terça-feira, 20 de outubro de 2015

“Violar” é o disco com a participação de Criolo, Karol Conka, BNegão, Sombra e Sabotage



Após um longo hiato de 13 anos, o Coletivo Instituto volta à ativa com o lançamento do seu segundo álbum oficial, intitulado “Violar“, que estará disponível para download gratuito no site do Instituto a partir do próximo dia 23

Anteriormente formado por Rica Amabis, Daniel Ganjaman e Tejo Damasceno, e hoje sem Ganjaman, o novo projeto do grupo trouxe parte do conceito do disco “Coleção Nacional” (2002) fazendo uma grande reunião de personalidades da música brasileira.

E como sempre o Rap não ficou de fora, Karol Conka fez sua parte na “Mais Carne” ao lado de Tulipa Ruiz, Criolo marca presença com a “Vai Ser Assim“, faixa que já havia sido divulgada anteriormente na trilha do filme Junho e BNegão faz bonito na música “Seco”, ao lado do gringo Lyrics Born.

O carro chefe do álbum, ou ao menos o que mais teve notoriedade na última semana, foi a música “Alto do Zé Pinho”, que traz um verso inédito do Sabotage, mais participações de Sombra, Nação Zumbi e Otto.

A obra é resultado de uma parceria entre o Instituto e o artista Alexandre Orion.O vídeo, do qual foram retirados as imagens que ilustram a versão física do disco em vinil, foi gravado durante uma intervenção de Orion nas ruas da cidade de São Paulo. “É uma ação sobre violação e arte. Estávamos instalando um luminoso neon em com as letras em formato de pichação. O resultado? Uma interferência policial.

O grupo também trouxe inovação para a capa do disco, que chega com uma ilustre video-capa e, se você gostou e quer baixar, é só esperar o dia 23 de outubro quando a obra estará disponível para download gratuito no site do Instituto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após análise.
Obrigado!