Construção - Reforma - Manutenção

Construção - Reforma - Manutenção
Clientes encantados é a nossa meta!

sábado, 31 de janeiro de 2015

Um dos mais marcantes movimentos da música brasileira, o show “Opinião” foi utilizado como grito de contestação ao regime ditatorial da época





Meio século depois, vale relembrar os dois artistas que protagonizaram, ao lado de Nara Leão, um dos momentos mais importantes da música popular brasileira: o antológico show "Opinião", de 1964, quando se iniciava a ditadura militar, uma das maiores máculas da história nacional

Para marcar a data,a TV Brasil criou uma edição especial que remonta parte do repertório dessa apresentação e as parcerias entre Zé Keti, João do Vale e Nara Leão. O episódio exibe cenas do acervo da emissora nas quais os músicos interpretam composições criadas especialmente para o espetáculo e outras que marcaram uma geração como, por exemplo, Carcará, Opinião e A voz do Morro.
No repertório do programa, imagens de Zé Keti interpretando Acender as Velas, A voz do morro, Diz que fui por aí, Malvadeza Durão e Máscara Negra. Já as músicas de João do Vale, exibidas pela edição, são Catirina, Coronel Antonio Bento, O canto da Ema, Asa do vento, Pisa na fulô, Farinhada e A voz do povo. E ainda a interpretação de Nara Leão da música Diz que fui por ai, gravada em 1984.

Zé Keti
José Flores de Jesus nasceu no subúrbio do Rio de Janeiro. Sambista por vocação, compunha com uma caixinha de fósforos nas mãos. Suas músicas foram gravadas por vários cantores brasileiros renomados e algumas delas integraram a trilha sonora dos filmes de Nelson Pereira dos Santos,Rio 40º e Rio, Zona Norte. O cantor era uma espécie de mestre de cerimônia do bar Zicartola, no qual aconteceu o encontro que gerou a ideia do show-manifesto Opinião.

João do Vale

A história de João do Vale começa em Pedreiras, no Maranhão. Veio para o Rio de Janeiro aos 17 anos e chegou a trabalhar como pedreiro. Sem uma formação ele recebeu o título de Poeta do Povo. Compôs centenas de músicas que retratam a realidade do Nordeste. No show representava o povo oprimido de sua terra natal.

Em 1965 lançou "Acender as velas" considerada sua melhor composição. Idealizou e participou do famoso conjunto A Voz do Morro com Elton Medeiros, Paulinho da Viola, Anescarzinho do Salgueiro, Jair do Cavaquinho, José da Cruz, Oscar Bigode e Nelson Sargento. Zé Kéti foi compositor de cerca de duzentas músicas, sendo as mais famosas "A voz do morro", "Máscara negra", "Malvadeza Durão", "Nega Dina", "Acender as velas" e outras. Em 1998 recebeu o Prêmio Shell pelo conjunto de sua obra. Faleceu em 14/11/1999 no Rio de Janeiro.

Nara Leão

Nara Lofego Leão nasceu em Vitória ES, em 19/1/1942. Com um ano de idade mudou-se com a família para o Rio de Janeiro. Por ser muito ligada à música, abriu seu apartamento na Avenida Atlântica em Copacabana aos músicos do movimento Bossa Nova, no final dos anos 50 a meados dos 60 e tornou-se uma espécie de MUSA da bossa nova. 
Seu início de carreira profissional foi em 1963 integrando o elenco do musical "Pobre menina rica" de Vinícius de Moraes e Carlos Lyra. Nesse mesmo ano participou da trilha sonora do filme "Ganga Zumba Rei dos Palmares" de Cacá Diegues, com quem viria a se casar mais tarde. Em 1964 gravou seu primeiro LP "Nara" com músicas de bossa nova e de representantes do "samba de morro". 
Segundo o musicólogo Ricardo Cravo Albin, Nara Leão "foi muito mais que musa da bossa nova. Nara não apenas institucionalizou os compositores da bossa nova na sua fase mais eloquente, como foi muito mais longe, pois teve a sensibilidade de abraçar os ideais de justiça social apregoados pelo CPC Centro Popular de Cultura da UNE União Nacional dos Estudantes e pelo Cinema Novo bem como ouvir e deixar-se encantar pela magia dos poetas do morro". 
Nara teve uma carreira brilhante e terá seu nome para sempre marcado na história da MPB. Faleceu precocemente em 7/6/1989 no Rio de Janeiro.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após análise.
Obrigado!