segunda-feira, 13 de abril de 2015

O bailarino carioca Gustavo Carvalho, revelação do balé brasileiro, dançará o clássico 'Romeu e Julieta'



O bailarino carioca Gustavo Carvalho tem 19 anos e um currículo de peso, com prêmios nos mais famosos festivais de dança do mundo 

Com técnica e raro talento, Gustavo Carvalho é detentor de um currículo de peso, com prêmios nos mais famosos festivais de dança do mundo, tendo interpretado Siegfried, o príncipe que se apaixona por Odette em O Lago dos Cisnes, Albrecht, o nobre que se disfarça de camponês em Giselle, e o guerreiro Solor, de La bayadère

A habilidade de personificar os galãs dos grandes balés clássicos rendeu ao jovem bailarino, de 19 anos, viagens, prêmios e, recentemente, um contrato de solista no Ballet Nacional Sodre, do Uruguai, companhia dirigida pelo argentino Julio Bocca, estrela graúda das sapatilhas.

Com a companhia, que abriu a temporada em Montevidéu no último dia 19, o bailarino se interpretou o camponês Franz, par de Swanilda, em Coppélia, em três apresentações no mês de março passado.

A história de Carvalho e Bocca começou em julho de 2014, quando o jovem participou da competição Passo de Arte, em Indaiatuba, e levou a medalha de ouro. Bocca integrava o júri. Assim que voltou ao Rio, o bailarino foi chamado para a temporada de La bayadère que o argentino montaria em novembro.

Convite

Algumas razões fizeram o diretor convidar o brasileiro para ficar mais tempo na companhia. O que me chamou a atenção foi a sua maturidade cênica, sua boa técnica e o fato de ser um bom partner disse Julio Bocca, que acredita que o papel de Franz, em Coppélia, traz novas oportunidades para o bailarino se superar. 

É um papel muito divertido, mas também um grande desafio para o Gustavo, que está mais acostumado com os papéis de príncipes, e, nessa obra, será um simples rapaz do bairro. Mas confio que ele poderá desempenhar o papel sem problemas, porque tem muita carga interpretativa, embora obviamente tenha que seguir trabalhando para adquirir mais experiência, já que é muito jovem.

O bailarino, que de Coppélia só havia dançado até agora o grand pas-de-deux do terceiro ato, concorda.

Futuro
Como profissional, Gustavo espera chegar, um dia, ao posto de primeiro bailarino. Na companhia uruguaia, não sabe se haverá uma renovação de contrato ou se terá de buscar outro lugar. O que celebra é o fato de já estar ganhando: além de ter aulas com Julio Bocca, vai realizar o sonho de dançar ainda nesta temporada o clássico “Romeu e Julieta.

‘Não sei ainda para qual papel serei escalado, mas estou feliz porque é o meu balé favorito e sempre quis dançá-lo’ disse o bailarino em recente entrevista.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após análise.
Obrigado!