Construção - Reforma - Manutenção

Construção - Reforma - Manutenção
Clientes encantados é a nossa meta!

sábado, 17 de outubro de 2015

Em 2016, o Brasil terá a primazia de receber a turnê de despedida de José Carreras




José Carreras anunciou que o Brasil receberá sua turnê de despedida e a Orquestra Philarmônica São Paulo vai acompanhar o músico em três concertos no primeiro semestre do ano que vem

Em um momento único para a música erudita, a Orquestra Philarmônica São Paulo vai apresentar três concertos com o tenor espanhol José Carreras na sua derradeira turnê internacional, A Life in Music. 

O Brasil será o segundo país a receber Carreras, e os espetáculos devem acontecer no final de maio e início de junho. Esta será a última vez que ele irá cantar no Brasil. A estreia mundial ocorre em maio de 2016, no Royal Albert Hall, em Londres.

Nascido em Barcelona, José Carreras, agora com 68 anos, tornou-se uma estrela da ópera nos anos 1970 e venceu o Grammy em parceria com Plácido Domingo e Luciano Pavarotti pelo projeto 'Os Três Tenores'.

“Estou muito ansioso para começar este novo show. Será uma ocasião muito especial, pois compartilharei músicas que são muito importantes para mim. Assim celebro minha vida na música”, comentou o tenor, em um comunicado divulgado ontem, sexta-feira, 16.

Vitória contra a leucemia

É possível que grande parte dos habitantes do planeta já tenha ouvido falar sobre o encontro dos três maiores tenores da história: Luciano Pavarotti, Plácido Domingo e José Carreras.

O que talvez muitos não saibam é que Plácido Domingo é madrileño e José Carreras é catalão e o histórico de rusgas entre madrileños e catalães dura séculos. Plácido e Carreras não fugiram à regra e, em 1984, por questões políticas, tornaram-se inimigos.

Sempre muito requisitados em todo o mundo, ambos faziam constar em seus contratos que só se apresentariam se o outro não fosse convidado. Em 1987 Carreras foi surpreendido por um diagnóstico de leucemia. Submeteu-se a tratamentos, como transplante de medula óssea e troca de sangue e, por este motivo, era obrigado a viajar mensalmente aos Estados Unidos. Sem condições para trabalhar, e com o alto custo das viagens e do tratamento, sua fortuna acabou e ele viu-se em dificuldades financeiras.

Para prosseguir o tratamento, Carreras tomou conhecimento de uma instituição em Madrid denominada Fundación Hermosa, criada com a finalidade de apoiar a recuperação de pacientes com câncer. Deixando as diferenças políticas de lado, ele procurou esta fundação, venceu a doença e voltou a cantar, tornando a receber altos cachês.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após análise.
Obrigado!