sábado, 7 de fevereiro de 2015

Apesar das dificuldades, músicos independentes conseguem fazer turnês internacionais

Fazer show fora do país não é privilégio de músicos muitos famosos ou contratados por grandes gravadoras é o que mostra prévias de uma pesquisa da USP sobre o perfil dos músicos no Brasil, onde 53% dos artistas que responderam aos questionários já se apresentaram no exterior

Para ajudar os músicos que querem se aventurar mundo a fora, o Musical promoveu workshops sobre o tema e rodada de negócios, onde os artistas encontram produtores musicais internacionais.
A carioca Paula Abreu, gerente de programação do SummerStage, festival que acontece nos Estados Unidos, participa do evento e dá algumas dicas para realizar turnês internacionais.

Para conseguir local para se apresentar é preciso ficar de olho na agenda dos festivais de música desses países e espaços voltados para apresentações artísticas. As relações humanas são fundamentais na hora de garantir um local para se apresentar. “Participe de encontros para fazer contatos, tenha relação com pessoas da área, faça parceria com alguma banda mais conhecida”, sugere Paula Abreu. Outra dica da gerente de programação do SummerStage é buscar ajuda em sites de crowdsourcing, como o WeDemand (http://www.wedemand.com/).

É necessário identificar onde está o publico que gosta do seu tipo de música para definir os locais da turnê. Nem sempre lugares onde tem grande comunidade brasileira deve ser o foco, as vezes seu estilo musical não é atrativo para esse público, alertou Paula Abreu, que já vez turnê com o grupo carioca Casuarina.

Outra questão que deve ser considerada é a geografia dos países. Os Estados Unidos têm distâncias muito grandes entre os estados. Escolher as cidades sem olhar o mapa pode deixar a viagem muito cara e longa.

Mas essas turnês, normalmente requerem investimento dos artistas. Paula Abreu diz que em Nova Iorque, por exemplo, cerca de 65% das apresentações de World Music são gratuitas, os cachês são baixos, quando existe remuneração, e os custos são para viagem são altos. “Normalmente quem vai fazer uma turnê na Europa não vai ganhar dinheiro, vai gastar dinheiro”, alertou Corinne Sarres. No entanto, a ida ao exterior também pode contribuir para o sucesso do músico inclusive no seu próprio país, complementou Sarres.

Algumas iniciativas governamentais podem ajudar a financiar a viagem de artistas ao exterior. E caso do edital de intercâmbio do Ministério da Cultura chamado Conexão Brasil e do programa Novas Vozes do Brasil do Itamaraty.

Referência: EBC

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após análise.
Obrigado!