Construção - Reforma - Manutenção

Construção - Reforma - Manutenção
Clientes encantados é a nossa meta!

segunda-feira, 5 de outubro de 2015

Há 600 milhões de anos um vulcão expelia lavas incandescentes e criava o fenômeno das águas termais de Caldas Novas GO





Conhecida por ser a maior estância hidrotermal do mundo, Caldas Novas, município de Goiás, é muito famosa pelos poderes medicinais de suas águas cuja temperatura das águas das piscinas termais varia entre 20º C e 60º C


A origem das águas de Caldas Novas remonta a 600 milhões de anos quando um vulcão, hoje extinto, ainda expelia lavas incandescentes, cinzas e gases. Esteve em atividade por milhares de anos até se extinguir completamente. Com o passar do tempo, a erosão provocada pelas fortes chuvas e pelo vento, foi corroendo as bordas da cratera até aterrá-la completamente.

O calor e a grande pressão interna dos gases acumulados abriram rachaduras na base da montanha e por elas eram expelidos vapor d'água formando "geisers". Com a diminuição da atividade vulcânica e da pressão dos gases internos, os jatos de vapor também diminuíram e finalmente passaram apenas a jorrar água quente pelas trincas nas rochas em três locais distintos, distantes alguns quilômetros uns dos outros: Caldas Velhas, Pirapitinga e Caldas Novas.

Somente em 1722 é que estas águas quentes foram descobertas. Quem as encontrou foi o sertanista Bartolomeu Bueno da Silva, filho do bandeirante Anhanguera, que procurava ouro e pedras preciosas. Não encontrou os tesouros desejados mas descobriu as fontes termais de maior vazão em todo o mundo!

Hoje, a cratera do vulcão é a Serra de Caldas; Caldas Velhas formam as fontes do município do Rio Quente, compreendendo o complexo turístico da Pousada do Rio Quente; Pirapitinga é onde se encontra a Lagoa Quente e Caldas Novas deu nome à cidade da qual estamos tratando.

Como se formam as águas quentes?


O maior estudo sobre o termalismo de Caldas Novas e Rio Quente foi realizado pela empresa estatal Fumas Centrais Elétricas, em função da possível influência da barragem da Usina Hidrelétrica Corumbá I sobre o lençol termal da região, que estaria sob o risco de esfriar.

De acordo com Furnas, o fenômeno das águas quentes decorre de características geológicas e topográficas peculiares. As águas são aquecidas com o calor proveniente do interior da Terra, em camadas profundas da crosta terrestre.

O subsolo da região é constituído por camadas de xisto e quartzito, ambas impermeáveis. Entretanto, estas rochas têm consistências diferentes: o xisto é uma formação rochosa mais plástica, isto é, é mais moldável pelas forças exteriores; já o quartzito é uma rocha mais rígida, sob pressão, permitindo a formação de grandes conjuntos de fraturas. É nesta camada de quartzito onde se encontram os reservatórios de águas termais.

O processo de formação do aqüífero termal se inicia com a infiltração da água da chuva no topo das Serras de Caldas e da Matinha, que estão a cerca de mil metros de altura em relação ao nível do mar. A água quente, confinada sob as camadas de xisto e quartzito, está submetida a uma pressão muito grande, equivalente à pressão de uma coluna d'água de mais de 600 metros de altura (desde onde se encontra confinada até o topo das Serra).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após análise.
Obrigado!