Construção - Reforma - Manutenção

Construção - Reforma - Manutenção
Clientes encantados é a nossa meta!

sexta-feira, 2 de outubro de 2015

Visando a proteção dos autores e das suas obras, acaba de ser criada a instituição DBCA - Diretores Brasileiros de Cinema e Audiovisual





Preocupados com a usurpação de direitos autorais, um grupo de cineastas brasileiros acaba de criar uma entidade de defesa do direito autoral para obras de sua autoria, nascendo assim a entidade DBCA - Diretores Brasileiros de Cinema e Audiovisual

Conforme informações da diretoria recentemente eleita, para refazer o histórico da entidade há que se voltar 40 anos no tempo quando, em 1975, sob a liderança de Nelson Pereira dos Santos, foi criada a Abraci, a Associação Brasileira de Cineastas, "objetivando defender o direito autoral do diretor de cinema". Na época, em acordo com a estatal Embrafilme, estabeleceu-se que 5% da renda dos filmes exibidos seriam recolhidos em benefício dos próprios cineastas.
Como a Embrafilme foi extinta em 1990, ainda sob o nefasto governo Collor, o acordo perdeu a validade cessou, tendo o assunto sido ventilado em duas ocasiões, até que se decidiu pela criação da nova entidade, inspirada em modelos de outros países, tais como a DAC (Directores Argentinos Cinematográficos.

Com a multiplicidade de mídias, a questão do direito autoral torna-se ainda mais complexa e, na atualidade, um produto audiovisual pode ser exibido não apenas numa sala de cinema ou numa tela de TV, mas na telinha de um tablet ou de celular. Pode tornar-se disponível na forma física de um DVD, ou na modalidade digital para download ou streaming.

E, é claro, há a internet, esse caótico oceano onde naufragam os direitos autorais e no qual impera o dogma da gratuidade, embora as grandes corporações lucrem com ela. Como fazer para impedir que direitos de autor sejam lesados nessa imensa rede planetária

A criação da entidade é apenas o primeiro passo pois há muita luta pela frente, destacando-se a função precípua do órgão de classe que é beneficiar profissionais que, por doença ou idade avançada, ou mesmo entressafra de trabalho, não possam mais prover a própria subsistência.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após análise.
Obrigado!