domingo, 26 de abril de 2015

Já se vão quase seis anos desde a morte de Michael Jackson e mundo do pop segue sem um novo rei



Mas, e agora? Michael Jackson morreu e ficou uma lacuna. O trono do “Rei do Pop” ainda poderá ser preenchido? Existem candidatos com potencial para assumir este ‘reinado’ ou Michael é mesmo insubstituível?

Depois de mais de cinco anos desde a sua partida, ainda é difícil aceitar a música pop sem Michael Jackson. Foi um artista completo, versátil, genial e sua música está presente na memória de todos por ter arrastado multidões e ter sido reverenciada em todos os cantos do planeta

A opinião dos fãs: “Claro que não, a figura deste tamanho é insubstituível, o personagem foi mudado e revolucionou sua época e da música em geral. O que provavelmente vai acontecer é que dentro de algum tempo vai aparecer de novo alguém que é tão original e talentoso para conseguir virar música, mas nem por isso substituído”.

Algo semelhante aconteceu com os Beatles. Surgiu algum grupo que beirasse o sucesso dos “garotos de Liverpool”? Não, houve e há muitos grupos que surgiram a partir de sua influência, mas não se pode dizer que algum deles conseguiu cobrir o espaço vazio.

Em seu estilo musical ninguém dança não ser sempre o Rei do Pop, por ter revolucionado a indústria da música. Os vídeos ainda são os melhores do mundo, as suas rasteiras um sucesso e discos vai voar lojas. Deve haver alguém no futuro a fazer o mesmo que colocar um estilo completamente diferente de dança, vídeos de excelente qualidade e estilo incomum.

Para os mais fanáticos, Michael é um rei que não tem um substituto, ele vai transcender a história como o maior músico de seu gênero. Realmente dói e a sua partida foi um golpe, que vai lembrado para sempre.

Para a sua legião de seguidores, a alcunha de “Rei do Pop” é sinônimo de Michael Jackson. Mas, ainda quando ele estava vivo, outros cantores chegaram a serem apontados como possíveis sucessores. Justin Timberlake foi o que fez mais barulho, mas, desde que se afastou da música, o título ficou sem um concorrente de peso.

Alguns lunáticos chegaram a apontar o jovem dotado de muita marra e pouquíssimo talento, Justin Bieber. O cantor canadense chegou inclusive a dar uma entrevista se dizendo, inspirado em Michael Jackson, mas com tão poucos dotes artísticos e tamanha capacidade de se meter em confusão, Bieber está mais para alguém que logo estará na vala comum das estrelas cadentes do mundo musical do que um substituto do rei Michael.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após análise.
Obrigado!