segunda-feira, 12 de outubro de 2015

Arte erótica do Japão está em exposição no Museu Britânico desde 03 de outubro



Uma grande exposição sobre a arte erótica do Japão, conhecida como Shunga e por mostrar detalhes explícitos de relações sexuais, foi inaugurada no último dia 3, no Museu Britânico (British Museum), em Londres
Um total de 170 obras de arte – pinturas, xilogravuras e ilustrações de livros que datam de 1600-1900 – estarão em exposição no Museu Britânico até o início de janeiro. É a primeira vez que a arte Shunga é exibida de forma tão abrangente.

Durante uma conferência de imprensa, Timothy Clark, chefe da seção do Japão no Museu Britânico, disse que Shunga tornou-se uma espécie de tabu entre os séculos XIX e XX no Japão, e ainda não havia sido palco de uma exposição inteiramente dedicada a esta forma de arte.

Clark espera que esta exposição em grande escala venha reafirmar a importância de Shunga no mundo da arte e levar o Japão a realizar algumas grandes exposições no futuro. O diretor também descreveu as obras de arte que foram cedidas por museus e outros tipos de instituições do Japão, Estados Unidos e países da Europa.

“Elas são extremamente bonitas e mostram humor com requinte técnico”, destacou Clark. A exposição foi preparada ao longo de vários anos e envolveu acadêmicos na Grã-Bretanha e no Japão.

Neil MacGregor, diretor do Museu Britânico, brincou dizendo que enquanto os europeus aprenderam sobre os prazeres do sexo por meio da literatura, os japoneses aprenderam “como ninguém”.

Shunga, que se traduz como “fotos da primavera”, é uma arte que proporcionou prazer erótico e humor, bem como um guia para o sexo ao longo de mais de quatro séculos.

Invariavelmente explícitas, as imagens geralmente mostram homens e mulheres durante o ato sexual, enquanto outras exibem prostitutas entretendo seus clientes. A arte Shunga costuma retratar uma imagem idealizada do sexo, com algumas visivelmente projetadas para satirizar as classes dominantes do Japão antigo.

Devido a isso, o Museu Britânico teve de impor uma restrição de idade pela primeira vez em sua história. Qualquer pessoa com menos de 16 anos terá de estar acompanhada pelos pais ou um responsável na exposição Shunga.

A exposição contém obras de alguns dos maiores artistas do Japão, incluindo os lendários artistas Kitagawa Utamaro e Katsushika Hokusai.

Histórico de repressão

A arte erótica japonesa foi fortemente reprimida no Japão a partir de 1870, como parte de um processo de modernização cultural que importou muitos valores morais do ocidente. Mas a sua total proibição foi no final do século XX, no entanto, isso não impediu que impressões eróticas continuassem a ser “sutilmente” publicadas e vendidas.

Segundo Clark, apenas nos últimos 20 anos é que a arte Shunga voltou a ser publicada livre de censura no Japão. Para obter informações sobre horários e preços para visitação, entre no site oficial do British Museum.

Fonte: Mundo-Nipo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após análise.
Obrigado!