quarta-feira, 24 de junho de 2015

'Divertida Mente', novo filme da Disney, tenta mostrar que a felicidade existe sim, mas pode vir acompanhada de um pouco de tristeza



O diretor Pete Docten deixa clara a mensagem em 'Divertida Mente', que não existe felicidade plena e nem paz de espírito sem tristeza. É preciso ficar triste de vez em quando, aprender a enfrentar os dois lados e saber dar valor ao que há bom na vida

 Para qualquer mortal, crescer pode ser uma verdadeira aventura e com Riley não é diferente! Quando seu pai arruma um novo emprego em São Francisco, a menina é forçada a sair de sua vida no meio-oeste americano para acompanhar sua família

As emoções vivem no centro de controle dentro da mente da menina e a ajudam com conselhos em sua vida cotidiana. Conforme a garota e suas emoções tentam se adaptar à nova vida, começa uma agitação no centro de controle. Apesar de Alegria, a principal e mais importante emoção de Riley, tente se manter positiva, as emoções entram em conflito sobre qual melhor jeito de viver em uma nova cidade, casa e escola.

Riley é uma garota divertida de 11 anos de idade, que deve enfrentar mudanças importantes em sua vida quando seus pais decidem deixar a sua cidade natal, no estado de Minnesota, para viver em San Francisco. Dentro do cérebro de Riley, convivem várias emoções diferentes, como a Alegria, o Medo, a Raiva, o Nojinho e a Tristeza.

A líder deles é Alegria, que se esforça bastante para fazer com que a vida de Riley seja sempre feliz. Entretanto, uma confusão na sala de controle faz com que ela e Tristeza sejam expelidas para fora do local. Agora, elas precisam percorrer as várias ilhas existentes nos pensamentos de Riley para que possam retornar à sala de controle - e, enquanto isto não acontece, a vida da garota muda radicalmente.
Parece complexo para um filme de animação? 

Pode ser, mas quem disse que desenhos animados são coisas de criança apenas? 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após análise.
Obrigado!