sábado, 14 de março de 2015

É cada vez maior a lista de museus e outros locais que proíbem pau de selfie, a mais nova mania





A ideia de esticar um cabo metálico de um metro no meio da galera para tirar sua própria foto, estudando com afinco o melhor, fez do ato de fotografar um verdadeira pandemia, mas alguns locais públicos a exemplo de museus e até estádios de futebol estão proibindo a novidade


Museus, centros de eventos e locais turísticos em todo o mundo estão proibindo o popular acessório dos turistas, alegando riscos aos demais visitantes e também à integridade de objetos expostos.Seja no largo em frente à Catedral de Colônia, seja em passeios pela Torre Eiffel ou pelo Castelo de Neuschwanstein – onde há turistas, há o pau de selfie. Essa extensão do braço supostamente os ajuda a tirar autorretratos, os chamados selfies, ainda melhores com os seus smartphones.

A popularidade é tamanha que a revista americana Time elegeu o pau de selfie uma das 25 invenções mais importantes de 2014, e, ao redor das principais atrações turísticas do mundo, vendedores ambulantes comercializam o acessório.

Mas os responsáveis por locais de forte apelo popular em todo o mundo acompanham esse desenvolvimento com preocupação. Museus, estádios de futebol e outras atrações já proibiram -- ou estão avaliando proibir -- o uso do pau de selfie, alegando que ele coloca a segurança dos demais visitantes em perigo, além de oferecer riscos para a integridade de objetos expostos.

Galeria Nacional de Londres
Na última quarta-feira (11), a Galeria Nacional de Londres, que abriga algumas das pinturas mais famosas do Reino Unido, e o Palácio de Versailles, nos arredores de Paris, anunciaram o banimento do popular acessório de suas instalações.

"Devido à recente popularidade do pau de selfie, a Galeria Nacional preferiu tomar medidas de precaução", disse uma porta-voz do museu. "Fotografias para uso pessoal e não comercial continuam sendo permitidas", ressalvou.

Na França, o famoso Museu do Louvre e o Centro Pompidou, que abriga exibições de arte moderna e contemporânea, estão cogitando seguir a mesma linha. Já na Inglaterra, quatro clubes da primeira divisão, a arena de shows O2 e o Estádio de Wembley proibiram o pau de selfie em jogos, shows e demais eventos.

No mês passado, o Coliseu de Roma também proibiu o uso do pau de selfie. Na semana passada, dois turistas americanos foram presos após riscarem seus nomes numa parede do Coliseu e tirarem uma foto com um pau de selfie.

O Museu Smithsonian, em Washington, também baniu o equipamento. Outras instituições estão analisando se vão aderir, incluindo o Museu de Arte Moderna de Nova York.

No Brasil, o pau de selfie está proibido em todos os estádios de futebol, pois foi considerado uma potencial arma, que pode ser usada em brigas de torcidas, segundo argumentação de autoridades de segurança. Os paus de selfie também foram banidos dos desfiles do último Carnaval, no Rio de Janeiro.

Narcisismo

A respeito da febre do auto retrato, Denise Molinaro, escreveu:

‘Por trás das manobras que permitem que o fotógrafo seja fotografado, noto uma sede à divulgação dos "paradisíacos" relacionamentos humanos nas redes sociais. Quanto mais likes na autoimagem, mais bem quisto eu sou.

A busca pela popularidade revela a afinidade da sociedade atual com o mundo das fofocas e da aceitação, assim como a análise da imagem da vida alheia. Não importa o que eu sou, importa o que a foto mostra que eu seja e quantos likes eu ganho nela.

O modismo vem ancorado na vontade exagerada de ter a vida acessada deliberadamente nas redes sociais, não à toa as empresas de tecnologia foram obrigadas a evoluir a qualidade de suas câmeras frontais nos smartphones a fim de ganhar essa parcela de narcisistas disposta a pagar mais pelo gadget que ofereça o melhor enquadramento.

Tem gente que viaja o mundo e não consegue fotografar sequer um ponto turístico, toda atenção está voltada para o clique em si próprio. É possível que o egocentrismo cegue o ser humano para o que está a sua volta?

Como seria se espelhos circundassem seu corpo e para onde você olhasse encontrasse apenas a si mesmo? Uma overdose de você. Penso que o mundo tem muito mais coisas interessantes a oferecer, confere?

Um dos repórteres que trabalha comigo trouxe a informação que uma empresa americana aproveitou o sucesso do pau de selfie e criou o ‘Belfie Stick’, uma versão do utensílio para reproduzir imagens em ângulo perfeito do próprio traseiro. Quando ele pediu minha opinião eu apenas disse: “preferia ter nascido em 1950’.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após análise.
Obrigado!