sábado, 7 de março de 2015

Zuenir Ventura toma posse Academia Brasileira de Letras





Apesar dos anos enfronhado no mundo das letras, o escritor disse em recente entrevista, estar nervoso com a mistura de alegria e responsabilidade que a nova função representa
 
Jornalista e escritor, Zuenir Ventura, 83 anos, assumiu na última sexta-feira a Cadeira 32 da Academia Brasileira de Letras (ABL), vaga que pertencia ao paraibano Ariano Suassuna, morto em julho do ano passado. De acordo com o ritual da ABL, Zuenir Ventura fará o discurso de posse, em seguida haverá a recepção ao novo integrante, que ficará a cargo da acadêmica Cleonice Berardinelli. Depois, Zuenir Ventura receberá a espada, o colar e o diploma, e o presidente da ABL, Geraldo Holanda Cavalcanti, declara empossado o novo acadêmico.

Em entrevista o escritor disse estar nervoso com a mistura de alegria e responsabilidade que a nova função representa. “Estou muito ansioso, porque é um peso simbólico muito grande e uma alegria também. Estou muito feliz. É como se começasse outra vida para mim, uma outra atividade. Nessa altura da vida, é muito bom ser escolhido pelos seus pares, como eu fui, com a grande maioria de votos, com muito respeito, muito carinho. É um presente muito grande e uma responsabilidade de corresponder a essa expectativa, essa confiança e esse respeito”, comemorou.

No discurso de posse, o premiado escritor fez homenagem ao poeta Manuel Bandeira, de quem Zuenir foi aluno no curso de Letras da Faculdade de Filosofia. “No meu discurso, eu falo sobre esse catedrático, das coisas que aprendi com ele. O Bandeira era de uma época em que os intelectuais não se misturavam, e ele mostrou uma forma diferente de ver o cotidiano, com mais humildade diante da vida”, revela.

Curriculo

Formado em letras neolatinas, o mineiro Zuenir Ventura teve uma carreira acadêmica extensa, como professor universitário por cerca de 40 anos. Lecionou na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e na Escola Superior de Desenho Industrial da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj). Como ex-professor universitário, Zuenir destaca a importância de as escolas de jornalismo estar em constante atualização. “Os jovens têm tantos apelos hoje, que, para eles assistirem a uma aula, é preciso que essa aula seja muito interessante. É fundamental estar conectado para manter os alunos na sala de aula”, diz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após análise.
Obrigado!