domingo, 3 de maio de 2015

Nepal, Vaticano e Suíça: países que fogem do padrão de bandeiras retangulares





As bandeiras são símbolos de uma nação, de um Estado, município. São popularmente muito usadas como representação de times. São empunhadas, balançadas, penduradas em janelas

Usadas como marco em expedições, seja nas montanhas mais altas do mundo, seja na Lua. Sempre quadriláteros, retângulos em sua maioria.

Não no Nepal. O micro país mais conhecido por ter o "topo do mundo", o monte Everest 
em seu território e, mais recentemente, pelo terremoto que ceifou dezenas de vidas e deixou um rastro de destruição,  ostenta como símbolo maior uma bandeira de formato geométrico sem nome definido. Há até um ângulo reto presente, no canto inferior esquerdo, mas para por aí. Seu lado direito e seu topo é formado por triângulos.

Na verdade, sua bandeira é uma junção de outras duas, que provém de diferentes partes da antiga Dinastia Rana, que governava o país. Sua borda azul representa a paz. Já o vermelho... Não, não é exatamente vermelho. A cor oficial que domina o maior espaço da bandeira é o carmesim, tom forte de vermelho. Já os dois símbolos retratam o cosmo, da forma a qual seria vista do espaço sideral por uma pessoa.

A partir daí surge a explicação para o diferente formato. A bandeira é constituída por dois triângulos, um acima do outro, cada um contendo um símbolos retratado. Na parte inferior está o Sol iluminando e na superior, a Terra surge como a meia lua de sombra abaixo de um astro no momento do crepúsculo. É como se o fenômeno fosse visto simultaneamente por alguém presente na Terra e alguém no espaço.

Suíça

Após algumas discussões, a Suíça faz valer a sua decisão e entra na ONU e será o único país a ter uma bandeira quadrada. A questão da forma da bandeira suíça teve de ser discutida no departamento jurídico da ONU, porque as bandeiras de todos os países são retangulares e a suíça é a única que é quadrada.

História militar

Como todas precisam ser hasteadas na sede da ONU em Nova York e na sede européia da ONU em Genebra, foi feita uma exceção para a Suíça, com a condição de que a bandeira não tenha uma área maior que as outras.

A bandeira suíça, como muitas outras, tem uma história militar.
Tudo começou durante a batalha de Laupen, em 1339, em que soldados de Berna costuraram uma cruz branca em seus uniformes para diferençar dos austríacos.

Sem avesso

Essa cruz passou a ser usada nos escudos e brasões dos exércitos cantonais combinando com as cores de cada região. A cruz foi decretada emblema da Confederação Helvética em 1814.

A primeira bandeira federal, de 1840 e utilizada somente pelo exército, já era quadrada e não mudou mais. Curiosamente, a forma da bandeira não é regulamentada mas somente as dimensões da cruz branca sob fundo vermelho, desde 1889.

Outra curiosidade é que a bandeira suíça não tem avesso. Ela pode ser hasteada de qualquer lado

Vaticano



Outro Estado que também tem uma bandeira quadrada, embora não membro da ONU, é o Vaticano, muito provavelmente sob influência da Guarda suíça, segundo Emil Dreyer, presidente da Sociedade suíça de Vexilologia (estudo das bandeiras).

A Guarda suíça, que está presente no Vaticano desde o século XVI, tinha e tem uma bandeira quadrada. Quando o Vaticano tornou-se um Estado, em 1929, e precisou de um emblema, inspirou-se no modelo da guarda pontifical.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após análise.
Obrigado!