quarta-feira, 28 de outubro de 2015

Fotos de Arkadiusz Podniesinski mostram área de Fukushima anos após acidente nuclear


Carros que estão sendo engolidos pela natureza

O fotógrafo polonês Arkadiusz Podniesinski viajou para o local do desastre nuclear de Fukushima para vê-lo com seus próprios olhos. Quando ele obteve autorização para entrar na Zona de Exclusão de aproximadamente 20 km, foi confrontado com uma cena semelhante a um filme pós-apocalíptico

“Não são terremotos ou tsunamis que são os culpados pelo desastre nuclear de Fukushima, mas os seres humanos”, escreve Podniesinski em seu site. Ele realizou o projeto para que as pessoas pudessem tirar suas “próprias conclusões sem ser influenciadas por qualquer sensação na mídia, propaganda do governo, ou lobistas nucleares que estão tentando jogar para baixo os efeitos do desastre”.

Depois de viajar para a Ucrânia, documentando em imagens o cenário deixado após o acidente nuclear de Chernobyl, em 1986, o fotógrafo polonês Arkadiusz Podniesinski decidiu conhecer e fotografar Fukushima, no Japão.
Uma motocicleta acorrentada no desastre

Quase cinco anos após o desastre que isolou toda a região nordeste do país, o resultado não poderia ser outro. Além do completo abandono da área, a natureza lentamente retoma seu curso, cobrindo toda a área contaminada com vegetação.

Além de diversas construções, eletrodomésticos, automóveis, motos e outros objetos deixados pelos antigos moradores da região, diversos sacos pretos com dejetos contaminados são agrupados em diferentes pilhas e barreiras.
O que restou de um supermercado
Apesar de a radiação ter acontecido após dois terremotos e um tsunami, o polonês diz que a população é a principal culpada pela catástrofe. "Humanos são os culpados pelo desastre de Fukushima. Esse desastre poderia ter sido previsto e prevenido", concluiu.

Neste espaço, mostramos apenas algumas imagens que mostram um pouco da viagem de Podniesinski ao país, mas no site do fotógrafo é possível ver fotos de outras expedições que passeiam por cenários desolados em diferentes pontos do planeta.
Um jantar que não chegou a ser servido

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após análise.
Obrigado!