Construção - Reforma - Manutenção

Construção - Reforma - Manutenção
Clientes encantados é a nossa meta!

sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

Estudo divulgado no British Medical Journal aponta a existência de violência na animação infantil



Era para ser apenas entretenimento para crianças, mas alguns desenhos animados são mais violentos que os filmes de ação do estilo Schwarzenegger, Stallone & Cia

O Rei Leão é um dos filmes mais violentos que a Disney já fez. Na Califórnia um garoto de 11 para 12 anos assistiu a este filme 10 vezes seguidas e quando foi à noite esquartejou a própria mãe.As mortes violentas nos filmes de animação podem deixar marcas psicológicas duradouras nas crianças, revela um novo estudo científicos. 

Um dos filmes que mais ostentou mensagens sobliminares de violência, “O Rei Leão”, ficou marcada uma das cenas quando o leão coloca as patas no chão, sobe poeira, contudo se você colocar a fita para rodar em câmara lenta verá que as partículas de poeira formam a palavra SEX e também pode ser visto em uma cena em que o leão olha para as estrelas. Qual o intuito de um filme para criança aparecer uma palavra desta?

Recentemente, um estudo divulgado no British Medical Journal concluiu que existe mais violência na animação infantil do que nos filmes para adultos. Os investigadores fizeram questão de salientar que há tiroteios em Bambi, Peter Pan e Pocahontas, personagens esfaqueadas em A Bela Adormecida e em A Pequena Sereia, ou ataques de animais em Uma Vida de Insecto e Como Treinares o Teu Dragão.

A pesquisa comparou o número de protagonistas mortos nos desenhos animados e nos filmes de ação mais vistos, de 1937 a 2013, e concluiu que as personagens principais criadas para miúdos têm três vezes mais probabilidade de ter mortes violentas.

O estudo foi realizado pela University College, de Londres, Reino Unido, e pela Universidade de Ottawa, no Canadá. "As cenas violentas podem ser particularmente traumatizantes e deixar marcas de longo prazo na mente das crianças", alerta James Kirkbridge, um dos autores do trabalho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após análise.
Obrigado!