resolução, com qualidade inédita para os filmes de Bruce Lee nos cinemas brasileiros. Os filmes ainda serão, pela primeira vez, exibidos com o áudio original, com a voz de Bruce Lee em mandarim e cantonês. As cópias dos 1970, tinham dublagem em inglês.

Além de Salvador, a mostra acontecerá também nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Belo Horizonte, Florianópolis, Brasília, Natal, Recife, João Pessoa, Manaus e Curitiba.

Historia

Bruce Lee nasceu em San Francisco, nos EUA, durante uma passagem pela cidade da companhia artística integrada por seus pais. Foi criado em Hong Kong – sua mãe pertencia a um abastado clã da então colônia britânica – e cresceu aprimorando um impressionante dom para as artes marciais e exercitando a veia artística em pequenos papéis no cinema.


- O Dragão Chinês (1971) – Para resolver misteriosos desaparecimentos, rapaz quebra juramento de nunca mais se envolver em brigas. - A Fúria do Dragão (1972) – Lutador deseja vingar a morte de seu professor assassinado.

- O Voo do Dragão (1972) – Jovem chega a Roma para trabalhar no restaurante dos primos e tem de encarar gângsteres que querem tomar o local. O então desconhecido Chuck Norris mede forças com Brece Lee na antológica sequência no Coliseu.

- Jogo da Morte (1978) – Famoso lutador que se recusa a entrar em sindicato do crime forja sua própria morte para iniciar sua vingança. O então astro do basquete Kareem Abdul-Jabbar faz um dos vilões.


Vai visitar Floripa? Tem que esticar a viagem até Balneário Camboriú!


Desde que decidi conhecer a terra de Gustavo Kuerten, já incluí no pacote uma esticada até Balneário Camboriú, distante 90 km da capital catarinense e uma das joias do turismo do estado

Uma olhada na internet sobre roteiro de viagem, atrações e outras informações sobre o destino, carro alugado e peguei a estrada em uma manhã de sábado. Pista duplicada, em ótimo estado, apenas um posto de pedágio ao módico preço de R$ 1,90 e um detalhe chamou à minha atenção: a falta de placa de informando que aquela autopista leva até Camboriú. A cada 5, 10 km vê-se placas informando a distancia até Bombinhas, Porto Belo, Itajaí e até capitais de outros estados como Curitiba e Porto Alegre, mas para a maior atração turística do estado, existe apenas uma, 30 km antes do balneário. Confesso que não entendi a estratégia do responsável pela sinalização da rodovia.

Chegando à cidade, a sinalização é bastante clara informando a Rodovia Interpraias que leva o motorista de Laranjeiras até a praia de Estaleirinho. A minha parada foi em Laranjeiras, bem ao lado de onde parte o teleférico. Existem vários estacionamentos que cobram de R$ 5 a 15 a diária. Logo na chegada, você passará por um centro comercial, onde há vários restaurantes, lojas de artesanato e caixa eletrônico. Antes de pisar na areia, você será abordado por vários vendedores oferecendo-lhe aluguel de cadeiras de praia que pode custar de R$ 5 a 10, dependendo da negociação.



Também vai ser difícil escapar dos garçons de vários restaurantes, todos com os cardápios em punho e é aí que está o ‘x’ da questão: se você sentar-se a uma mesa e pedir o prato do menu, vai levar uma dolorosa ‘facada’ na conta, mas se negociar antes, o almoço pode sair pela metade do preço.

Desvencilhei-me dos garçons/vendedores e fui andando até o local onde dois barcos temáticos, - Pirata e Capitão Gancho, - fazem passeios pela orla do balneário ao preço de R$ 40 por pessoa. Como não estava a fim do passeio de barco, voltei e parei para ouvir o garçom do Moenda Calamares Restaurante e a oferta que dizia ter para me oferecer. Como ele me convenceu, aluguei as cadeiras e sentei-me na areia em frente ao restaurante para admirar a paisagem, belíssima por sinal. 

Praia impecavelmente limpa, mata preservada convivendo pacificamente com a exploração turística e banhistas bastante corajosos, dando ávidos mergulhos naquela água geladíssima, sob um sol extremamente tímido. Para esse nordestino acostumado com as águas calientes que são absolutamente normais da Bahia ao Ceará, aquela temperatura decididamente não me convidou ao banho de mar em Camboriú. 


A agradável surpresa foi reservada para o almoço, cujo preço eu tinha negociado previamente com o garçom. De R$ 113,00, ele caiu para R$ 62,90 com direito a entrada com patês dois tipos de pão e bolinhos de bacalhau, prato principal composto de camarão e peixe a milanesa, mais bolinhos de bacalhau e um delicioso molho de camarão, tudo isso acompanhado de arroz branco, arroz com castanha do Pará, fritas e pirão de peixe. 
O prato serve quatro pessoas e, pasmem, ainda dá direito a uma caipirinha e sobremesa. 

Após o lauto almoço, segui em frente parando na última praia do roteiro, Estaleirinho. Sinceridade? Exceto pelo fato de estar preservada, não vi muita coisa na praia, famosa pelo restaurante homônimo que, baseado em informações existentes na web, cobra preços prá lá de salgados. 

Resumo da ópera: vale muito a pena visitar o Balneário Camboriú e a localidade é merecedora da fama que conquistou no Brasil e fora dele!

Euriques Carneiro

sexta-feira, 27 de novembro de 2015

Pensando em visitar a Argentina? Mendoza é uma ótima opção para sair do tradicional roteiro Buenos Aires - Bariloche


Nestes tempos de dólar nas alturas e peso em queda, está cada vez mais convidativo visitar a Argentina, mas engana-se quem pensa que as atrações da terra de Lionel Messi se resume à capital Buenos Aires ou a gelada Bariloche. Uma ótima opção de turismo em terras portenhas é Mendoza, bem juntinho da Cordilheira dos Andes

No oeste da Argentina, aos pés da Cordilheira dos Andes, está situada Mendoza, que vem atraindo cada vez mais a atenção dos brasileiros. A região na qual se encontra é responsável por quase 80% da produção de vinhos do país e há mais de cem vinícolas abertas à visitação. Além das bodegas, a cidade ainda oferece muitos outros atrativos, como hotéis luxuosos, boa gastronomia, paisagens incríveis, esportes radicais , estações de esqui, monumentos históricos e eventos típicos da cultura local. 


Como chegar

Há várias formas de chegar em Mendoza, depende muito de onde você estiver. É possível ir partindo do Brasil de forma direta ou em voos com conexão, mas a visita à cidade geralmente é combinada com uma viagem a Buenos Aires ou Santiago. A distância da capital argentina é de 1200 km, uma viagem de ônibus dura cerca de 13 horas e de avião apenas 1:30 h. Já da capital chilena a distância é de 362 km, numa viagem de carro ou ônibus pela Cordilheira que dura pelo menos cinco horas ou então de avião num voo rápido de uma hora. ““.

Para explorar as atrações locais, como visitar as vinícolas ou as montanhas, pode-se alugar um veículo, contratar os serviços de um guia particular ou de uma agência de turismo ou ainda utilizar algum meio de transporte público local.
Onde ficar

Quando o assunto é hospedagem, há basicamente duas opções em termos de localização. Você pode ficar em algum hotel convencional do centro da cidade, próximo dos restaurantes e da zona comercial da cidade, ou então se hospedar em um hotel na região das vinícolas, que geralmente são pousadas mais estilosas e privativas, com poucos quartos, muitas delas com seus próprios vinhedos.

Quando ir

Mendoza encontra-se numa região de deserto, com clima semiárido, seco e com poucas chuvas. As estações do ano são bem definidas. O verão tem dias quentes e noites amenas. Já no inverno o frio é rigoroso e é comum nevar. A melhor época para viajar é no final do verão, época da colheita, quando as temperaturas estão agradáveis, os vinhedos bem verdes e cheios de uva, mas isto não significa que as outras épocas não sejam boas para viajar.

Quem optar por viajar na última semana de fevereiro ou na primeira de março vai ter a chance de presenciar eventos típicos relacionados à Festa Nacional da Vendimia.

GOIANIA SEDIA O CENTRO CULTURAL OSCAR NIEMEYER, UMA JUSTA HOMENAGEM AO MAIOR NOME DA ARQUITETURA NACIONAL

Projetado pelo mais laureado arquiteto brasileiro, o CENTRO CULTURAL OSCAR NIEMEYER foi batizado com o nome do arquiteto e está localizado em Goiânia e é composto por quatro edifícios que abrigam a biblioteca, o Museu de Arte Contemporânea (MAC), o Palácio da Música e o Monumento aos Direitos Humanos

Projetado por Oscar Niemeyer e batizado com o nome do arquiteto, o Centro Cultural Oscar Niemeyer (CCON), localizado em Goiânia, está edificado sobre uma esplanada de 26 mil metros quadrados. A construção é composta por quatro edifícios que abrigam a biblioteca, o Museu de Arte Contemporânea (MAC), o Palácio da Música e o Monumento aos Direitos Humanos completando no total cerca de 17 mil metros quadrados de área construída. O complexo cultural conta com dois acessos pelas rodovias GO-020 e BR-153, 470 vagas de estacionamento, heliponto e linhas de transporte coletivo.

A Esplanada da Cultura, uma praça de 26 mil metros quadrados, que é destinada a realização de shows e eventos, homenageia o ex-presidente JK. O prédio da biblioteca é uma caixa de vidro fumê que se contrapões ao tom branco do MAC e do Palácio da Música e também ao vermelho vibrante do grande triângulo vermelho do Monumento aos Direitos Humanos. Este local com cerca de 700 metros quadrados abriga um auditório para 170 lugares, jardins de inverno e um salão para exposições.

Homenagem a escritores

O CCON homenageia também os escritores Bernardo Élis e J.J. Veiga e o historiador Paulo Bertran no prédio da biblioteca. Com cerca de 10 mil metros quadrados, a biblioteca possui três pavimentos sobre pilotis, com um auditório com 135 lugares e um terraço que abriga um restaurante com vista panorâmica. 

O prédio do MAC com cerca de quatro mil metros quadrados é composto por uma galeria de arte, área administrativa e pavimento para exposições. Fechando o conjunto, o Palácio da Música, que homenageia a pianista Belkiss Spenziere, é um edifício com traços bem característicos de Niemeyer, feito em concreto armado e formas curvas, conta com cerca de 7 mil metros quadrados onde está localizado um teatro para 1,5 mil lugares com fosso para orquestra, camarotes e bar.


Nascido no Rio de Janeiro, em 1907, Oscar Niemeyer tem sido o arquiteto brasileiro que acumula o maior número de prêmios internacionais, bem como exibe um conjunto de obras realizadas no Brasil e no exterior que o coloca como um dos expoentes da arquitetura universal. Formado em 1934 pela Escola Nacional de Belas Artes, no Rio de Janeiro, consolidou seu prestígio internacional com a construção de Brasília, em 1960, com seus prédios marcados pelo arrojo estrutural e inovadores da estética arquitetônica.

Realiza obras no mundo inteiro, das quais se destacam o Edifício-sede da Editora Mondadori, na Itália; o Centro Cultural do Havre e sede do Partido Comunista Francês, na França; Universidade de Constantine, em Argel; e os planos da Cidade de Neveg, em Israel; Plano de Urbanização do Algarve, em Portugal; Centro Cívico e Administrativo de Argel; Centro Residencial de Estudantes em Oxford, Inglaterra, a sede do Jornal “L’Humanité”, na França; o Panteão da Liberdade, na Praça dos Três Poderes, em Brasília; o projeto para a Embaixada Brasileira em Cuba, o Memorial da América Latina, em São Paulo.


Serviço:

Localização: Goiânia-GO

Ano: 2006

Área: 26.000 m² total - 17.000 m² construída

Projeto de arquitetura: Oscar Niemeyer

Com estréia prevista para 2016, série da Netflix Luke Cage terá Sônia Braga no elenco



A consagrada atriz brasileira Sônia Braga foi confirmada no elenco da série do Luke Cage, que estará disponível para o publico em 2016, onde viverá Soledad Temple, mãe da personagem Claire, vivida por Rosario Dawson em Demolidor

Luke Cage terá 13 episódios que, provavelmente, também contarão com Jones (Krysten Ritter), já que os dois são um casal nos quadrinhos, dedicados exclusivamente a cada um dos personagens: Demolidor, Jessica Jones, Punho de Ferro e Luke Cage, além de uma minissérie com oito capítulos focada no grupo de personagens urbanos Defensores.

"Uma personagem tão forte quanto Claire precisa de uma mãe igualmente poderosa, e com Sônia nós encontramos a atriz perfeita para entregar a atuação que queremos", disse Jeph Loeb, chefe do departamento televisivo da Marvel. "Em Luke Cage, os fãs terão a oportunidade de ver de onde Claire tirou toda a sua determinação".

De bandido a herói

O Herói de Aluguel, um dos mais importantes personagens negros da editora, foi inicialmente desenvolvido para aproveitar a moda do blaxploitation da década de 1970. Originalmente, Luke Cage trajava uma camisa de seda amarela, com o peito aberto, compondo um uniforme que fugia do habitual dos super-heróis nos anos 1970.

Saído do sistema carcerário estadunidense, onde ganhou superforça e pele invulnerável graças a uma experiência científica, Cage chega às ruas tentando transformar o passado de banditismo em promessa de heroísmo - e ganhando dinheiro com isso, alugando seus serviços superpoderosos para quem puder pagar. Desde os anos 2000, Cage foi repaginado e ganhou visual mais urbano, além de esposa (Jessica Jones) e filha.

quinta-feira, 26 de novembro de 2015

Festival Internacional de Circo terá mais de 90 espetáculos gratuitos no RJ de 26 de novembro a 6 de dezembro



Evento que vem sendo realizado no Rio de Janeiro a cada dois anos desde 2012, o Festival Internacional de Circo ganha uma edição especial em comemoração aos 450 anos do cidade trazendo, de hoje (26) até o próximo dia 6 de dezembro, mais de 90 espetáculos gratuitos de cerca de 30 companhias brasileiras e de outros países, somando um toral de 300 artistas

As apresentações ocorrem em diferentes espaços, como arenas, lonas, teatros, escolas e parques públicos, e em todas as áreas da cidade, incluindo 20 favelas.

O espetáculo Clockwork, da companhia sueca Sisters, abriu na noite desta quinta-feira o festival, em sessão fechada para convidados na lona do Circo Crescer e Viver, localizada na Praça Onze, região central do Rio. O Crescer e Viver, circo que junta arte e transformação social, com mais de dez anos de atividade, é o idealizador e organizador do festival, que conta com o patrocínio da prefeitura carioca.

Misto de dança contemporânea e acrobacias sincronizadas, Clockwork terá apresentações abertas ao público nos próximos três dias, na mesma lona circense. Um outro destaque internacional é o premiado espetáculo argentino Barlovento, da companhia do mesmo nome, misturando dramaturgia e circo, com ingredientes de humor, dança e acrobacias.

Esta terceira edição do festival tem como tema Eu Rio, inspirado no sorriso e na alegria do carioca. Bem de acordo com a temática, a companhia carioca Up Leon traz a montagem Rio de Felicidade, que se baseia nas cenas do cotidiano da cidade e nas músicas que falam do Rio para apresentar números como contorcionistas embalados pelas ondas de Copacabana.

“Uma das coisas que não abrimos mão no festival é atender a cidade em sua totalidade, levando espetáculos de qualidade para todos os cantos do Rio”, destaca Vinicius Daumas, diretor artístico do festival. Além de 11 escolas públicas da rede municipal e de dois ônibus-palcos itinerantes, que levam espetáculos às favelas, passam a integrar o circuito nesta edição quatro áreas públicas da cidade: a revitalizada Praça Mauá, Praça Tiradentes, Campo de Santana e Quinta da Boa Vista.

“O festival está levando atrações para as praças, que são o lugar do povo, democrático, para todas as faixas econômicas e sociais”, comemora Daumas. Segundo ele, há hoje no Brasil uma demanda muito grande pela arte circense. O Circo Crescer & Viver, que também atua na formação profissional, recebe jovens de 12 estados brasileiros e de quatro países.

“O que o poder público tem que fazer hoje é promover ações de fomento à produção circense. As artes do circo são as únicas que abrangem todas as faixas etárias, mas se comparadas com outras linguagens artísticas, foram as que receberam menos investimento no Brasil”, comenta o diretor artístico do festival.

A programação completa, os locais, horários e classificação indicativa de cada espetáculo estão disponíveis no site www.festivaldecirco.com.br .


Fonte: EBC (Nelio Neves de Andrade)

quarta-feira, 25 de novembro de 2015

As cores e os sabores da deliciosa culinária Nordestina



De Alagoas a Sergipe, passando por Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí, e Rio Grande do Norte e Sergipe, a região Nordeste possui uma culinária bem variada, sob influência européia, africana e indígena e carrega, de forma injusta, a fama de calórica e indigesta para estômagos mais sensíveis

Em geral, os alimentos que possuem mais a “cara” do Nordeste são os frutos do mar, milho verde e seus derivados (pipoca, cuscuz, bolo de milho, mugunzá, pamonha, canjica, entre outros), batata doce, macaxeira, água de coco, carne de sol, arroz doce, moquecas, vatapá, buchada, sarapatel, farinha, queijo coalho, feijão verde, caranguejo, panelada, manteiga de garrafa, coalhada, castanha, pudim.

As frutas que predominam a região são: sapoti, pitanga, graviola, cajá, caju, acerola, tamarindo, manga, goiaba, entre outros. A região também é conhecida por fabricar doces como: ambrosia, doce de carambola, pitomba, cocada, compotas de caju, manga, goiaba e doces de casca de laranja, limão e etc.

E os temperos? Comida nordestina possui sempre seus temperos peculiares, como pimenta de cheiro, pimentão verde, tomate, cheiro verde, alho, pimenta, cebola, além dos toques com leite de coco e o azeite de dendê. 


Benefícios da culinária nordestina

Em destaque, os frutos do mar (peixes, camarões, siris, lulas, polvos, ostras, mariscos e mexilhões) fortalecem o sistema imunológico, contribuem para a redução dos níveis de colesterol, previnem contra a demência, evitam o diabetes, diminuem as chances de depressão, ajudam na formação dos músculos e protegem contra doenças cardiovasculares. 

O ômega 3, por sinal, é a grande estrela quando se trata das maravilhas vindas do mar. Esse tipo de ácido graxo, encontrado principalmente nos habitantes de água fria, como salmão, atum, sardinha, arenque, anchova, tainha, bacalhau e truta, promove uma faxina geral nas artérias. Além disso, faz o coração bater forte porque aumenta o colesterol bom (HDL) e reduz o ruim (LDL). E ainda diminui o índice de triglicérides e a pressão sanguínea, prevenindo contra aterosclerose, infarto e derrame.

Outro alimento que merece destaque é o milho, um cereal rico em carboidratos e uma ótima fonte de energia. Ao contrário do que muitos pensam, mesmo quem está de dieta precisa de doses adequadas deste nutriente, principalmente dos chamados carboidratos complexos, como o milho, que alivia a vontade de comer doces. Além disso o milho é rico em vitamina B1 (tiamina), conhecida como a vitamina da memória por participar dos impulsos nervosos que fazem as transmissões entre neurônios. O milho é fonte de fibras que são aliadas do funcionamento intestinal, controle do colesterol e aumento da saciedade. Sem contar que não contém glúten, sendo uma opção adequada para quem tem sensibilidade ao nutriente ou doença celíaca.
Estrela da companhia
Consumida de norte a sul doa país, a água de coco é rica em vitaminas, minerais, aminoácidos, carboidratos, antioxidantes, enzimas e outros fitonutrientes que ajudam o corpo a funcionar com mais eficiência. Seu conteúdo eletrolítico (mineral iônico) semelhante ao plasma humano garantiu-lhe o reconhecimento internacional como melhor reidratante oral. Após a prática do esporte, em um fim de tarde, acompanhando refeições, enfim, a água de coco é sempre bem vinda e não tem contra-indicação.

A castanha, - de caju ou do Pará, - é um fruto seco oleaginoso, de sabor doce e agradável, rica em ácidos graxos não saturados como o oléico e linoléico, além de vitaminas como B1e B2 e ácido pantatênico. Mais do que isso, esse fruto seco é rico em potássio, fósforo e zinco, com maior destaque, em magnésio e ferro.
Cuidados que devem ser observados

De acordo com a forma de preparo, os pratos nordestinos podem adquirir nível calórico, necessitando controle no consumo para não extrapolar nas quantidades, mas vale destacar que a forma de preparação influencia muito na quantidade de calorias dos alimentos. O ideal é o consumo de grelhados ou assados, de preferência acompanhados de molhos leves, arroz, purês e vegetais. Mudar a forma de preparo de alguns pratos, substituindo ingredientes que darão maiores benefícios pode ser uma dica para quem não abre mão de um verdadeiro e inigualavelmente saboroso prato nordestino.

Os temperos e pimenta são carregados nos pratos, mas é perfeitamente possível dosar os ingredientes e evitar os exageros. Um dos itens inevitáveis no preparo dos frutos do mar, - notadamente na Bahia, - é o azeite de dendê mas, quando utilizado em doses comedidas, longe de fazer mal, traz benefícios ao coração.

Raciocínio idêntico para outros pratos da culinária nordestina, onde é perfeitamente possível reduzir ao máximo a gordura dos ingredientes, bem como substituir o óleo de soja, por exemplo, pelo de caroço de algodão, canola ou milho. Resumindo: pode-se consumir os pratos da culinária nordestina reduzindo-se as calorias e os excessos de gordura, apenas mudando a forma de preparo, mas sem alterar o sabor.

Bom apetite!