quarta-feira, 15 de abril de 2015

Moradores do Rio ganham passaporte para visitas gratuitas a 43 museus



Uma parceria entre o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) e a prefeitura do Rio de Janeiro permitiu o lançamento hoje (14) do Passaporte dos Museus Cariocas, que consiste em uma caderneta de bolso com informações sobre 43 museus da cidade, com a qual seus portadores terão acesso gratuito às instituições em dias específicos da semana

O passaporte foi apresentado no Museu da República, no bairro do Catete, como parte das comemorações dos 450 do Rio. O presidente do Ibram, Carlos Roberto Brandão, destaca que, mais importante do que a questão financeira envolvida – até porque muitas instituições já têm entrada gratuita – é o estímulo a visita aos museus que o passaporte proporciona, com o espaço a ser carimbado a cada instituição visitada.

“É uma tentativa de nos articularmos com o público do Rio de Janeiro, de fomentar a visita aos museus. Cada museu aderiu voluntariamente e ficou livre para fazer sua proposta de gratuidade. O público vai ter, então, acesso aos museus. Com o passaporte, que vai ser carimbado a cada visita, as pessoas terão uma lembrança para guardar dos museus que visitaram nos 450 anos do Rio”, disse Brandão.

Ele lembra que os museus da cidade foram estimulados a montar exposições que tenham alguma relação com o aniversário da cidade e destaca que o passaporte pode ajudar as pessoas a organizar seus roteiros culturais. 

O documento tem validade até o fim do ano, mas o secretário municipal de Cultura, Marcelo Calero, adianta que a ideia é continuar o projeto em 2016, ano olímpico. “Já levamos ao Ministério da Cultura, para que possa haver nova edição do passaporte em 2016, aproveitando o grande número de visitantes que a cidade terá, com os Jogos Olímpicos e Paralímpicos." Calero disse que este é o primeiro passo para que os cariocas, visitantes nacionais e estrangeiros tenham mais acesso e conhecimento sobre os museus da cidade, que "guardem verdadeiros tesouros ao alcance de todos, com um trajeto bem curto, às vezes de ônibus ou até mesmo a pé”.

O engenheiro Felipe Ribeiro Lopes foi visitar o Museu da República e aproveitou para pegar o passaporte. “Quero visitar o Museu Aeroespacial, tem muitos [museus] que eu não conheço ainda, vou aproveitar o passaporte para fazer um itinerário melhor. Até o final do ano quero conhecer quase todos.”

Morador de Manaus, o instrutor de autoescola Ronaldo José Correia Horta também pretende aproveitar o benefício, já que vem ao Rio com frequência para visitar uma filha. “É interessante adquirir o passaporte, porque não moramos aqui, mas nossa filha está morando aqui, agora, e vimos frequentemente visitá-la. Então, isso será de grande ajuda. Já visitamos museus no Rio e existem outros que queremos conhecer, como o Museu da Seleção, que fica na Tijuca.”

O acervo histórico do Maracanã não está na lista dos museus incluídos no passaporte. Moradora do Complexo da Maré, na zona norte do Rio, a atriz e contadora de histórias Marilene Nunes considera a iniciativa importante para popularizar o acesso aos bens culturais. “Muitas pessoas, inclusive na Maré, tinham uma ideia de que museu é coisa em que só a elite podia entrar. A partir do momento em que o Museu da Maré foi construído, elas passaram a ir ao museu e a conhecer outros. Então, acho importantíssima essa iniciativa, porque vai ajudar todo mundo da comunidade a frequentar museus. Eu mesma vou a todos, mas tem alguns que ainda não conheço”, afirmou Marlene.

A tiragem inicial do Passaporte dos Museus Cariocas é de 50 mil exemplares, que serão distribuídos gratuitamente em seis pontos: museus Nacional de Belas Artes, da República, de Arte do Rio, Aeroespacial e Centro Cultural Banco do Brasil, além do Imperial (em Petrópolis).

Fonte: EBC

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após análise.
Obrigado!