segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

"Sherlock Holmes é um dos maiores britânicos de todos os tempos", diz Ian McKellen no Festival de Berlim 2015


Em "Sherlock Holmes 3” a aventura continua. Após enfrentarem Lorde Blackwood (Sherlock Holmes) e Moriarty (Sherlock Holmes - O Jogo de Sombras), Sherlock Holmes (Robert Downey Jr.) e seu fiel companheiro John H. Watson (Jude Law) voltam a se deparar com misteriosos crimes que ameaçam o dia a dia da sociedade da Inglaterra

Um dos títulos mais aguardados fora da competição oficial, Mr. Holmes foi apresentado à imprensa neste domingo no festival de Berlim 2015. O filme mostra o famoso detetive Sherlock Holmes (Ian McKellen) no final de sua vida, doente e perdendo a memória. Ele começa a relembrar seu último caso, que o levou à aposentadoria, e tenta compreender porque esta história o perturbou tanto.

O filme tem um ritmo agradável, com diversas tiradas irônicas típicas do humor britânico, além de diversas brincadeiras sobre a imagem famosa de Sherlock Holmes, com seu chapéu e cachimbo - segundo o próprio detetive, ele jamais usou nenhum desses acessórios. A cena em que o personagem assiste a um filme retratando suas investigações é hilária.

O mais interessante é ver que o diretor Bill Condon transformou a história de espionagem em um drama para toda a família, com grande apelo emocional graças à presença de uma criança cativante, para quem o investigador se torna uma espécie de segundo pai. Mr. Holmes deve ter uma boa carreira comercial pela frente, e não seria uma surpresa se a bela atuação de Ian McKellen, bastante técnica, levasse o ator a uma indicação ao Oscar em 2016.

Na coletiva de imprensa, Ian McKellen esbanjou simpatia e disse que aceitou o papel antes mesmo de saber do que se tratava, só pela oportunidade de trabalhar novamente com Bill Condon (após Deuses e Monstros). Ele insistiu na importância do personagem, dizendo que "Sherlock Holmes é um dos maiores britânicos de todos os tempos", e afirmou que esta história fornece ao personagem algo que ele nunca teve em seus casos: o amor.

Já o ator mirim Milo Parker justificou o prazer de trabalhar com Sir Ian McKellen: "Ele é incrível. E ele é o Gandalf!"

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após análise.
Obrigado!