Construção - Reforma - Manutenção

Construção - Reforma - Manutenção
Clientes encantados é a nossa meta!

domingo, 26 de julho de 2015

A 45ª Missa do Vaqueiro em Serrita (PE), no Sertão Central, movimentou a região entre do dia 23 até hoje, 26 de julho

 
Tradicional evento do Sertão de Pernambuco, a Missa do Vaqueiro realizada no município de Serrita chegou ao 45º ano com uma vasta programação, que foi aberta na última quinta (23) e prosseguiu até hoje, domingo (26)

Encerrou-se hoje, domingo a programação da 45ª Missa do Vaqueiro, em Serrita, no Sertão de Pernambuco. O evento deste ano contou com shows de bandas nacionais, pega de boi, vaquejada, exposição de artesanato e culto ecumênico, realizado no domingo (26). Entre as atrações musicais, nomes como Lucy Alves, Mastruz com Leite, Josildo Sá, Coral Aboios, Arreio de Ouro, Raniery e Flávio Leandro.

Uma das novidades desta edição foi a estreia, na sexta-feira (24), da programação diurna do evento, com a montagem de quatro tendas no Parque Lajes, todas com rodas de forró pé de serra e shows de aboiadores, repentistas e cantadores a partir das 17h. Entre as atrações, a banda Baião Mais Eu, Xote Federal e Nildo do Acordeon. A iniciativa foi da Associação dos Vaqueiros de Pega de Boi na Caatinga do Alto Sertão de Pernambuco (Apega), com apoio da Fundação Padre João Câncio, que juntas promovem o evento.

Todas as atividades se concentraram no Parque do Vaqueiro, local da celebração da missa em homenagem a Raimundo Jacó. O padre Domingo Pedro foi o celebrante. Os músicos Josildo Sá e Flávio Leandro, o poeta Pedro Bandeira, o Coral Aboios e as duplas de aboiadores Fernando e Ronaldo e Chico Justino e Cícero Mendes também participaram da celebração da Missa.

O evento, conhecido por misturar o sagrado e o profano, tradicionalmente conta com o prestígio de milhares de turistas de todo o Nordeste, lotando as poucas hospedagens da cidade e dos municípios vizinhos, como Salgueiro, Exu, Parnamirim e Morelândia, além de movimentar o fluxo do comércio local.

Sobre Raimundo Jacó

Por sua habilidade, Raimundo Jacó não atraía apenas o gado, mas também a inveja de outros vaqueiros, o que teria ocasionado a sua morte. Foi seu cachorro, fiel companheiro na aboiada, que teria velado seu corpo, todos os dias, até morrer também.

Essa história se tornou um clássico sertanejo. Parte disso se deveu a Luiz Gonzaga, Rei do Baião e seu primo, que, três anos após sua morte, o imortalizou com "A morte do vaqueiro", uma de suas canções mais emblemáticas.

Não satisfeito, Gonzaga queria mais. Uniu-se a João Câncio dos Santos, o padre que, ao ver a pobreza e as injustiças cometidas contra os sertanejos, passou a pregar a palavra de Deus (só que vestido de gibão).

Juntos, fizeram do caso de Jacó o mote para o ofício do vaqueiro. A partir daí, no Sítio Lajes, em Serrita, onde o corpo de Jacó foi encontrado, passou-se a celebrar a Missa do Vaqueiro. O primeiro evento foi em 1970 e os organizadores o classificam com um dos mais emblemáticos do nordeste.

Miséria de pai para filho
filho raimundo jacó

O pai morreu assassinado e um dos seus filhos, Francisco Pereira Jacó, vive anônimo e esquecido em situação de miséria, numa casa de taipa no sitio olho d’água, município de Bodocó, na região do Araripe, em Pernambuco.

Francisco é viúvo e vive na companhia de um filho, que tem problemas de saúde. Dorme em uma rede de balanço por não possuir cama. Além disso, corre risco constante de adquirir doença de chagas, pois o barbeiro (inseto causador da doença) habita nas brechas das paredes de sua casa.

O filho de Raimundo Jacó revelou em entrevista que só se alimenta dignamente quando as pessoas que moram próximo levam comida e, para ir às festividades em homenagem a seu pai, na cidade de Serrita, ele conta com a ajuda dos amigos para passagem e demais despesas como alimentação e acomodações.

Como é natural no humilde povo nordestino, Francisco, sem disfarçar o olhar tristonho, tem um pedido bem simples: que se lembrem dele e levem ao conhecimento da população e, principalmente, das autoridades, sua situação de absoluta privação das necessidades básicas. Claro que uma ajuda para que ele conseguisse ao menos uma moradia digna para ele e seu filho portador de necessidades especiais, seria muito bem vinda.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após análise.
Obrigado!